Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Moisés na reeleição, os candidatos do PSD e a prévia do MDB

Foi uma sexta-feira de pauta recheada na política
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 30/07/2021 - 20:01Atualizado em 30/07/2021 - 20:22

Foi uma sexta-feira cheia de fatos novos na política.

Começou com o deputado do sul José Milton Scheffer, PP, afirmando na rádio Som Maior  que o governador Carlos Moisés, sem partido, será candidato à reeleição e que tem convicção que ele estará no segundo turno.

Disse que não conhece conversações para Moisés filiar-se no PP, mas que ele seria "muito bem recebido".

Depois disso, o vereador Miguel Pierini e o vereador licenciado Miri Dagostim, secretário municipal de educação, se reuniram em Criciúma com o ex-deputado Valmir Comin, os três do PP (foto).

Pierini informou que eles pediram que Comin seja candidato a deputado federal, e que Comin aceitou.

"Foi uma conversa olho no olho, pedido feito ao Comin para ser pré-candidato a deputado federal, e o pedido foi aceito", disse.

Em principio, o candidato do PP de Criciúma e região a deputado federal seria o ex-deputado Jorge Boeira. Perguntado a respeito, Pierini respondeu:

"Até o momento ele não se manifestou".

Boeira teve na noite anterior uma reunião com deputado José Milton para encaminhar sua candidatura a federal e na semana passada com o prefeito Joares Ponticelli, de Tubarão.

A inicitiva dos vereadores sugere que há pelo menos problema de sintonia entre Boeira e os vereadores do partido (o licenciado e o que está no exercício do mandato).

De outro lado, se Comin for candidato a federal, Boeira será candidato a estadual? Ou ficará sem espaço no PP?

 

PSD define o rumo

Na Capital, final da manhã, o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, reuniu o partido para dar o "norte" para eleição de 2022.

Na eleição presidencial, o PSD estará longe de Bolsonaro. Vai filiar o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e fazê-lo candidato a presidente.

Na eleição estadual, o PSD terá candidato a governador e o nome será, entre os três que estão hoje no processo, o que estiver melhor nas pesquisas março ou abril.

Em outras palavras, mandou Raimundo Colombo, Napoleão Bernardes e João Rodrigues "pegar a estrada" em campanha.

Além disso, desautorizou conversas sobre possibilidade de o PSD apoiar candidatos de outros partidos, como Gean Loureiro, filiado ao DEM, e o governador Carlos Moisés, que está sem partido, mas em vias de filiar no PR. A não ser que eles filiem no PSD.

 

MDB confirma prévia

Para fechar o dia, o MDB catarinense anunciou que o dia 23 vai definir a data para realização da prévia que apontará o candidato a governador.

Primeira leitura: se vai definir a data da prévia, é porque vai ter prévia.

A movimentação principalmente de deputados estaduais contra a prévia não prosperou.

Em princípio, três nomes continuam no páreo: Dario Berger, Antídio Luneli e Celso Maldaner.

Na pratica, só dois: Antídio x Dário.

Antidio é bolsonarista assumido.

Dário firmou posição contra Bolsonaro.

Ao assumir tal postura, Dário faz contraponto ao seu concorrente no MDB, mas também sinaliza para a esquerda, para onde pode ir se não for o candidato do MDB.

Dário já teria conversas encaminhadas com o PSB e pode ser aliado de Lula no estado.

 

 

 

 

4oito

Deixe seu comentário