Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Leodegar pode ser secretário de Daniela

Outras: Cleiton Salvaro pode assumir e Márcio ir para Casan
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 28/03/2021 - 17:08Atualizado em 28/03/2021 - 21:35

O ex-deputado do sul Leodegar Tiscoski, PP, pode ser secretário de infraestrutura do novo governo de Daniela Reinehr, que está sem filiação partidária.

Desde sábado, articulações estão feitas para montagem da nova equipe.

Os ex-deputados Paulo Bornhausen, PODEMOS, e Gelson Merísio, PSDB, estão participando ativamente. Principalmente Merisio.

O nome de Tiscoski teria sido indicação de Bornhausen.

Outra especulação nos bastidores é que o deputado Laércio Schuster, PSB, pode ser o secretário de infraestrutura. Neste caso, Cleiton Salvaro assumiria como deputado, porque ficou primeiro suplente do PSB na eleição de 2018.

O deputado criciumense Luiz Fernando Vampiro, atual secretário de educação, teria reunião hoje à noite com a bancada do MDB para decidir se continua no cargo ou encaminha pedido de demissão.

O secretário da fazenda, Paulo Eli, deve continuar no cargo no governo de Daniela.

O ex-prefeito Márcio Burigo pode ser convidado a assumir a presidência da Casan.

A deputada Carmem Zanotto, CIDADANIA, pode ser convidada para assumir a secretaria de saúde.

Márcio Burigo e Carmem seriam indicações apoiadas pelo senador Jorginho Mello, PL.

Daniela Reinehr vai se reunir com o senador Jorginho na quarta-feira. Amanhã, o senador estará com o Presidente Bolsonaro.

Também circula forte nos bastidores que o deputado Altair Silva, PP, pode continuar no comando na secretria da agricultura.

A articulação em curso para garantir maioria na Assembléia para o governo de Daniela teria PL, PP, PSB, PSDB, PRB, parte do PSD e quase todos do PSL (ala bolsonarista).

A advogada Karina Kuffa, de Brasília, ligada ao Presidente Bolsonaro e seus filhos, está em Santa Catarina desde a semana passada acompanhando a vice-governadora Daniela nas movimentações finais para o julgmamento do Tribunal Especial do Impeachment e articulações para montagem da nova equipe.

A posse de Daniela será na terça-feira, conforme anunciado no encerramento da sessão do Tribunal Especial pelo desembargador-presidente Ricardo Roesler.

O primeiro novo secretário que será anunciado será o chefe da Casa Civil, já que Eron Giordani entregou o cargo ainda na sexta-feira à noite, logo depois da sessão do Tribunal.

O governador Carlos Moisés foi afastado do cargo pela segunda vez em cinco meses. Mas, em condições bem diferentes.

Na primeira vez, em outubro, por causa do aumento dado aos procuradores do estado, e por maioria dada no Tribunal Especial por votos dos deputados.

Desta vez, foi pelo rombo de r$ 33 milhões, pagamento adiantado por respiradores que nunca chegaram ao estado, em decisão garantida pelos desembargadores do Tribunal.

Todos os desembargadores votaram contra o Governador e mais um deputado (Laercio Schuster,PSB).

Os votos dos desembargadores foram técnicos e contundente no enquadramento por crime de responsabilidade.  
Os desembargadores não afastaram Moisés porque ele tenha feito operação dos r$ 33 milhões, mas porque tinha conhecimento de toda a operação, tratou do assunto e poderia ter evitado.

 

4oito

Deixe seu comentário