Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Os 73 anos do nosso Tigre

Archimedes Naspolini Filho
Por Archimedes Naspolini Filho 13/05/2020 - 18:45Atualizado em 14/05/2020 - 10:21

Hoje vou falar de futebol. 

Pretendo falar do Criciúma Esporte Clube, o nosso “Tigre” velho de guerra, que tantas paixões nos têm provocado. Hoje é o dia dele!

Era igual a tantos até que - incrível! - conquistou um campeonato nacional: a Copa Brasil, do ano de 1991. Aí, pensou que era o “tal” e, num processo decadente, foi disputar a terceira divisão do futebol nacional, em 2000 e parece que gostou, pois retornou à série C 20 anos depois.

Tudo começou em 1924, naquele 18 de maio, quando os rapazes da época, Abílio Paulo, Heriberto Hülse, Hercílio Amante, Aníbal Milioli, Hércules Guimarães, Francisco Meller, Adelpho Garbelotto, Basílio Romancini, Julio Gaidzinski, Elias Angeloni, Otávio Minatto, Adolpho Colle e tantos outros, num total de 54 homens, fundavam, numa sala da Cooperativa Vitória, o Mampituba Futebol Clube. 

A rigor, foi o nosso primeiro clube de futebol. Esse clube, num futuro não muito distante, seria transformado na Sociedade Recreativa Mampituba, conhecida de todos nós. Dali pra frente seriam muitos os clubes de futebol distribuídos no território criciumense.

23 anos depois, a 13 de maio de 1947, um grupo de jovens da cidade, entendeu de fundar um clube de futebol. Foram eles: Antenor Longo, Anísio Cardoso, Carlos Augusto Borba, Clemente Hertel, Eddie Barreiros Mello, Hamilton Prates, Hercílio Guimarães, Homero Vergilio Borba, Jacob Della Giustina, João Antunes, João Batista Brígido, José Carlos Medeiros, Jurê João Borba, Lédio Búrigo, Nelson João Garcia, Nicolau Destri Napoleão, Pedro Canarin, Rui Passavante Rovaris, Salestino Ramos, Sinval Rosário Boherer e Zélia Guimarães Machado. Nascia o Comerciário Esporte Clube que, em 1978, sob a liderança do empresário Antenor Angeloni, trocava as cores azul e branco pelo amarelo, preto e branco e se transformava nesse clube que tantas glórias deu ao nosso povo.

A tradição futebolística, que nasceu com o Mampituba, temperada com os grandes Ouro Preto Futebol Clube, São Paulo Futebol Clube, Esporte Clube Metropol, Atlético Operário Futebol Clube, Esporte Clube Próspera e Comerciário Esporte Clube, representada hoje na garra desse grande Criciúma Esporte Clube, haverá de ser honrada com o nosso “Tigre” resgatando o respeito de que sempre foi merecedor.

Evidentemente que estou lembrado que hoje se comemora a abolição da escravatura. Mas este pedaço eu gostaria que não fizesse parte da nossa história. É vergonhoso mencionar que o nosso país cultivou e foi um dos últimos a abolir essa selvageria.

Fico com o Comerciário Esporte Clube, quer dizer, com o Criciúma Esporte Clube, o clube aniversariante.

 

4oito

Deixe seu comentário