Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Salvaro, os partidos para 2020 e outras da coluna

Clésio declina de presidência do PSDB e foca na reeleição em Criciúma
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 22/02/2019 - 06:53

Interina: Francieli Oliveira

O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, não irá assumir a presidência do PSDB de Santa Catarina porque foca a reeleição no ano que vem. Recebeu convite da cúpula do partido recentemente. Salvaro é nome forte dentro do ninho tucano catarinense e ganhou ainda mais importância após a saída do ex-prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes. O prefeito de Criciúma se tornou o maior ativo eleitoral do PSDB catarinense.
No âmbito local, com a candidatura de Clésio Salvaro à reeleição praticamente confirmada, assim como a dobradinha com o PSD e tendo Ricardo Fabris de candidato a vice novamente, também ficam mais claras as candidaturas que serão postas no ano que vem na disputa pela Prefeitura de Criciúma.
O MDB deverá ter candidato. O deputado estadual Luiz Fernando Vampiro e Ronaldo Benedet já afirmaram que não estão dispostos a ir para essa disputa. Mas ainda não há um nome definido e, se isso não for encaminhado nos próximos meses, poderá sobrar para Vampiro ou Ronaldo a responsabilidade de representar o partido. Acélio Casagrande, que está como secretário executivo da Amrec, está próximo de Salvaro.
O PP tem Jorge Boeira que está se articulando nos bastidores. Há muita especulação sobre possível troca de sigla. Também há possibilidade do PSB ter candidato.
O PSL também deve apresentar candidatura. Com Daniel Freitas e Jessé Lopes afirmando que não irão concorrer, também não há definição de um nome dentro da sigla. Um dos cogitados é o vereador Julio Kaminski, que ainda está no PSDB, mas com sinal verde para a troca de partido.
Com a confirmação de que Salvaro irá à reeleição, cai o número de candidaturas postas.

A Legislatura das CPIs

Menos de um mês da nova Legislatura e duas Comissões Parlamentar de Inquérito (CPIs) articuladas na Assembleia Legislativa (Alesc). O fato mostra a disponibilidade dos deputados em não deixar a fiscalização de lado. Respondem ao apelo das urnas que exigiu uma postura diferente dos representantes políticos. Ontem, Laércio Schuster (PSB) conseguiu as primeiras assinaturas para a criação da CPI da Caixa Preta do ICMS. Assinaram até o momento: Maurício Eskudlark (PR), Ivan Naatz (PV), Bruno Souza (PSB), Neodi Saretta (PT), Mauro de Nadal (MDB) e Nazareno Martins (PSB). Do Sul, já assinaram Luiz Fernando Vampiro (MDB) e Jessé Lopes (PSL). Para que a CPI seja aceita são necessárias 14 assinaturas.

Deve chegar lá.

O pedido da CPI foi motivado pelas polêmicas declarações do secretário da Fazenda, Paulo Eli, que esteve essa semana na Alesc explicando decretos que revogam isenções do ICMS. Ele mesmo classificou toda essa situação como uma caixa-preta. O que se sabe é que ninguém tem certeza do valor dessas isenções fiscais e para quem são concedidas. As isenções são importantes, mas é preciso mais clareza no processo. Se os deputados forem a fundo, muitas revelações serão feitas.
A outra CPI é da Ponte Hercílio Luz e já está em andamento. O criciumense Jessé Lopes já se colocou à disposição para assumir a presidência.

Posse OAB

Foi bastante prestigiada a posse da nova diretoria da OAB Criciúma, agora, presidida por Rafael Búrigo. Entre os que passaram pelo Teatro Elias Angeloni, o presidente da Assembleia Legislativa, Julio Garcia, que na foto está acompanhado do prefeito Clésio Salvaro prestigiando os advogados.

Reitores com o governador

Os reitores das 16 universidades do sistema Acafe foram recebidos pelo governador Carlos Moisés, na Casa da Agronômica. A reitora da Unesc, Luciane Ceretta, avaliou positivamente o encontro. Moisés reconhece a importância das comunitárias para Santa Catarina e as coloca como parceiras do governo em todos os cantos do estado na ciência, tecnologia, inovação e educação. Todos, reitores e representantes das instituições, saíram satisfeitos e com o reforço no compromisso com a formação de professores e parcerias para a melhoria da educação básica.

Bolsas PMC

A posição da Unesc em relação ao edital lançado para as bolsas de estudos da Prefeitura de Criciúma, as Bolsas PMC, é o mesmo pactuado pela comissão que acompanha o processo e que tem representantes da Câmara de Vereadores, da universidade, Prefeitura e DCE. Para eles, a decisão da Prefeitura em estipular o valor de R$ 1,5 milhão está dentro do que foi acordado com a comissão de acompanhamento do processo.

Ausência

Uma observação da grande maioria dos integrantes da comissão de acompanhamento do processo de seleção das Bolsas PMC é que o presidente do DCE, Alexandre Bristot, não compareceu aos encontros. Ele se posicionou contrário à nova regra.

Os mirins

A noite foi de posse para os vereadores mirins de Criciúma. Os titulares foram prestigiar e incentivar os garotos. Na foto, os vereadores estão com a mesa diretora da Câmara Mirim: o presidente Iuri Botini da Silva, a vice Heloisa Belloli Martinelli, o primeiro-secretário Eliel Borges Santana e a segunda-secretária Aléxia de Macedo Souza.

Atendimentos no HMISC

O secretário-executivo da Amrec, Acélio Casagrande, esteve no Hospital o Materno Infantil Santa Catarina avaliando os dois meses de funcionamento. Os números apontam para aproximadamente 400 partos e 70 processos de córneas captadas. Na próxima terça-feira, Acélio e o Ideas vão fazer uso da tribuna livre na Câmara de Vereadores de Criciúma para apresentar os resultados. O vereador Paulo Ferrarezzi (MDB) também acompanhou a visita.

Atração de investimentos

Na próxima segunda-feira, a Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec) promove, em parceria com a Associação Empresarial de Criciúma (ACIC), um encontro do Confaz-M. O evento deve reunir os secretários de Administração e Finanças dos municípios com o tema “Como atrair investimentos para a região da Amrec”. Será às 17h, na sede da ACIC. Esse é um dos principais desafios para o desenvolvimento econômico da região.

A conta é grande

O prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon (MDB), reforçou que não irá fazer o corte da grama da Via Rápida e elencou diversos motivos. Ele acredita que os municípios, que ficam com a menor fatia da arrecadação, estão precisando arcar com muitas contas do Governo do Estado. Citou convênios com Epagri, Polícia Militar, Polícia Civil, Detran entre outros. A Via Rápida ainda não tem “dono”. Sua estadualização ainda não tem data para acontecer, mas Murialdo entende que não tem nem autorização legal para fazer um serviço em algo que não pertence ao Município. O tema já foi levantado por reportagem de A Tribuna.

Receio

Está marcada para hoje de manhã a reunião de lideranças de Tubarão com o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins. Mas, há nos bastidores um certo receio da presença, apesar da confirmação. O encontro é uma tentativa de garantir para a cidade o núcleo da Celesc. A reação veio depois que pressão de lideranças da Amrec e Amesc conseguiram reverter a decisão e garantir que Criciúma ficasse com a sede no Sul. Era a única cidade polo que não havia sido escolhida. A trapalhada do governo reacendeu o bairrismo entre Criciúma e Tubarão, combatido por muitos anos.

4oito

Deixe seu comentário