Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Decotelli, o ministro, foi para casa

Archimedes Naspolini Filho
Por Archimedes Naspolini Filho 02/07/2020 - 11:00Atualizado em 02/07/2020 - 11:27

O presidente Jair Bolsonaro anunciou na quinta-feira, dia 25, o nome de Carlos Alberto Decotelli como o novo ministro da Educação. Seria o terceiro do seu governo, depois das passagens de Ricardo Vélez Rodríguez e Abraham Weintraub.

Assim como o antecessor imediato, Decotelli é economista, formado em 1980 pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Ele é mestre em Administração pela Fundação Getúlio Vargas.

Na foto, um negrão alinhado, alto, atlético, simpático, irradiando saúde, lembrando o Bataclan, lembram do Bataclan? Bataclan era um negrão que, inicialmente aqui em Criciúma e, depois, em Florianópolis, fazia corridas pelas ruas da cidade, nas frias manhãs de inverno, sem se importar com as condições adversas do clima.

Decotelli surpreendeu. Fez ler um curriculum de mentira e, como mentira tem pernas curtas, caiu ao terceiro dia.

Não era nada daquilo. Os títulos de doutor e pós doutor em universidades da Argentina e da Alemanha não correspondiam. Passou por elas, sim, mas não colou grau.

Aí entrou a mão sábia do presidente Bolsonaro. Chamou Bataclan, quer dizer, Decotelli, e pediu explicações. Humildemente Bataclan, quer dizer, Decotelli, se justificou. Mas não convenceu.
A posse foi suspensa e, no dia em que seria empossado ministro dos negócios da Educação do Brasil, renunciou. Renunciou sem ter assumido. Colaborou em afirmar que a mentira tem pernas curtas e que a verdade poderá ser sepultada, mas ressuscitará ao terceiro dia.

Palmas para Bolsonaro! 

O presidente poderia bater o pé: aqui quem manda sou eu. Com pós doutorado na Argenteina, ou sem ele; com pós doutorado na Alemanha, ou sem ele, o Bataclan, quer dizer, o Decotelli será ministro e não se fala mais nisto. Mas, não! Bolsonaro fez entender ao quase empossando que, sobre mentiras, não se constrói absolutamente nada. E, como ele faz um governo que difere, em tudo, a tudo quanto já se viu no Planalto, Bataclan, quer dizer, Decotelli, dançou. Foi pra casa. 

Deixou uma boa imagem, mas isto não serve: há que haver uma boa imagem de alma que, sobre mentiras, não prospera.

Lembram da lição de Cesar? A mulher de César não precisa ser apenas honesta ela tem que parecer ser honesta.
Decotelli foi pra casa. Provou que, quem vê cara não vê coração.

Agora, antes de partir, meu caro e preclaro amigo, Dênis Luciano, chamou a Lemos Mudanças, aqui de Criciúma, para fazer o transporte de suas coisas para o seu endereço particular. Sabem por quê? Porque não precisa ser pós graduado nem pós doutorado, todos sabem que o profissionalismo da Lemos Mudança faz a diferença. A Lemos faz mudanças para ex-ministros, para quase ministros, para quem assessora ministros e até para puxa-sacos de ministros. A Lemos faz isso há 40 anos! Sempre com responsabilidade! Sempre com qualidade!

E que todos comecemos o dia como queremos termina-lo! Bom dia!

 

4oito

Deixe seu comentário