Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Crônica da Cidade

Archimedes Naspolini Filho
Por Archimedes Naspolini Filho 12/05/2020 - 06:59

Busquei, na edição que circulou na semana de 30 de maio a 6 de junho de 1964, do nosso saudoso semanário Tribuna Criciumense, os tópicos de publicações que dão um mergulho no passado e se transformam na Crônica da Cidade de hoje.

BR 59 – A BR-59 poderá ter suas obras reiniciadas e ser concluída em breve graças aos esforços que vem desenvolvendo, na Câmara Federal, a bancada catarinense. No dia 20, da semana que passou, o deputado Diomício Freitas fez um apelo ao ministro Juarez Távora para que aquela autoridade não deixe a construção da BR-59 sofrer solução de continuidade, evitando grandes prejuízos ao erário público. Mas, em que pese o esforço do deputado Diomício Freitas e da própria bancada catarinense, a BR só seria inaugurada em 1970, já com a atual nomenclatura: BR-101.

ALMIRANTE VAI VENDER A MUSICOTECA – Não há quem não conheça Henrique Foréis, o Almirante, consagrado compositor da música popular brasileira. Pois o Almirante, agora, vai vender, ao governo da Guanabara, por 35 milhões de cruzeiros, o seu arquivo musical iniciado em 1930, único no gênero na América do Sul. O acervo musical compilado pelo artista, compreende 50 mil partituras catalogadas e outras 80 das quais ainda não possui fichas, três mil discos – alguns raríssimos -, biblioteca sobre a música popular brasileira, assim como informações sobre artistas do passado. A única exigência de Almirante, ao aceitar a oferta do governo, foi de que, enquanto for vivo, ele próprio cuide da musicoteca.

INTERNACIONAL PAGA DEZ MILHÕES POR IDEZIO – Os dirigentes do clube gaúcho voltaram a insistir junto ao alto comando do tricampeão, tentando, mais uma vez, a aquisição do comandante Idézio. O Internacional chegou a oferecer a soma de dez milhões de cruzeiros pelo avante e, partindo do patrono Dite Freitas, a resposta foi negativa, recusando, o Metropol, o bom dinheiro ofertado pelo clube rubro dos pampas. Idézio não vai para os Eucaliptos. Idézio foi adquirido pelo Metropol, junto ao Marcilio Dias de Itajaí. E se consagrou no clube alviverde da Metropolitana passando a ser cobiçado por grandes agremiações do futebol nacional. Dite Freitas, todavia, teimava em não ceder às pressões e o artilheiro Idézio permaneceu no Euvaldo Lodi. E já que falamos do Metropol, nessa edição há mais uma nota a seu respeito: BÓRIS NO METROPOL – O tricampeão catarinense de futebol estuda a contratação do ponteiro Bóris, do E. C. Guatá. O assunto estará resolvido na próxima semana. Mas do Guatá?

E eu retornarei amanhã. Até lá amigos e um abraço do meu tamanho!

4oito

Deixe seu comentário