Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Salvaro versus Casan e outras da coluna

Consórcio entre municípios seria solução ao rompimento com a Casan
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 22/01/2019 - 06:55

A relação entre o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), e a Casan se distanciou com o episódio de ontem. O prefeito tinha reunião agendada na capital para tratar do valor cobrado na taxa de esgoto na cidade, que é de 100% em cima da fatura da água e não tem o mesmo critério de outros municípios do estado, mas deu com a cara na porta.
Fez vídeo na frente do prédio da Casan (foto) em tom duro e ameaçou o rompimento do contrato se não tivesse uma reação imediata.
A reação veio logo depois, a presidente Roberta Maas dos Anjos ligou para Salvaro e marcou reunião para quarta-feira, 14h, dessa vez é ela que virá a Criciúma. Alegou desencontro da agenda, já que não assumiu oficialmente ainda e o período é de transição.
Só que Salvaro já se antecipou e marcou reunião, também para quarta-feira, às 9h, com prefeitos de municípios vizinhos. Quer tratar da possibilidade de uma consórcio para o serviço de água e esgoto. Dos 12 municípios da região, seis são abastecidos pela Casan. São eles: Criciúma, Içara, Nova Veneza, Siderópolis, Forquilhinha e Lauro Müller.
Talvez, Içara seja o que está mais alinhado com a companhia do estado. Renovou contrato por 30 anos em 2018. Siderópolis é a cidade sede da Barragem do Rio São Bento.
Salvaro será o presidente da Amrec a partir de fevereiro e um dos caminhos para a entidade é justamente a realização de consórcios para a compra de produtos por preços mais baixos e a prestação de serviços também se encaixa no perfil.

Primeiro embate

Essa não é a primeira vez que Salvaro tem um embate com a Casan. Nos anos anteriores, quando precisou ameaçar o rompimento, um time entrou em campo para acalmar os ânimos. Políticos do Sul fizeram esse papel. A dúvida agora é como será a reação do atual governo de Carlos Moisés, mais técnico. A princípio foram rápidos na reação. Sabem da importância de Criciúma para a Casan.

Precisa passar na Alesc

Saiu, ontem, o decreto que dá fim as 20 Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs) pelo estado, entre elas a de Criciúma e Araranguá. O anúncio da publicação no Diário Oficial foi feito pelo governador Carlos Moisés (PSL) nas redes sociais. Cumpre uma promessa de campanha e desejo da maioria dos catarinenses que enxergam nas regionais um cabide de empregos. Mas, não é ponto final. O decreto interrompe o funcionamento das ADRs, mas não coloca fim. Para isso, precisará passar pela Assembleia Legislativa junto com a reforma administrativa que será encaminhada em fevereiro. Será o primeiro grande projeto do Executivo que precisará passar pelo aval dos deputados.

Renovação

Ainda não é possível saber como a nova legislatura, com alto índice de renovação, se portará diante de projetos como esse. Outros projetos para o fim das regionais chegaram a tramitar na Casa e nunca foram para frente. Essa também é a primeira vez que a iniciativa parte do Executivo.

Garantia

Mais uma vez o governador reafirmou que os municípios não ficarão desamparados. Há grande preocupação entre os prefeitos com relação aos convênios que até então eram feitos através das ADRs. O atendimento será realizado pela Casa Civil em espaço específico para isso. As gerências de Educação, Saúde e Deinfra serão mantidos nas regionais.

A primeira agenda

O prefeito de Tubarão Joares Ponticelli (PP) cumpriu sua primeira agenda efetiva como presidente da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam) e foi ao Governo do Estado. Com o secretário de Educação, Natalino Uggioni, tratou do transporte escolar. Na Fazenda, com Paulo Eli, sobre o ISS dos bancos. O caso deve ser julgado pelo ministro Dias Toffoli, no Suprem0o Tribunal Federal (STF).

Fim das ADRs

O principal assunto com o governador Carlos Moisés foi o fim das ADRs, o decreto saiu ontem, e a disposição da Fecam e das associações de municípios em assumir maior protagonismo nessa relação com o Governo do Estado, especialmente, quando o assunto é os convênios.

Sede da Câmara

O presidente da Câmara de Vereadores de Criciúma, Miri Dagostim (PP), está em Brasília e terá encontro na Secretaria de Patrimônio da União (SPU) sobre o prédio que abrigava o Ministério Público do Trabalho e que passará para o município com o objetivo de sediar o Legislativo. O projeto já está pronto, aguardando apenas o repasse do imóvel. O prédio fica no Parque Centenário, que receberá revitalização nos próximos meses.

Transplante de rim

Também em Brasília, o prefeito Clésio Salvaro, o secretário executivo da Amrec, Acélio Casagrande, o diretor de Relações Institucionais do Hospital São José, Altamiro Bitencurt, e o coordenador da SC Transplantes, Joel de Andrade, tratam do início dos transplantes de rins na entidade hospitalar criciumense. A reunião está marcada para hoje, 10h, no Ministério da Saúde. Ontem, Casagrande e Bittencourt se reuniram para tratar os últimos detalhes (foto). Da reunião de hoje deve sair a data para o início dos transplante, que hoje é feito somente em Blumenau, no Hospital Santa Isabel. Já deve iniciar também os tramites para o transplante de fígado no São José.

Defesa Civil

O prefeito de Nova Veneza, Rogério Frigo, e o vice Zé Spilere, estiveram, ontem, com o secretário de Defesa Civil de Santa Catarina, Coronel BM João Batista Cordeiro Júnior. Apresentaram a situação do município após as chuvas de quinta-feira passada, deixando prejuízo superior a R$ 2 milhões. Agora, preparam relatório a ser encaminhado a Defesa Civil estadual e nacional.

Alfinetou

Para o presidente do PSL em Santa Catarina Lucas Esmeraldino, nada mudou dentro do partido depois da crise por espaços que virou pública. Em entrevista à Rádio Som Maior, Lucas aproveitou e deu alfinetada no grupo de deputados federais que pediram a sua destituição à Executiva Nacional após a comissão provisória ser renovada sem a participação dos eleitos. Para ele, esse é o esperado pelos eleitores que não desejam que deputados usem o partido para se perpetuar no poder.

Diferença

Para Lucas a única diferença foi que Caroline De Toni ficou de fora e depois resolveu voltar ganhando o apoio de Daniel Freitas e Coronel Armando.
A proporção da crise saiu do controle e precisou de intervenção da Executiva nacional. Por fim, Lucas foi mantido como presidente e os demais cargos ocupados pelos eleitos.

Missão China

Associação Empresarial de Criciúma (Acic) recebe, amanhã, o Café Missão China. O evento é promovido pela TRL Internacional com o apoio da associação, na divulgação junto aos associados. Na ocasião, serão apresentados detalhes da missão catarinense especializada nas principais feiras de negócios da China. O objetivo é fortalecer oportunidades do comércio e indústria da cidade e região.

4oito

Deixe seu comentário