Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Eleições 2020

Som Maior apresentou o primeiro debate das eleições 2020 (VÍDEO)

Por mais de duas horas e meia, sete candidatos discutiram o futuro de Criciúma
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 18/09/2020 - 06:55Atualizado em 18/09/2020 - 15:50
Foto: Vitor Netto / 4oito
Foto: Vitor Netto / 4oito

A Rádio Som Maior e o 4oito promoveram, na manhã desta sexta-feira, 18, o primeiro debate das eleições 2020 em Criciúma. Durante duas horas e 40 minutos, os sete candidatos estiveram frente a frente, fazendo cinco debates de trocas de ideias, algumas farpas, muitas perguntas e respostas e apresentação de projetos.

Todos os concorrentes participaram: Chico Balthazar (PT), Clésio Salvaro (PSDB), Coronel Cosme (Podemos), Dr. Aníbal (MDB), Júlia Zanatta (PL), Rodrigo Minotto (PDT) e Professor Éderson (PSTU). 

No vídeo, assista o debate:

Foi a primeira vez que os sete candidatos estiveram juntos, debatendo os assuntos da cidade e apresentando propostas. O período de convenções terminou na quarta-feira, 16. No último dia, foram confirmadas a candidatura de Coronel Cosme para prefeito, pelo Podemos, e a aliança do PL com o PSL, que indicou Dr. Allison Pires para vice de Júlia Zanatta. Até então, ele era pré-candidato.

As demais candidaturas já estavam definidas, sem maiores sobressaltos nos últimos dias, apenas com as indicações de Neguinho (PDT) para vice de Rodrigo Minotto e Pedro Ângelo (PSTU) para vice de Professor Éderson. Antes, Júlio Bittencourt (PT) havia sido indicado para compor chapa petista com Chico Balthazar, e as primeiras chapas encaminhadas haviam sido as de Dr. Aníbal com Lisi Tuon (DEM) e de reeleição, de Clésio Salvaro com Ricardo Fabris (PSD).

Confira abaixo o resumo de todas as manifestações no Minuto a Minuto no 4oito.

Acompanhe ao vivo:

10:13

"Muito obrigado a todos pela presença e que o processo eleitoral seja o melhor de todos", finaliza.

10:12

Adelor Lessa encaminha o encerramento do debate.

10:12

"Quero pedir aos ouvintes que me sigam nas redes sociais no Instagram, Facebook, lá vamos conversar bastante, combater as fake news verdadeiramente e vamos ter um espaço aberto, lá sim existe a liberdade e tem gente aqui falando, ouvinte, não dê ouvidos. Eu digo, ouvinte, dê ouvidos, vá atrás do seu candidato, precisamos revelar a verdade. Eu não tenho discurso pronto, tenho a verdade e as pessoas que têm vindo me apoiar. Eu não tenho recursos financeiros, não tenho grandes apoios, mas cada apoio que tem vindo eu tenho agradecido. Quero agradecer ao meu vice, Dr. Allison Pires, tenho muito orgulho de ter ele ao meu lado, vamos sim fazer uma Criciúma muito melhor, Criciúma acima de tudo, Deus acima de todos".

10:10

Agora, fecha com Júlia Zanatta (PL).

10:10

"Nós do PSTU estamos nos colocando como a alternativa revolucionária, com um programa socialista para os trabalhadores. Estamos cansados de mais do mesmo. Prestamos aqui nossa solidariedade à categoria dos Correios, que estão em greve, enfrentando um duro ataque, com perda de direitos e nos seus salários. Nos solidarizamos também com as vítimas do Covid e os trabalhadores que perderam seus empregos. Fazemos um chamado à população".

10:09

Agora, despede-se o Professor Éderson, do PSTU.

10:09

"Saint Exupery dizia que o futuro não é o lugar para onde estamos indo, mas que estamos construindo. São inspirações da minha jornada política os jovens e as minhas filhas. Quero firmar um compromisso com você, cidadão, que paga seus impostos. Um dos mais sérios, senão o mais sério, daqui para a frente trabalhar com afinco, dedicação e compromisso com a gestão, como se fosse um sacerdócio. Como fui como médico, servidor municipal e da sociedade. Quero dizer que não estou sozinho nessa jornada, tenho um time comigo, um timaço capaz de tirar a cidade da Série C e colocar na Série A. Nosso plano de governo tem mais de 300 ações previstas que gerarão mais de 70 projetos para a cidade, com importante parte inovadora nos projetos".

10:07

Agora, despedidas de Dr. Aníbal do MDB.

10:07

"A verdade é a melhor forma de respeitar você, eleitor. Na saúde, temos compromisso com a vida. Temos que juntos fazer a travessia, juntos e saudáveis, até lá, máscara, álcool e distanciamento. Que a autoridade local, em nome da vida, não precipite o retorno das crianças à escola. Quero ser teu parceiro para tirar Criciúma do blecaute e levar à transparência, eficiência e gestão compartilhada. Chega de gestão que mais esconde que revela. Chega de carreirismo político que só vê voto. Criciúma tem potencial para voltar a ser a Capital do Sul. Para tanto, precisamos contar com toda a inteligência da cidade, de todos os segmentos na construção do nosso futuro. Eu, Júlio e você faremos a grande mudança que olha para frente, tendo o ser humano no centro das atenções, e faremos isso com a política da paz, combatendo o ódio e fake news que degradam a cidade e o país".

10:05

Agora, despede-se Chico Balthazar, do PT.

10:05

"Obrigado aos candidatos por manter esse nível elevado, obrigado ao meu vice Ricardo e a toda a minha equipe, aos bons funcionários públicos que se dedicam. O mundo nos enviou o medo, e nós tivemos coragem. Meu fraterno abraço a todos que perderam familiares. Meu carinho à minha esposa e filhos, temos avançado com muita segurança rumo a uma cidade boa. Muito do que foi dito aqui os nossos ouvintes desconsiderem. O governo é uma construção permanente, mas essa cidade é boa para se viver e investir, é uma cidade de oportunidades e temos recebido empresários, quando pego elevador aqui respiramos negócios, nas ruas também, é uma cidade de oportunidades, e esta é a cidade que queremos continuar crescendo, desenvolvendo, que seja uma cidade boa para todos. Quero parabenizar esta emissora, dizer que estamos sempre à disposição, continuem acreditando na cidade".

10:03

Clésio Salvaro se despede agora.

10:02

"Não é mais possível adiar soluções na saúde. As pessoas precisam de atenção agora, não amanhã. O Município tem que resolver. As mães precisam de vagas em creches. A educação não pode ser desigual. Todas as crianças precisam de merenda digna. Nossos empreendedores não podem ter insegurança pela falta de incentivos. Precisamos planejar o futuro. Nós queremos trabalhar na construção de uma cidade melhor, com uma gestão eficiente e com diálogo. Queremos uma cidade com indicadores cada vez melhores, que gere oportunidades e que as pessoas vivam bem. Um prefeito deve ser o indutor do desenvolvimento, olhar para o todo e entender como a cidade está em cada setor. Por isso, vamos focar no desenvolvimento, baseado na responsabilidade, no diálogo e na realidade, sempre ligado a uma visão de futuro", disse Minotto.

10:01

O segundo a se despedir é Rodrigo Minotto, do PDT.

10:00

"Quero dizer à cidade que Cosme Manique Barreto, bisneto de Giácomo Sônego, a família já teve um vice-prefeito, meu primo-irmão Mário Sônego. Me sinto tão criciumense como qualquer outro que aqui nasceu. Eu sou uma opção de voto, sim. Somos a diferença, somos o novo, nunca tive cargo político, minha vida foi pensar segurança, fazer a gestão de homens, de pessoas. Essa história de vida eu quero colocar à disposição de Criciúma. Queremos colocar conhecimento e gestão na prefeitura".

09:58

O primeiro a se despedir é o Coronel Cosme, do Podemos.

09:58

Adelor Lessa já encaminha os agradecimentos aos candidatos.

09:57

Começando o último bloco. O segmento final é para as despedidas de cada um dos sete candidatos.

09:52

Intervalo e, em seguida, o último bloco.

09:52

Júlia: "O concurso, eu queria que o senhor pensasse em qual país o socialismo deu certo. O Governo Federal está pensando em uma reforma administrativa, vamos aguardar, eu sempre vou seguir o que está posto no governo federal, que eu tenho como exemplo. As pessoas estão gostando, humildade acima de tudo para reconhecer as nossas fragilidade, mas não podemos viver em um mundo de ilusão. Socialismo, onde deu certo? O povo criciumense não quer o socialismo".

09:50

Éderson contrapõe. "Na tréplica talvez a candidata coloque o eixo da pergunta, o que ela pensa do concurso público. Isso desata as amarras do jogo político que vem há muitos anos na cidade e no país, pra mim trabalhar num cargo público precisa ser apadrinhado, pelo seu próprio esforço o trabalhador tomará as suas decisões. Temos ótimos profissionais. O seu governo está querendo acabar com uma empresa histórica, os Correios. As pessoas que estudaram, fizeram uma prova, estão lá por méritos e não por indicação".

09:49

"Eu não gosto de ver injustiça. O Parque Altair Guidi foi uma grande obra da gestão Altair Guidi. Foi feita uma revitalização, está bonito, mas na verdade a obra é do prefeito Altair Guidi. E essa ideia de fazer praças, parques em áreas degradadas, isso também era da época do Altair Guidi. Sobre a sua pergunta, dos servidores, tenho conversado com alguns, Temos que reconhecer erros. O prefeito é o técnico, o técnico não pode tratar mal o seu time. Da mesma forma eu penso contra os privilégios, mas penso que essas pessoas precisam se sentir em ambiente saudável e não em ambiente de submissão".

09:47

"Como você vê essa redução de salários de 30% para os servidores, o que a senhora pensa sobre os concursos públicos para a cidade".

09:47

Éderson pergunta para Júlia.

09:46

Salvaro: "A Mina Modelo recebe 500 mil visitantes por ano. O turismo é importante, faz parte, deve fazer parte de toda e qualquer proposta de governantes. Estamos debatendo a cidade, é importante saber de onde vêm os recursos, e como se buscam os recursos, como se faz gestão para investir nessas áreas. Nós faremos muito mais, não são 12 mas oito anos de governo, e não é possível fazer tudo".

09:46

Dr. Aníbal responde: "Vamos criar uma controvérsia. A idealização, busca de recursos, criação do projeto, engenheiro Cabral foi o primeiro a pensar num parque para a cidade. O senhor teve o privilégio de executar os parques".

09:44

"Nós não acreditamos no fechamento da Usina Jorge Lacerda, é uma fonte segura na geração de energia, esta não é uma preocupação. Mas nossa cidade não tem essa vocação turística. Começou no meu primeiro mandato, com o Parque das Nações, depois o Parque dos Imigrantes, os dois parques hoje são mais visitados do que mais gente vão para as unidades de saúde. Agora estamos com o Parque Altair Guidi, uma bela obra, estamos idealizando um outro. Daqui vemos o Morro Cechinel, onde vamos construir um extraordinário mirante. Podemos sim vocacionar a cidade para o turismo", diz Salvaro.

09:42

"O turismo é tido como indústria limpa. Eu queria saber quais os planos para essa importante área da cidade".

09:42

Dr. Aníbal pergunta para Clésio.

09:42

"A gente acha que há precarização do trabalho na Afasc, tem profissional com função semelhante a de professor ganhando menos que salário mínimo. Tem que desmontar, acabar com a Afasc, o Município deve gerir, isso não pode ser mais desculpa", completou Éderson.

09:41

"Não dá para chamar concurso na Afasc. Estávamos com estudo pronto para transferir para a rede municipal todas as creches da Afasc. É a desculpa dessa necessidade que transforma a Afasc em cabidão. Vamos desmontar a Afasc por dentro, quero fazer no primeiro ano, transferir todas as creches para dentro da rede municipal e chamar concurso público para todos os cargos ligados às creches, e deixar a Afasc voltar à sua vocação", finaliza Chico.

09:40

"É um cabidão para o prefeito e os vereadores, cada um tem sua parcela, hoje a Afasc é cabide de empregos do que para fazer o seu trabalho original. Uma medida que deveria ter sido tomada, inclusive o MPSC está sempre cobrando, o problema é que nossos gestores tem ideia diferente, acham que o concurso público vai trazer perda financeira para a cidade, mas é diferente disso. Para usar essas autarquias como cabides. A gente defende que prefeitura, quem assumir, é fazer um concurso público imediato para que nenhuma parte da prefeitura se torne cabide de emprego", responde Éderson.

09:38

"Uma pessoa de fora pensaria que a Afasc é um açougue. Carne pra lá, carne pra cá. Tem gente boa na Afasc, mas a Afasc é um cabidão de empregos. Qual a sua proposta para a Afasc?".

09:37

Chico pergunta para Professor Éderson.

09:37

"É pelos profissionais da saúde, também, que temos essa qualidade nos serviços", emendou Minotto.

09:37

"Queremos reduzir ainda mais o índice de mortalidade infantil para 3,4, que é o índice da Europa. Falo disso pois é o retrato de um governo que se preocupa com a vida das pessoas", responde Salvaro.

09:36

Minotto responde: "Lhe cumprimento por repassar o hospital ao Estado, a gestão pública na saúde tem que ter qualificação. Se não houver planejamento, haverá dificuldades na gestão. Investir em saúde e educação é investimento em qualidade de vida. O nosso IDH é positivo. Por isso eu acredito que nas parcerias podemos implementar um novo modelo de gestão, usando universidades, clínicas, hospitais filantrópicos, com isso melhorará muito a qualidade".

09:35

"Falava-se muito sobre o Hospital Santa Catarina, que nunca funcionava mas sangrava da tesouraria da prefeitura alguns milhões. Criciúma perdeu quase R$ 240 milhões. Fizemos uma gestão e desde 18 de dezembro de 2018 aquele hospital é gerido pelo Estado. Ali já nasceram 4,5 mil crianças, estamos com 5,87 de índice de mortalidade, e não perdemos nenhuma mãe. Por isso conquistamos também o Prêmio Prefeito Amigo da Criança. O que o senhor faria para reduzir a mortalidade infantil?".

09:34

Pode perguntar para Éderson, Júlia ou Minotto. Salvaro pergunta para Minotto.

09:33

Aníbal já foi pergunta. Nesse bloco é pergunta uma vez por candidato.

09:33

Clésio Salvaro pergunta para Dr. Aníbal.

09:33

"Queremos garantir a internet gratuita para os estudantes e pelo menos um aparelho que lhe permita navegar. Algumas pessoas podem dizer que não se tem dinheiro para isso. Vou baixar o espírito do velho Brizola. Cara é a ignorância, dizia Leonel Brizola. Diziam muito que não tinha dinheiro para fazer a transposição do Rio São Francisco, fomos lá e fizemos. Diziam que não havia dinheiro para reajustar o salário mínimo, nós reajustamos em mais de 70%. Dinheiro a gente encontra e realiza", responde Chico.

09:32

"O número de matrículas tem aumentado e o de escolas tem diminuído. Nós vamos valorizar os professores e servidores públicos. Entendemos que eles são ferramenta fundamental para transformação. Queremos promover cursos extras e parcerias permanentes. Eu penso que é fundamental a aproximação da escola com a família. A escola traz conhecimento e a família promove educação. A prioridade é implantar o maior número de escolas em período integral. No nosso governo a educação será investimento, e não gasto", responde Minotto.

09:31

"Segunda vez que respondo sobre educação, o povo está preocupado. Eu quero te dizer, Rodrigo, que nos preocupamos tanto com a educação que na nossa chapa de vereadores nós temos 15 candidatos, desses 15, sete são professores e uma é psicóloga ligada à educação. Eu penso que o gestor precisa dialogar. Ele precisa estar antenado com a população e com o servidor. O gestor não pode governar, como faz o atual prefeito, de costas para a educação, brigando com o professor. A educação precisa ser fomentada. A prioridade absoluta tem que ser fomentar a educação. É isso que pretendemos, incentivar os debates nos meios estudantis. E pelo nosso material humano poderoso, eu pretendo fomentar também a discussão e o trabalho nas secretarias de Cultura e de Esporte. O Esporte e a Cultura, que hoje estão abandonados, Criciúma em 2004 chegou em quarto lugar nos Jogos Abertos, hoje é uma vergonha. Já tivemos 8 mil pessoas ligadas ao esporte em Criciúma, hoje não tem mil. É fomentar, debater, trabalhar e unificar, cultura, esporte e educação", responde Chico.

09:29

"Educação é uma bandeira do meu partido. Com esforço, ampliamos de R$ 65 milhões para R$ 287 milhões o investimento em bolsas de estudo em Santa Catarina. Somente para a Unesc, o repasse saltou de R$ 5 milhões para R$ 15 milhões. Falando de educação básica, Criciúma hoje ocupa a posição 162 em SC em relação ao Ideb nas séries iniciais. Como mudar essa realidade?".

09:28

Minotto pergunta para Chico.

09:28

Tréplica de Aníbal: "Aqui não é Europa, mas tenho o depoimento de uma amiga minha, da Espanha, que disse que a melhor internet é para as escolas. Eles têm a qualidade do ensino como prioridade, inevitavelmente vamos aplicar projetos e recursos para chegarmos nesse caminho, nesse ponto".

09:27

Cosme tem réplica. "Realmente, é o caminho. Não tem volta, com todos os cuidados que se deve ter para uma criança estar no mundo digital. Um outro problema é construir uma cidade digital, onde se possa as pessoas terem um sinal mínimo, gratuito. Numa live que fiz com uma professora, diretora de uma escola, era o aluno em casa, o aluno de famílias carentes, que não tinha como acessar. A família não tinha condições de pagar um sinal de internet. A população carente está muito carente de várias ações públicas que a municipalidade deve fazer".

09:26

"É o caminho, tem que saber utilizar. Corre o risco de a tecnologia desumanizar muito a gente. O foco tem que ser na máquina mas também no ser humano. Isso me fez lembrar uma história de umas visitas, de um depoimento de uma mãe que por conta da pandemia a criança precisava ficar em casa, não tinha acesso à internet e retirava o material para fazer as lições em casa. Nesse material, um dos materiais era cópia em preto e branco, e uma das perguntas era quais as cores dos balões. E os balões eram todos pretos ou brancos. Isso é um sinal preocupante, de que talvez a atenção não esteja máxima no sistema educacional. Isso me entristeceu muito", diz Aníbal.

09:24

"Na prefeitura, essa utilização de internet nas escolas, as crianças terem material, qual a sua visão da digitalização dentro da prefeitura?".

09:23

Cosme pergunta para Dr. Aníbal.

09:23

Cosme: "Esse planejamento anterior, de onde colocar, o que fazer. Se não planeja a obra se torna um estorvo, não que a ciclovia seja isso. Na década de 70 eu vim estudar em Criciúma, vindo de São Bento Baixo, e tinha trabalhadores usando a Avenida Universitária de bicicleta. Nesses 40 anos nenhuma obra foi feita para esse tipo de transporte", finaliza.

09:22

"O primeiro passo para fazer qualquer coisa é trazer pessoas técnicas e comprometidas com probidade e retidão, e não lotear os cargos importantes para cabos eleitorais. E sim, vamos conseguir pensar qualquer coisa para a nossa cidade, seja ciclovia, importante, com humildade, tenho ouvido das pessoas e penso que Criciúma está sem realizar uma grande obra para a mobilidade faz muito tempo. Temos Criciúma hoje com coisas que o Altair Guidi projetou. Temos que pensar Criciúma para o futuro. Temos trânsito de cidade grande, temos sim que pensar Criciúma, e só de uma forma técnica, alinhando ideias", diz Júlia.

09:21

Júlia observa e agora responde.

09:21

Cosme responde: "Não adianta eu falar que vou colocar uma ciclovia na Centenário se no final ela pode acarretar um problema maior que uma solução. Dentro disso, vejo que temos que utilizar as inteligências que temos, temos universidades. A professora Natália, por exemplo. Trazer as pessoas para estudar a cidade. Dentro de mobilidade, deslocamento de pessoas, vai se ver o tipo de transporte que se utiliza, se é ônibus, bicicleta, é a pé. Temos que fazer toda essa análise. Não adianta dizer que vou construir isso ou aquilo. Precisamos de uma avenida inteligente. Vamos comprar o mais caro que tem? Vamos usar a inteligência daqui, temos Unesc, Satc, Esucri, o IFSC, trazer essas inteligências para discutir e construir programas, fomentando também a formação".

09:19

Júlia pergunta: "Sobre mobilidade urbana, temos que ter humildade para ouvir as pessoas. E já falando em ciclovias".

09:18

"Acho interessante essa encenação dos representantes do PT e PSDB", diz Júlia, cutucando Salvaro e Chico.

09:18

Júlia pergunta para Cosme.

09:17

Quarto bloco começando. Candidato vai perguntar para candidato. Dessa vez, um candidato só pode responder uma pergunta.

09:15

Candidatos já posicionados para a retomada do debate. Vamos para o quarto bloco.

09:12

Termina o terceiro bloco. No próximo, o quarto bloco, mais perguntas entre candidatos.

09:11

Éderson: "Nosso programa tem conselhos populares para pensar a cidade, o empresário tem um papel importante. Nós vamos ouvir todos, não meia dúzia de empresários, que delimitam o que vai ou não acontecer. Não são ouvidos os trabalhadores, por isso a nossa cidade está do jeito que está, sem empresas interessadas, cidades ao nosso redor crescem muito mais, como o Chico coloca. Existem duas Criciúmas, uma na cabeça do prefeito e outra na cabeça do cidadão", finaliza Éderson.

09:11

Aníbal: "Queria fazer um reparo, tem milhares de empresários muito trabalhadores, empresário também é trabalhador assim como o empresário. Vale para ambos. No nosso plano de governo temos 25 ações para fomentar a geração de empregos, o Programa Empreender Mais, o Criciúma Tem, Novos Distritos Econômicos, misto de indústria e serviço, uma ideia renovada do Porto Seco, e vamos criar a Casa da Economia, reunindo profissionais para pensar a cidade".

09:09

"A gente acredita que o melhor gestor é o trabalhador, aquele que sente na pele. Para gerir a cidade, trazer investimentos, ninguém melhor que o próprio trabalhador que sente na pele a falta de emprego, de renda, salário rebaixado. A gente acredita numa gestão onde tenha o compartilhamento de ideias dos profissionais de cada área. Na educação, quem vai fazer a gestão serão professores, por conselhos populares. Na saúde a mesma coisa, precisamos ouvir desde a menina da faxina até o médico que faz a cirurgia complexa. Não é com Gaeco na prefeitura, que afasta os investidores, não é com a forma que vem sendo tratada a cidade".

09:08

"Tenho um time capacitado para buscar alternativas de emprego e renda. Estamos caindo, não houve atração de investidores. Candidato, como educador, quais suas políticas públicas de geração de emprego e renda?".

09:07

Dr. Aníbal pergunta agora, para Professor Éderson.

09:07

"Não temos um setor de Planejamento. Penso que podemos fazer mais. Podemos construir um plano de mobilidade, um Plano Diretor, construindo com essas ideias, estamos estudando as possibilidades da Álvaro Catão, da Centenário, e expandir o Anel Viário. E no transporte público precisamos mudar. O trabalhador tem que ter melhores condições no uso do transporte. Temos que rediscutir a tarifa atual", responde Minotto.

09:06

Chico: "Boas propostas, deputado. Esse mistério público eu vou desvendar, se o povo de Criciúma me der essa honra. As passagens de ônibus, até eu entender o que está acontecendo, não sofrerão mais reajuste. E vou dizer mais. Eu quero registrar aqui também que no primeiro semestre de 2021 eu vou comprar uma central semafórica para fazer a onda verde na Centenário e sincronizar todas as sinaleiras. E vamos promover a mobilidade urbana além do automóvel. Criciúma será a Capital Nacional da Ciclovia".

09:05

"Eu penso, Chico, que nesse momento, no meu mandato de deputado, tenho trabalhado muito para apoiar os municípios para ampliar sua estrutura e planejamento urbano. Não podemos falar somente de mobilidade urbana, mas também de mobilidade humana. Em 40 anos dobramos a população e não investimos em estrutura. São quase 98 mil automóveis, um a cada duas pessoas na cidade. Mas por ser polo regional recebe os veículos das cidades vizinhas, o que aumenta mais a forta. Precisamos ter um planejamento de desenvolvimento urbano. Temos 35 mil crianças, 15 mil com alguma deficiência, dificuldades nas calçadas. Precisamos de um anel de contorno para ciclovias, transporte conectando transporte público e ciclovias. Criciúma tem que virar uma cidade moderna, pujante, planejada com desenvolvimento social a quatro mãos, com a sociedade civil organizada. Um governo que dialogue e escute a sociedade", diz Minotto.

09:03

"Se eu pegar meu carro e ir até o Pinheirinho, vou gastar menos de 1 litro de gasolina da Próspera até lá. Se eu for de ônibus é mais caro. Vou gastar mais do que eu gastaria indo de carro. Não tem algo estranho, deputado?".

09:02

Chico Balthazar pergunta para Rodrigo Minotto.

09:02

"Criciúma era a sexta, hoje a oitava cidade. Içara está nos passando, tem um prefeito dinâmico, que vai atrás das indústrias, desenvolveu a cidade, deu um banho, quero me congratular com o prefeito Murialdo, e como criciumense lamentar a gestão à qual estamos submetidos. Salvaro, te espelha nos administradores dinâmicos e para de trazer números para enganar Criciúma. Criciúma já sabe quem você é", responde Chico.

09:01

"Quanta bobagem", responde Salvaro. "Essa cidade da cabeça do Salvaro existe na cabeça de mais de 80% das pessoas que dizem que Criciúma está no caminho certo. Atraímos empresas, criamos a Casa do Empreendedor. Nem Parque das Nações, dos Imigrantes, da Prefeitura, nem Anel Viário, existe ação firme e determinada de um governo que faz", diz Salvaro.

09:00

"Chegamos ao poder depois de dois governos que arrasaram a cidade. Prometemos criar 10 mil empregos e cumprimos. Trabalhamos e entregamos a cidade planejada e você que veio quatro anos depois, em 2008, você ainda pegou o nosso planejamento, o planejamento que nós fizemos. Você executou o Parque das Nações, executou pelo Estado a Via Expressa, um pré-projeto nosso, e o Anel Viário. Esses números que você traz para enganar as pessoas não me movem, Salvaro. Eu tenho a consciência tranquila de que o governo Décio foi o melhor da nossa história", diz Chico.

08:59

Chico responde. "Temos duas Criciúma aqui, uma que só existe na cabeça do Salvaro. Eu também sou de Siderópolis. Temos essa afinidade pessoal. O governo Décio foi, na minha opinião, um grande governo, planejador da cidade".

08:58

"Quando pedi para perguntarem para mim, é para discutir a Criciúma real, não essa fantasiosa que alguns vendem. Claro que precisamos fazer muito mais, temos que trabalhar, a cidade está sempre em movimento. A minha pergunta, para o Chico: a imagem de Criciúma lá fora, por décadas, foi vendida como uma cidade de muitas greves, o que prejudicou o desenvolvimento da cidade. Estamos recuperando isso. Em 2001 a 2004, quando você ocupou cargo estratégico na prefeitura do PT, nesse período apenas 1,5 mil empresas se instalaram na cidade. Nesse governo, 1,6 mil empresas. O que você faria de diferente?".

08:57

Salvaro pergunta para Chico Balthazar.

08:57

Júlia: "Mas para isso você não pode estar filiado em partido contra empregos, que faz parte do Foro de São Paulo, enfim. Precisamosl, para tudo isso, de uma gestão transparente, eficiente, técnica, tirar a questão política de dentro da prefeitura, botar nos cargos-chave pessoas técnicas, comprometidas, claro que alinhadas às minhas ideias, mas comprometidas com os criciumenses e não serviçais de um grupo político. Isso é preocupante, não adianta fechar os olhos, tem gente que precisa de mais humildade, não estamos vivendo em Dubai, temos problemas em Criciúma".

08:56

"Precisamos ter uma economia forte. Fixar as empresas daqui e vender a nossa cidade e seus produtos para outros lugares. Precisamos atualizar o Plano Diretor que permita o crescimento da cidade. Descentralizar o comércio nos bairros, unir as entidades, Acic, Forcri, as universidades, escolas técnicas, CDL, juntar todo esse conhecimento. Precisamos que essas cabeças possam dialogar conosco", diz Minotto.

08:55

"Criciúma precisa ser governada para todos, berço de emprego, e para isso precisamos que os empreendedores, as grandes indústrias tenham confiança no município", responde Júlia, que cita o Porto Seco. "Muitos não gostam de política, mas tudo passa por política, tudo o que acontece e não acontece é por falta de vontade política. Temos que ter um gestor comprometido com os empregos, o emprego é o melhor programa social que pode existir".

08:54

Clésio Salvaro ainda não foi questionado nesse bloco.

08:53

"Criciúma tem 217 mil habitantes, o número de beneficiados pelo Bolsa Família chega a 5% da população, 10% da população em risco social. Indústria representa 26% da economia. Temos que atrair investimentos. Porque tantos empreendimentos têm vindo para o sul e evitado Criciúma?", pergunta Rodrigo.

08:53

Minotto pergunta para Júlia.

08:52

Chico: "Eu gostaria de dizer que nós temos 20 mil estudantes na rede municipal. E apenas 2,6 mil, na realidade de hoje, estão em escola integral. Chega a 13%, são seis ou sete escolas em regime integral. Vamos aprofundar. Claro que não pode ser de fora para dentro. A escola tem que sentir essa necessidade, os professores precisam estar de acordo com a proposta, e mais do que isso, os pais e alunos precisam estar também sintonizados conosco para transformar a educação atual em educação em tempo integral".

08:51

Cosme: "A valorização do professor tem que existir, e também a integralidade da sala de aula, da escola. Você chega de amanhã e fica até a tarde. Quanto mais tempo tirarmos aquela criança das ruas, melhor".

08:50

"A internet veio para ficar, não tem como educar sem internet. Vamos garantir internet gratuita para todos os estudantes da rede municipal de ensino, e vamos garantir também um aparelho, que pode ser um PC ou um tablet, vamos estudar a viabilidade, e permita dar acesso a todos os estudantes, membros de famílias necessitadas. Vamos investir muito na educação".

08:49

Chico responde. "A educação é a base de tudo, tudo tem a ver com a educação, tudo começa com a educação. Nós sete, que estamos aqui postulando o direito de administrar a cidade. Teremos como material humano um fabuloso material composto por crianças e por professores, diretores. Nós precisamos ouvir essas pessoas, trabalhar muito para ouvir os professores. O que se vê em Criciúma hoje, em plena pandemia, o prefeito que nos governa há mais de 12 anos, inclusive retira direitos dos professores. Temos que valorizar o professor".

08:48

"Qual a sua visão do Ensino Fundamental, a base, como fazer para que a gente mude as crianças da cidade e com isso mude o IDH da cidade".

08:48

Agora Coronel Cosme pergunta para Chico Balthazar.

08:48

Aníbal: "Tem o patriotismo, mas também o amor à cidade, no contraturno, para formar cidadãos do futuro. Quero também deixar uma mensagem clara, temos que gerir com educação o educador. O educador tem que ser inspirado no modelo japonês, onde é o único profissional que não se curva ao Imperador, tamanha importância que o professor tem. Devemos criar essa condição favorável para o professor que é um segundo pai dos nossos filhos".

08:47

"Tem um vídeo de 27 de março que pedi a gestores para seguir Bolsonaro", responde Júlia. "Na verdade eles aproveitaram para debochar. Sobre a Escola Cívico Militar, é uma bandeira, temos que colocar o amor à pátria no coração das crianças, tem resultados muito interessantes, os modelos de Escola que acompanhamos, eu estive no Ministério da Educação e Criciúma cumpre todos os requisitos, porém o Município não se inscreveu no prazo, mas isso vai acontecer", completa Júlia.

08:46

"Pode dar resultados interessantes sim. Temos o inverso, um modelo de escola inspirado numa italiana que também produz grandes resultados, eles fazem um método muito humanizado, um pouco fora do padrão com ótimos resultados, mas não deixa de ser, para grupos específicos, uma ideia interessante", diz Aníbal.

08:45

"Não deixa de ser interessante. Eu fui militar", responde Aníbal.

08:45

"O presidente falou desde março. Eu teria seguido todas as orientações dele desde o início. A minha grande bandeira é trazer uma Escola Cívico Militar para Criciúma. O que você pensa disso?".

08:44

"Quem falou gripezinha foi o Dráuzio Varella", ponderou Júlia.

08:44

Júlia Zanatta pergunta para Aníbal.

08:44

"É fácil falar agora, né prefeito, mas se houvesse estímulo maior para testar todos os criciumenses, teríamos feito um grande investimento. Esse erro foi cometido, mas que sirva de exemplo", finaliza Minotto.

08:44

Éderson replica. "Nós vimos esses três trapalhões como uma catástrofe. Um faz chacota, dizendo que é gripezinha, outro toma uma medida a princípio muito à frente dos outros governadores mas em seguida afrouxa a corda pela pressão da Fiesc, e aqui na cidade não é diferente. O prefeito abre em um momento onde o número elevado de mortes, o prefeito luta para abrir comércio, transporte público, são verdadeiros trapalhões, enquanto isso as pessoas estão morrendo. Teria que ter mantido a quarentena até achar vacina".

08:42

"Essa pandemia afetou o CNPJ e o CPF de muitas pessoas. Perdemos mais de 130 mil pessoas que faleceram pelo Covid. Esse é o momento da demonstração do grande gestor, eu acredito que as medidas de proteção à saúde devem ser tomadas imediatamente. O isolamento social é fundamental, mas para isso o gestor tem que ter oportunidade de dar emprego e renda, e os empregadores precisam de garantias de que não haverá fechamento das empresas. Fazendo uma análise georreferencial de todos os infectados, fazer o devido isolamento e o devido tratamento, com certeza podemos diminuir e muito o número de óbitos", diz Minotto. "Tem que quer austeridade, autoridade e muita confiança no que faz".

08:41

"Como o Salvaro está com ego elevado, vou perguntar para o Rodrigo Minotto. Rodrigo, como você avalia o desempenho dos nossos gestores durante a pandemia, e o que teria feito de diferente?"

08:40

Professor Éderson faz a primeira pergunta.

08:40

Bloco de pergunta de candidato para candidato.

08:39

Clésio Salvaro conversa com seu vice, Ricardo Fabris.

08:39

Chico Balthazar com a assessoria de Laércio Silva.

08:38

Coronel Cosme troca uma ideia com Paulo César Vargas, presidente do Podemos.

08:38

Júlia Zanatta conversa com Guilherme Colombo.

08:38

Rodrigo Minotto e Professor Éderson durante o intervalo.

08:37

Dr. Aníbal e Lisi Tuon conversando no intervalo.

08:37
08:34

Intervalo agora, em seguida o terceiro bloco. Candidato vai perguntar para candidato.

08:34

Adelor Lessa no comando do debate da Som Maior e 4oito. 

08:33

"A Unesc estava em situação delicada, e por ação do governo da União, do ministro Fernando Haddad, este problema foi resolvido, a Unesc saiu da situação difícil que estava e por conta disso ele recebeu o título de Doutor Honoris Causa da Unesc. A Unesc será uma parceira, incentivará sempre, pela tecnologia, o fomento em Criciúma", finaliza.

08:32

"Eu estudei na Satc durante todo o primeiro e segundo graus. Ali do lado da Satc existia a Fecesc, Fundação Educacional de Criciúma, que eram quatro ou cinco salinhas, isso lá nos anos 60, 70. Era um sonho, viu reitora, era um sonho que Criciúma tivesse um crescimento universitário. E hoje a gente está vendo a Unesc pujante, nos orgulhando, mas nem sempre foi assim".

08:31

"Defender a Unesc é fortalecer o desenvolvimento da nossa cidade. Como o candidato pretende preservar este patrimônio social e intelectual de nossa Criciúma?".

08:31

A reitora da Unesc, Luciane Ceretta, pergunta agora.

08:30

"Lá no CTG, no Verdinho, vai sair uma nova área industrial. Criciúma não pode parar, a indústria traz dinheiro novo, acreditamos muito no potencial da nossa cidade", finaliza o prefeito.

08:30

"Temos investido muito, atraindo empresas, apostando e investindo nas empresas que aqui temos, não é por pouco que Criciúma, em 2019, só ficou atrás de Itajaí no desenvolvimento. Alguns empresários ficam falando da cidade mas acreditam nela. É preciso ver o que há nas outras cidades do nosso porte. Estamos pavimentando o Distrito Industrial do Rio Maina, para 18 ou 19 empresas, quase R$ 4 milhões investidos. Pavimentando toda a área industrial do Loteamento Cizeski, vai gerar mais de R$ 1 bi de valor adicionado, onde mais nove ou dez empresas vão se instalar".

08:29

"Eu quero me colocar à disposição de todos para a gente debater a cidade de forma coerente e adequada", diz Salvaro.

08:28

"O que o candidato, se eleito, pretende fazer para mudar esse quadro da atração de empresas?".

08:28
08:28

Clésio Salvaro responde.

08:28

Moacir Dagostin, presidente da Acic, pergunta agora.

08:28

"Precisamos gerar empregos de qualidade, e por isso temos entidades parceiras importantes, como Unesc, Acic, CDL, queremos fazer um governo com diálogo com todos os setores", finaliza o candidato do PDT.

08:27

"O Plano de Desenvolvimento Econômico é fundamental para o futuro. Tem que ter continuidade, como foi feito em Maringá, todos os próximos gestores tem compromisso de firmar o que está escrito lá. Além de atrair, vender Criciúma para o Brasil e Mundo, assim dizia o ex-governador Luiz Henrique, trazer novos investimentos. Precisamos buscar tecnologia, inovação, trabalho, renda, é disso que as pessoas precisam. Precisamos dar valor agregado ao salário do trabalhador", diz Minotto.

08:27

VÍDEO: No segundo bloco do debate, perguntas de entidades e empresários. Doutor Aníbal (MDB), foi o primeiro a responder. 

08:26

"É importante, todos nós sabemos, seja na vida pública ou privada, precisamos de planejamento. Não há resultado sem planejamento. Precisamos fazer um plano de desenvolvimento social e econômico. Nada se faz sem isso bem definido. Comércio e serviço representam 58% da nossa economia, a indústria, muito menos. Criciúma tem que se tornar um novo polo novamente, também pelo comércio e serviços".

08:26

"Se eleito, quais as ações para que nós pudéssemos fazer o processo inverso, de reindustrializar Criciúma".

08:25

Rodrigo Minotto vai responder.

08:25

Empresário Alexandro Willemann da Silva, o Alexandro Delupo, pergunta agora.

08:24

"Com inteligência nos semáforos nós vamos melhorar essa situação", completa Cosme.

08:24

"Temos que analisar o volume de trânsito, temos que ter uma Avenida Centenário inteligente, com onda verde. Até pouco tempo atrás estive em Caxias do Sul e vi lá uma onda verde. A gente via que havia uma programação de abertura dos semáforos, como também hoje a tecnologia que existe para a gente fazer a leitura de veículos, de quantidade de tráfego em cada sentido, que você possa trabalhar. Às vezes um determinado sentido tem maior fluxo, e no fim da tarde é no sentido inverso", diz Cosme.

08:23

Ele cita obras estruturantes do passado, como a Avenida Centenário.

08:23

Cosme responde.

08:22

"Muito se fala em melhorias na mobilidade, e essa situação só se agrava. O incentivo ao uso do transporte urbano, oferecendo conforto ao usuário aparece apenas num futuro muito distante. Coisa de ficção. Como tratar esse problema?".

08:21

Agora pergunta o empresário Ricardo Brandão, presidente da Brametal, ao candidato Coronel Cosme.

08:21

"Temos que gerir a saúde para as pessoas. Uma gestante ter que esperar o tempo da gravidez para um ultrassom, é porque tem problema. Não podemos fechar os olhos. É momento de pensar na liberdade, é o caminho da prosperidade. Nós pretendemos libertar os criciumenses de um grupo que faz hoje da prefeitura um balcão de negócios, tem que ser gerida com transparência e eficiência", finaliza Júlia.

08:20

"Não sei em qual realidade vivem alguns candidatos, falando em gestão desastrosa do Brasil, o governo do Brasil é o melhor da nossa história. Eu como mãe tenho uma filha de 9 meses, a Helena, eu não posso admitir que uma mãe vá até uma UBS, uma gestante, para fazer um ultrassom de início de gravidez, e tenha que esperar oito meses. Ou seja, tem que pagar do bolso, pois se esperar o tempo que a UBS diz que ela tem que esperar, a criança já nasceu. Isso é inadmissível. A saúde não é só fazer obras, temos que pensar nas pessoas", diz Júlia.

08:19

Júlia Zanatta responde.

08:19

"A cidade tem uma situação confortável em relação à saúde, na atenção primária. Há um gargalo nos intermediários, com tempo para fazer, acaba formando filas. Alguns exames, cirurgias de média complexidade e algumas especialidades. Isso acontece por duas razões, a baixa remuneração dos profissionais e das instituições para realizar esses procedimentos. Qual a proposta para isso diminuir?"

08:18

O médico Leandro Avany Nunes, presidente da Unimed Criciúma, pergunta agora.

08:18

"Para Criciúma voltar a crescer falta uma gestão que precisa ser melhorada. Criciúma tem hoje um alto índice de desemprego, por conta das empresas e indústrias que vêm em nível nacional com a política desastrosa do atual Governo Federal e estadual, e acabam se batendo aqui no Município. Precisa abrir as portas para o empresariado vir até Criciúma", diz Éderson.

08:17

Agora quem pergunta é o empresário Édio Castanhel. "Criciúma lidera a região sul. É sabido que estamos na região com menor crescimento em SC. Qual sua proposta para acelerar o crescimento da cidade?".

08:17

"Temos que aplicar taxas e programas de incentivo que sejam justos com as empresas e trabalhadores, sem agredir nem comprometer as finanças públicas. Temos que qualificar mão de obra, investir em capital humano. Temos duas empresas da cidade que sofrem com falta de mão de obra específica. Um empresário mostrou um salão enorme, vazio, se tivesse mão de obra o salão estaria cheio. Nossa cidade tem 8 mil famílias em alto risco econômico e temos empresas com tantas vagas por falta de mão de obra. Educação é fundamental para isso", completa Aníbal.

08:16

"Temos que criar um ambiente positivo, investir em educação, temos que entender o que as empresas da cidade precisam para se desenvolver, e temos que entender o que as empresas de fora precisam para vir para Criciúma", diz Aníbal.

08:15

"Eu gostaria de saber a opinião do candidato: o que ele pretende fazer para melhorar a geração de empregos e renda e o que pretende fazer para atrair empresas?".

08:14

Empresário José Augusto Fretta, presidente do Grupo Angeloni, pergunta para Dr. Aníbal (MDB).

08:14

Começam as perguntas do segundo bloco.

08:14

Jornalista Adelor Lessa conduz os trabalhos.

08:13

Candidatos vão responder a perguntas de entidades e empresários de Criciúma.

08:13

Vem aí o segundo bloco do debate da Som Maior e do 4oito.

08:12

Quer assistir ao vivo o debate da Som Maior? Acesse a transmissão em vídeo clicando aqui.

08:08

Intervalo.

08:08

Salvaro finaliza a resposta.

08:08

"Para chegar e sair de Florianópolis, Porto Alegre, Joinville, Itajaí. Temos gargalos, temos. Estamos investindo milhões de reais, e daí vai a capacidade de pagamento, parece que a cidade está endividada. Esteve endividada. Hoje a cidade oferece a melhor condição de pagamento, apenas três cidades do Brasil acessaram recursos do Fonplata, Criciúma foi uma delas".

08:07

"Aqui não é terra arrasada, é terra boa para investir. Sobre a mobilidade urbana, é próprio de uma cidade que cresce, que gera emprego, renda e que vê sua população aumentando a cada dia, por isso temos alguns problemas de mobilidade. Mas qual cidade grande que não tem problemas?".

08:07

Salvaro responde.

08:06

"O tema mobilidade urbana está em destaque, e ganhou maior foco com acidentes recentes. Quais os projetos e planos para a mobilidade urbana de Criciúma", questiona Marciano.

08:06

Quem pergunta é o jornalista Marciano Bortolin. Quem responde, Clésio Salvaro.

08:06

"A gestão tem que ser eficiente. Você leva muitos dias para abrir a empresa, temos que ter uma gestão qualificada. O nosso conceito é fazer uma gestão eficiente, transparente, onde as pessoas tenham o prazer de ir ao Paço buscar as informações que desejam", diz Minotto.

08:05

Minotto está respondendo.

08:05

"Em nível de Brasil viemos de uma eleição de Bolsonaro, tendo por motivo também a menor interferência do Estado. A minha pergunta é sobre desburocratização municipal, se os senhores possuem medida concreta para implementar e facilitar a vida do cidadão criciumense. A retirada de um alvará, a abertura de uma empresa, economizando tempo e dinheiro", pergunta Pity.

08:04

Agora quem pergunta é a jornalista Pity Búrigo. Quem responde é Rodrigo Minotto.

08:04

"Temos que estimular essas crianças a, no contraturno, ter ações. A partir do momento em que interiorizarmos ações de cultura, na dança, na música, na arte, e dar oportunidade a essas crianças para estarem ocupadas o dia todo, tipo uma escola integral e lá ter os programas de cultura, não só ali no Centro, 90% dos que moram no Centro têm condições de pagar um curso de dança, uma aula de música, de pintura. E a criança da periferia?", diz Cosme.

08:03

"Temos que ter o cuidado de trazer grandes espetáculos, palestras que movimentam a cidade. Hoje eu vejo que a cultura é tratada com algumas crianças com papel crepom, só na área central, ali no Centro Cultural. Onde as crianças da periferia não chegam. Nós temos que inverter esse processo, temos que interiorizar ações de cultura, jogar na periferia vários projetos".

08:02

Pergunta feita, Cosme responde.

08:02

"Já participei da municipalidade em outra ocasião, quando foi criada a Fundação Cultural, e eu fui o seu primeiro presidente. Gostaria de saber do candidato, com relação à Cultura em nosso município, quais seriam as suas prioridades tendo em vista que na ocasião em que presidi a FCC deixamos 26 projetos diferentes para serem executados, desde Memorial da Cidade, Biblioteca Municipal Donatila Borba, pinacoteca, centro cultura, teatro Elias Angeloni, oficinas de artes, dança e música, artes plásticas, Galeria de Arte da FCC. Gostaria de saber quais seriam as prioridades do candidato na área da cultura".

08:00

Henrique Packter pergunta agora. Coronel Cosme responde.

08:00

"Estamos há mais de vinte meses sem denúncia de corrupção no Governo Federal", finaliza.

08:00

"Dia 1 de janeiro de 2021, quando eu estiver na prefeitura, é exorcizar a corrupção. Depois vamos recuperar a confiança do criciumense e também do investidor. Queremos estender um tapete vermelho para quem quer empreender na cidade, queremos incentivar o empreendedorismo e recuperar a confiança do investidor, para que a gente volte aos tempos em que Criciúma brilhava no Estado. Hoje somos a oitava economia, temos que recuperar a confiança, temos que governar para todos, os empresários, os empregos, para isso gerar confiança. O empresário olha para Criciúma e vê Gaeco na prefeitura, vê questões de corrupção, ele não se sente seguro para investir".

07:59

Júlia Zanatta (PL) responde.

07:58

"Criciúma já teve destaque com suas indústrias. Mas não temos mais a pujança que já tivemos. Como você pretende transformar Criciúma novamente em um terreno mais atraente para os empreendedores de fora?", questiona Arthur.

07:58

Arthur Lessa pergunta agora.

07:57

"É mais fácil entrar na vida do crime do que fazer um curso. A gestão pública vem falhando há muito tempo com relação à política de assistência social nas comunidades carentes, tendo em vista a grande quantidade de crimes. A juventude carece, o gestor precisa fazer investimentos lá na base", diz Éderson.

07:56

"Eu que venho de uma comunidade carente, bairro Nova Esperança, conhecemos a segurança. Quando se tem ociosidade dos nossos jovens, é uma porta aberta para o crime. A criança, jovem, adolescente entram no crime por falta de um projeto social. Hoje a nossa cidade carece desses projetos".

07:56

A pergunta é sobre segurança pública. "O crime deve ser prevenido. Todo esse trabalho obtém melhor ou pior resultado dependendo da atuação do poder público local em quatro eixos principais que fazem parte da etapa primária de prevenção, infra, saúde, social e educação. Candidato, escolha um desses eixos e aponte um projeto que possa impactar na redução do índice de criminalidade".

07:55

Agora a pergunta é do Coronel Márcio Cabral. Quem responde é Éderson da Silva (PSTU).

07:54

"Precisamos trazer empresas e investidores. Temos uma área importante que não foi concluída, me parece que por falta de recursos. Não é um valor tão significativo para fazer os investimentos. Então isso tudo mostra porque talvez a saúde esteja sofrendo", finaliza Aníbal.

07:54

"É um tema importante. Notícias apontam para um nível de endividamento importante, considerável. O programa de asfaltamento da cidade gerará uma dívida futura, a nossa previdência pública, Criciumaprev, gera também uma necessidade de um aporte público importante, significativo. Temos uma situação relativamente precária no sentido de ter condições de novos investimentos, talvez por isso a cidade não esteja tão atrativa para investidores, programas de incentivo também estão faltando".

07:52

Aníbal responde.

07:52

"Uma questão recorrente nas discussões sobre o futuro é o endividamento do município. Quanto está comprometido e quando pode se comprometer. O atual estágio é de seu conhecimento? Estamos no azul ou no vermelho?", pergunta Denis.

07:52

Agora a pergunta do jornalista Denis Luciano. Quem vai responder é Dr. Aníbal, do MDB.

07:52

"Nós vamos encontrar um terreno nas proximidades e vamos construir uma policlínica. Eram nove andares onde era o pátio de máquinas, vamos construir em um só lugar com todas as especialidades para atender bem a população".

07:51

Responde Chico, do PT. "No final do governo Décio Góes, que sofreu um golpe jurídico e não conseguiu cumprir o seu segundo mandato, nós tínhamos o estudo preparado, pronto, para construir uma Policlínica onde era o pátio de máquinas, na Centenário".

07:50

Dois minutos para as respostas. Chico Balthazar é o primeiro a responder.

07:49

A pergunta é do médico Renato Matos.

07:49

Adelor Lessa explica a rodada de agora.

07:49

Finalizada a rodada. Agora, perguntas de colunistas e jornalistas da Som Maior e 4oito para os candidatos.

07:49

"Nos últimos dois anos destinamos quase R$ 2 milhões para a saúde. Precisamos qualificar as parcerias e a gestão, parcerias com entidades para oportunizar a todo criciumense uma melhor qualidade de vida, uma cidade mais humana, que seja próspera. Entendo que a gestão deve ser qualificada para a gente trazer resultados".

07:48

"Sou natural de Criciúma, tenho 47 anos, sou casado e tenho duas filhas, sou formado em Administração e Direito, estou cumprindo meu segundo mandato na Alesc, que também tem dado atenção à saúde".

07:47

Minotto se apresenta, fala do seu mandato na Alesc e elogia seu vice, o cantor Neguinho.

07:47

Agora fala Rodrigo Minotto (PDT).

07:47

"A necessidade é fazer gestão", frisa.

07:47

"Criciúma tem mais postos de saúde que Joinville. Se vê o que está faltando na saúde pública de Criciúma é gestão, gestão do todo. Há pouco tempo, eu tenho um cunhado com câncer, levei ele para um tratamento dentário em um posto, havia goteiras no posto. Em outro posto, fui me vacinar, móveis antigos, pessoas com imagem negativa, é isso que a gente tem que fazer, de dentro para fora, fazer um estudo, ter conhecimento, a quantidade de pessoas com necessidades de consulta, ter conhecimento para estabelecer uma ação", diz Cosme.

07:46

"A PM, há 37 anos quando entrei nela, tinha um efetivo de 13 mil homens. Hoje não chega a 10 mil, e a população catarinense tem 7 milhões. Como a gente consegue trabalhar com segurança pública e apresentar um excelente resultado? Fazendo gestão com tecnologia e é isso que está faltando na saúde de Criciúma".

07:45

Fala agora o Coronel Cosme, do Podemos.

07:45

"As pessoas estão sem o tratamento precoce, respeitando a autonomia médica, mas é função do gestor público sim disponibilizar os medicamentos. Tem muito mais a ser feito na saúde, é uma questão de vontade política. Saúde não é só fazer obras, é cuidar das pessoas".

07:44

"Na saúde, a pandemia não é justificativa para essa fila que estamos falando, de 15 mil pessoas, tenho recebido relatos de pessoas que estão com falta de medicamentos, principalmente agora".

07:44

"Sou a única candidata de direita, o direto à livre expressão, tenho Deus, pátria e família no coração. Eu desejo ver Criciúma livre, a liberdade é o caminho da prosperidade".

07:43

Candidata Júlia Zanatta (PL) falando agora.

07:43

"Não podemos dizer que não foi investido, basta ver o número de parques, que previnem, mas teria que ter acontecido outras ações. Nosso programa foi de emergência, que acabamos editando agora, nesse processo de pandemia, a gente tem algumas propostas para a cidade, como a ampliação do programa de saúde da família em todos os bairros, construção de unidades de saúde nas comunidades que ainda não possuem atendimento, uma UPA na Santa Luzia e no Rio Maina, fim do atendimento privado no Hospital São José, a saúde não é mercadoria, ampliação dos centros de dependentes químicos", diz Éderson.

07:42

"É um prazer estar aqui divulgando um programa socialista, totalmente diferente, uma alternativa para a cidade. A saúde de Criciúma está um caos. É consenso que não é de hoje. Não podemos colocar a culpa na pandemia".

07:41

Está falando o Professor Éderson, do PSTU.

07:41

Fechou o tempo de Aníbal. Agora, Éderson.

07:41

"Nosso principal objetivo é eliminar essa fila, com ações em duas pontas. Elevaremos a dinâmica do sistema, em atendimento e organização. Humanizando, cuidar de quem cuida do cidadão e que são muitas vezes injustiçados, valorizando as pessoas. No nosso plano de governo temos 36 ações voltadas para a saúde, algumas inovadoras, refiro-me ao Centro Especializado em Cuidados Específicos".

07:40

"A pandemia só piorou a situação. Ainda apresentamos essa fila descabida há mais de 15 anos. Precisava de ao menos 25 giga de memória para tratar do sofrimento das pessoas. Nosso jornal diário, o TN, anunciou essa fila de 15 mil pessoas nas cirurgias eletivas. É uma nítida e longa falta de ações que promovam a saúde".

07:39

Dr. Aníbal: "Sou idealizador de alguns projetos como o Viva Melhor, voltado para a saúde. Me preocupo com a cidade há muito tempo. Que a cidade seja a grande vencedora".

07:39

Candidato do MDB se apresenta e responde a pergunta sobre saúde.

07:38

Agora fala Dr. Aníbal (MDB).

07:38

Terminou o tempo do candidato petista.

07:38

"Considero que a saúde de Criciúma está abandonada. Temos fila de 15 mil pessoas para cirurgias eletivas. Pretendemos investir em prevenção. Criciúma tem 80% de cobertura da atenção básica para prevenção. Florianópolis e Içara cobrem 100% em atenção básica. Não temos ainda pois falta vontade política ao prefeito que nos governa no seu esquema político há doze anos", diz Balthazar.

07:37

"Estamos começando essa jornada democrática. Já ocorreram no país mais de 130 mil óbitos por conta de uma pandemia. Quero expressar minha solidariedade às famílias das vítimas e aos profissionais da saúde. Manifesto minha firme indignação por saber que o negacionismo científico é responsável por mortes".

07:37

Chico Balthazar está se apresentando agora. "Sou advogado trabalhista há mais de trinta anos", diz.

07:36

Agora fala Chico Balthazar (PT).

07:36

"Muito foi feito. Construímos uma UPA que atende 120 mil pessoas, uma segunda UPA está sendo construída no Rio Maina, e todas as ações da saúde", completou Salvaro.

07:36

Salvaro lembra as ausências das pessoas em consultas agendadas.

07:35

"Claro que temos muito o que fazer. Com relação aos exames, também nós temos todos os exames zerados, ninguém aguarda na fila de espera para fazer exames. É bom que entre nós tenha um candidato que é médico, o debate vai nos proporcionar esclarecer de forma verdadeira os assuntos".

07:35

"Em qualquer pesquisa a saúde aparece entre as prioridades. A falta de medicamento, asseguro a todos que em momento algum falta qualquer tipo de medicamento em qualquer UBS".

07:34

"Se depender de mim farei um debate propositivo", diz Salvaro.

07:34

Primeiro a responder é Clésio Salvaro.

07:34

"Diante disso, pergunto: saúde está como prioridade. Se fizer as contas, deu 47,36% falando em saúde, por aqui, por ali. Direto ao ponto: o que pode ser feito para atender melhor o cidadão contribuinte, a ponto de reduzir esse índice, praticamente metade dos entrevistados citou saúde. O que pode ser feito para garantir um atendimento melhor para o cidadão contribuinte em relação à saúde", questionou Lessa.

07:33

"A Som Maior fez pesquisa perguntando a prioridade para o próximo prefeito. As respostas espontâneas, as pessoas disseram o que estava na cabeça, deram inúmeras respostas sobre saúde", diz Adelor Lessa, citando números.

07:32

Aí estão os assessores.

07:32

Adelor Lessa encaminha a primeira pergunta para todos os candidatos. Cada um terá dois minutos para responder.

07:31

Adelor Lessa reforça as regras do debate.

07:31

Jornalista Adelor Lessa repassa as últimas orientações.

07:30

A vinheta na Som Maior anuncia.

07:30

Vai começar!

07:28

Começa em seguida o debate da Som Maior.

07:27

Rodrigo Minotto na sua posição. Em instantes começa o debate.

07:25

Professor Éderson é o candidato do PSTU.

07:25

Coronel Cosme também presente.

07:25

Todos os candidatos já sentados.

07:25

Clésio Salvaro no seu espaço para o debate.

07:24

Chico Balthazar posicionado.

07:24

Júlia Zanatta na sua posição.

07:24

Dr. Aníbal já posicionado na sua mesa.

07:23

Minotto, Salvaro e Aníbal.

07:23

Em sete minutos começa o debate.

07:23

Os sete candidatos lado a lado, acompanhando as orientações do apresentador Adelor Lessa.

07:23

Minotto, Salvaro e Júlia atentos. Debate começa em seguida.

07:22

Mais um momento do sorteio.

07:22

Salvaro, Chico, Anibal, Ederson, Júlia, Cosme e Minotto é a ordem dos candidatos conforme as mesas. Todos os candidatos dão bom dia no ar agora, antes do intervalo. Em seguida começa o debate.

07:21

Os candidatos reunidos antes do sorteio.

07:21

Cada um está procurando seu assento agora, conforme o número sorteado.

07:21

Coronel Cosme tira seu número. Minotto, Clésio, Júlia, Chico, Aníbal e Ederson também.

07:21

Nesse momento, Adelor Lessa faz os sorteios da ordem dos candidatos nas mesas.

07:20

José Augustuo Fretta (presidente do Grupo Angeloni), Édio Castanhel (empresário), Leandro Avany Nunes (médico, presidente da Unimed Criciúma), Ricardo Brandão (empresário, Brametal), Alexandro Willemann (empresário, Delupo), Moacir Dagostin (presidente da Acic) e Luciane Ceretta (reitora da Unesc) farão as perguntas em nome do setor produtivo da cidade.

07:19

Renato Matos, Denis Luciano, Coronel Márcio Cabral, Arthur Lessa, Henrique Packter, Pity Búrigo e Marciano Bortolin farão, na ordem, nas perguntas da Som Maior e 4oito.

07:19

Três candidatos reunidos: Dr. Aníbal (MDB), Chico Balthazar (PT) e Coronel Cosme (Podemos).

07:18

Os sete candidatos já estão presentes. Eles são chamados por Adelor Lessa. Serão cinco blocos no debate, e o apresentador explica agora.

07:18

Quer saber mais das regras do debate da Som Maior e 4oito? Clique aqui e confira.

07:16

Júlia Zanatta (PL) está acompanhada do seu marido, Gulherme Colombo, que chegou a ser cogitado para concorrer a vice-prefeito. Ao fim, o vice é Allison Pires (PSL).

07:15

Moisés teve 33 votos pelo seu afastamento, seis a favor dele e uma abstenção. Na foto, o deputado Vampiro dando o seu voto, pelo impeachment.

07:15

Moacir Pereira fala agora na Som Maior sobre o impeachment de Carlos Moisés.

07:14

Adelor Lessa está no ar conduzindo as primeiras informações do dia. O debate começa às 7h30min.

07:14

Candidatos já aguardando o começo do debate daqui a 17 minutos.

07:13

Petista Chico Balthazar chegou. Ao fundo. Salvaro e Ricardo Fabris.

07:12

Agora, na Som Maior, Márcio Sônego atualiza a previsão do tempo. "Está bem nublado", destaca.

07:11

Os candidatos estarão identificados nas mesas.

07:10

Quarto bloco, candidato para candidato de novo. Quinto bloco, despedidas.

07:10

Terceiro bloco, uma rodada de perguntas de candidato para candidato, um minuto para perguntar, dois para responder, um para réplica e um para tréplica. Cada candidato poderá ser perguntado mais de uma vez.

07:09

Segundo bloco, perguntas de representantes de entidades e do setor produtivo. Uma pergunta por candidato, que terá dois minutos para responder.

07:09

Ainda no primeiro bloco, perguntas de jornalistas e colunistas da Som Maior e 4oito. Uma pergunta por candidato, que terá dois minutos para responder.

07:08

As regras do debate da Som Maior e 4oito:

Primeiro bloco: apresentação, cada candidato terá dois minutos para se apresentar e responder a uma pergunta definida pela produção e feita pelo apresentador Adelor Lessa.

07:07

"Aqui no debate serão tratadas as questões mais importantes da cidade", lembrou Lessa.

07:07

Adelor Lessa no ar apresenta as primeiras informações.

07:07

Dr. Aníbal (MDB) chegou com a vice Lisi Tuon (DEM). No detalhe na mesma foto o candidato Rodrigo Minotto (PDT).

07:06

Clésio Salvaro acompanhado do vice Ricardo Fabris (PSD) já nos altos do Due Fratelli.

07:06

São sete mesas, uma para cada candidato. Onde cada um sentará? Será definido por sorteio em seguida.

07:05

Cada candidato estará identificado em sua mesa. O debate será apresentado por Adelor Lessa dos altos do Edifício Due Fratelli.

07:05

Já chegaram na Som Maior os candidatos Clésio Salvaro (PSDB), Dr. Aníbal (MDB) e Rodrigo Minotto (PDT).

07:03

Hoje ainda é dia de repercussão do impeachment do governador Carlos Moisés, aprovado por 33 votos, e da vice Daniela Reinehr, avalizado por 32 votos. Eles ainda não estão afastados. Daniela esteve ontem na Alesc.

07:01

O jornalista Adelor Lessa está, neste momento, abrindo a cobertura ao vivo na Som Maior. Confira!

07:00

Estão todos confirmados. A partir das 7h30min, o primeiro encontro entre Chico Balthazar (PT), Clésio Salvaro (PSDB), Coronel Cosme (Podemos), Dr. Aníbal (MDB), Júlia Zanatta (PL), Professor Éderson (PSTU) e Rodrigo Minotto (PDT).

07:00

Bom dia! Eu sou o jornalista Denis Luciano e a partir de agora acompanhe o Minuto a Minuto do 4oito com as informações e os bastidores do primeiro debate dos candidatos a prefeito de Criciúma.