Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Impeachment: Alesc aprova processo contra Moisés e Daniela

Deputados confirmam julgamento em tribunal misto, a ser formado nos próximos dias por TJ e deputados
Denis Luciano
Por Denis Luciano Florianópolis, SC, 17/09/2020 - 14:45Atualizado em 17/09/2020 - 20:54
Divulgação
Divulgação

A Assembleia Legislativa (Alesc) aprovou a sequência do processo de impeachment contra o governador Carlos Moisés (PSL) e a vice Daniela Reinehr (sem partido).

Primeiro, houve a aprovação do projeto pelo impedimento de Daniela. Foram 32 votos a favor do afastamento, sete contrários e uma abstenção. Na sequência, na votação do processo contra Moisés, houve 33 votos pelo impeachment, seis contrários e uma abstenção.

Eles não são afastados de imediato. A Alesc comunica o Tribunal de Justiça (TJSC) a quem cabe montar o tribunal, que contará com onze membros. Será presidido pelo presidente do TJ, desembargador Ricardo Roesler, contará com mais cinco membros do TJ, que serão sorteados, e cinco membros da Alesc, que serão eleitos entre os deputados estaduais.

Nesse tribunal, por maioria simples, vai se determinar pelo afastamento ou não. Se confirmando, daí sim Moisés e Daniela ficam afastados do governo por 180 dias para o processo. Nesse período, ainda dentro do mês de setembro, o presidente da Alesc, Júlio Garcia (PSD), deverá assumir o governo interinamente.

Confira os detalhes abaixo, nas informações do Minuto a Minuto do 4oito.

Acompanhe ao vivo:

20:44

Agora, Alesc notifica o TJ para processar o sorteio dos desembargadores que farão parte do Tribunal Misto. A Alesc indicará por votação os cinco deputados. Esse tribunal deve estar composto até quarta-feira. Esse tribunal será presidido pelo presidente do TJ, na primeira reunião vai se reunir para convalidar ou não os dois afastamentos. Por maioria simples dos 11 membros, seis votos, aprova o afastamento. Confirmando o afastamento do governador e da vice, os dois estarão automaticamente afastados.

20:43

Em seguida, a aprovação da redação final dos dois projetos, de sequência dos processos contra Carlos Moisés e Daniela Reinehr.

20:42

Votação encerrada, 33 pelo afastamento, 6 contra, 1 abstenção.

20:42

Sérgio Motta (Republicanos), sim.

20:42

Jair Miotto (PSC), sim.

20:41

Ana Paula da Silva, Paulinha (PDT) vota não.

20:41

Cesar Valduga (PCdoB), sim.

20:41

Agora, o Novo. Bruno Souza vota não.

20:41

Vicente Caropreso (PSDB), não.

20:40

Marcos Vieira (PSDB), sim.

20:40

Laércio Schuster (PSB), sim.

20:40

Nazareno Martins (PSB), sim.

20:40

José Milton Scheffer (PP), não.

20:40

Altair Silva (PP) votou não.

20:40

João Amin votou sim.

20:40

Agora, o PP.

20:40

Padre Pedro (PT) votou sim.

20:39

Neodi Saretta (PT) votou sim.

20:39

Luciane Carminatti (PT) vota sim.

20:39

Fabiano da Luz votou sim.

20:39

Agora, o PT.

20:39

Nilso Berlanda (PL), sim.

20:39

Maurício Eskudlark votou sim.

20:39

Marcius Machado (PL) votou sim.

20:39

Agora, o PL. Ivan Naatz votou sim.

20:38

Milton Hobus (PSD), sim.

20:38

Marlene Fengler (PSD) votou sim.

20:38

Ismael dos Santos (PSD) votou sim.

20:38

Kennedy Nunes (PSD) votou sim.

20:38

Agora, o PSD.

20:38

Ricardo Alba (PSL) votou sim.

20:38

Jessé Lopes (PSL) votou sim.

20:37

Felipe Estevão (PSL) votou sim.

20:37

Coronel Mocellin (PSL) votou não.

20:37

Ana Campagnolo (PSL) votou sim.

20:37

Sargento Lima (PSL) votou sim.

20:37

Volnei Weber (MDB) votou sim.

20:37

Valdir Cobalchini (MDB) sim.

20:37

Romildo Titon (MDB) votou sim.

20:36

Moacir Sopelsa (MDB) votou sim.

20:36

Mauro de Nadal (MDB) sim.

20:36

Jerry Comper (MDB) votou sim.

20:36

Fernando Krelling votou sim.

20:36

Vampiro (MDB) vota sim. Ada de Luca, idem.

20:35

Encerrada a discussão. Vamos para os votos.

20:32

"Votamos, nós do PT, não pela cassação, mas pela investigação", diz a petista Luciane Carminatti. "Queremos fortalecer o voto direto do catarinense. Vamos protocolar, buscar assinaturas para a gente ter uma PEC para que, se houver a cassação, independente de ser este ano ou no ano que vem, nós possamos ter eleição direta para governador e vice", anuncia a deputada.

20:28

Para relembrar como foi a votação do impeachment da vice Daniela, confira na tabela abaixo voto a voto dos deputados.

20:26

A deputada Luciane Carminatti (PT) está falando.

20:21

"Ninguém está aqui caçando o governador, mas dando continuidade a um ato", afirma Marcius.

20:20

Mas ainda não há indicação para o início da votação. Há mais deputados para discursar.

20:20

Com essa postura do deputado Marcius, mais os votos anteriores no caso de Daniela, o processo de impeachment contra Carlos Moisés deve ser autorizado por 33 votos a 6.

20:20

"O meu voto foi não pelo impeachment contra a vice, mas nesse momento, por entender a questão técnica, eu vou votar sim por esse único motivo, de que na reforma administrativa houve um veto", diz Marcius Machado, anunciando o voto contra Moisés, e confirmando a informação que a Som Maior já antecipava.

20:18

Bastidores: Vice-governadora Daniela, cujo impeachment já foi aprovado, ao lado dos seus advogados.

20:17

Bastidores: Jessé Lopes durante a sua fala, faz poucos minutos.

20:13

"A primeira posição minha era abstenção de voto. Eu defendo que quem deve decidir é o povo", observou o deputado do PL.

20:13

"O que estamos passando hoje nada mais é que a ganância de procuradores do Estado que ganham R$ 33 mil para ocorrer equiparação salarial com R$ 38 mil que recebem os da Alesc. Isto é, o piso de SC é quase R$ 1,4 mil. O Auxílio Emergencial é de R$ 600. Isso equivale a 65 vezes o que uma pessoa ganhou no Auxílio", comentou Marcius.

20:11

Deputado Marcius Machado (PL) vai falar agora. Ele deve votar contra o governador. Ele que votou a favor da vice, contra o impeachment de Daniela.

20:10

"Saio com a consciência tranquila do meu voto. Nós não fomos os denunciantes, estamos fazendo o que é de nossa responsabilidade. A comissão é que vai analisar, os cinco desembargadores e os cinco deputados", diz Marlene, que vota pelo impeachment.

20:08

Agora com a palavra a deputada Marlene Fengler, do PSD.

20:06

"Minha brava bancada, agradeço a vocês por terem ouvido o chamamento de Santa Catarina. E quando digo que é a bancada bolsonarista, eu vejo vários deputados que em 2018, quando encampamos uma mudança, estavam lá usando o nome de Bolsonaro, e não para ganhar voto, mas também acreditaram na ideia", diz Sargento Lima.

20:04

"Houve um integrante da patrulha que abandonou a guarnição", critica Sargento Lima.

20:02

Deputado Sargento Lima (PSL) está com a palavra agora.

20:01

"Que a nossa Santa Catarina volte a sorrir, que o nosso estado volte a ser grande", diz Felipe Estevão.

19:59

"Um governo que nos chutava. Olho os pleitos para Laguna, vejo a canalhice que fizeram com o porto, o caseiro dele (Moisés) toca o porto", disparou Felipe Estevão, referindo o porto de Laguna.

19:57

"O fracasso deste governo é uma política pública feita da Agronômica, sem conhecimento da realidade dos catarinenses. Esse é o motivo do fracasso do Carlos Moisés", bateu Estevão.

19:56

Deputado Felipe Estevão (PSL), outro sul catarinense na Alesc, fala agora.

19:55

Jessé Lopes falou 15 minutos. Encerrou agora a sua fala.

19:55

"A bancada do Bolsonaro não tolera traição", diz Jessé Lopes, que segue com a palavra.

19:49

"Já começou quando ele colocou o Comandante Moisés na campanha, depois de eleito passou a ser o Carlos Moisés, já mostrando total falta de personalidade. Ele destituiu as executivas do PSL, pessoas que foram para a rua, pegando firme nas cidades, pedindo votos", frisou.

19:48

"Nós elegemos um governador que deveria estar alinhado ao Governo Federal. Ele foi eleito pois era o governador do Bolsonaro. O mínimo que ele devia ter feito era pensar como chegou até aqui, e ele não pensou, pelo contrário, menosprezou", afirmou Jessé.

19:45

"O governador descobriu o Brasil dizendo que politizamos o projeto", criticou Jessé. "Ser de boa fé é denunciar que ele abriu oportunidade de pagar mais de R$ 800 mil por mês sem os devidos processos e trâmites legais. Não estamos falando de R$ 10", apontou.

19:44

"Eu peguei alguns argumentos de Moisés em entrevistas combinadas. Primeira, a negociação com os deputados não se trata de uma troca, mas de mera justiça", citou Jessé. "A comitiva do governador estava aí distribuindo bombons hoje de manhã. Vocês receberam bombom e balinha? Não era nada de secretaria, cargos, não era", disparou. "Tentaram criar uma narrativa de que eu estava construindo aqui, que eu negociei com o presidente da Casa cargos, que estava com negociações com outros interesses. Eu quero que apareça um desgraçado para dizer que, se algum dia, aqui, em qualquer lugar, eu negociei cargos", disse Jessé, bastante irritado.

19:42

"Será mesmo que o Moisés está se defendendo lá fora?", indagou o deputado criciumense.

19:42

"Tem gente que precisa se aposentar, está fazendo mal para Santa Catarina, desinformando as pessoas", disparou Jessé.

19:41

"Eu achei estranho um amor repentino de alguns jornalistas por Moisés e Daniela, tentando desqualificar o processo de impeachment. Deve ter custado caro esse amor repentino", apontou Jessé.

19:40

"Não podemos dizer que o processo é frágil. É o mesmo que dizer que roubar pouco não tem problema", opinou Jessé.

19:40

Deputado Jessé Lopes está falando agora.

19:39

"Concordo que houve falhas no governo, mas qual governo não errou?", questionou Mocellin. "Minha consciência não me permite votar a favor do impeachment", diz.

19:36

Coronel Mocellin está justificando seu voto, que deve se confirmar como contrário ao impeachment. Ele faz ponderações positivas ao desempenho de Moisés.

19:36

Bastidores: Deputada Paulinha, que foi um dos sete votos contra o impeachment de Daniela, deverá ser um dos seis votos contra o impedimento de Moisés.

19:34

Bastidores: Na foto, da esquerda para a direita, os deputados Ricardo Alba, João Amin, Coronel Mocellin e Jessé Lopes.

19:32

Agora fala o deputado Coronel Mocellin, também do PSL.

19:32

Bastidores: Deputado Ricardo Alba encerrou sua fala.

19:31

"Esse mesmo eleitor que elegeu o governador está pedindo a sua responsabilização no impeachment. O mesmo eleitor que me fez o deputado mais votado de Santa Catarina está pedindo o prosseguimento do impeachment, então eu vou seguir o meu eleitor. E ninguém, nem mesmo o governador, me olhe com olhar de censura, porque eu avisei do jogo político, do jogo republicano, e da relação com os poderes desde o início, e não fui ouvido", completa o deputado Alba.

19:30

"O governador é sim bem intencionado mas faltou o traquejo político. Parece que agora, talvez seja tarde, talvez não, mas caiu a ficha", ponderou Alba.

19:29

Conforme o jornalista Adelor Lessa, a mudança de voto em relação ao impeachment, de Daniela para Moisés, deve ser do deputado Marcius Machado (PL). Ele votou contra o impeachment da vice e deverá votar a favor do impedimento do governador.

19:29

"Não foi por falta de aviso", destacou Alba, que esteve alinhado com Carlos Moisés.

19:29

"Governar Santa Catarina não é só gestão, é relacionamento político, coisa que desde o início, coronel Mocellin, e o senhor é testemunha, desde o início faltou para o governo, relacionamento institucional, político, republicano", diz Ricardo Alba, que é do PSL.

19:28

Ele, que era uma dúvida antes, votou a favor do impeachment de Daniela.

19:27

Deputado Ricardo Alba (PSL) está com a palavra agora.

19:27

No processo da vice, 32 a favor, sete contrários e uma abstenção. No de Moisés deve dar 33 a favor, seis contra e uma abstenção, são as contas de Adelor Lessa.

19:26

"Se preciso for, me coloco à disposição", diz Weber, sobre possível candidatura a governador em mandato-tampão, caso o impeachment seja consumado.

19:25

"Parte dos meus eleitores concorda com o afastamento, mas parte não concorda. E eu quero justificar que não estamos afastando o governo, nem a vice. Estamos aqui proporcionando o andamento do processo para apurar, para analisar. Se tiver algo de errado, a condenação. Se não tiver, volta e continua fazendo a gestão do nosso Estado, e pode contar comigo sempre. Não é marcação pessoal, não é demagogia, não é desrespeito nem desonestidade, nem acordão para colocar um outro governador. Governador aqui não está pré-determinado, quem será. Se for eleição direta, todos os catarinenses estão em condições. Se for indireta, todos nós aqui também, todo catarinense pode ser candidato", destacou Weber.

19:24

Bastidores: Os deputados no plenário.

19:22

Os votos contra o impeachment de Daniela foram dos deputados Onir Mocelin (PSL), Marcius Machado (PL), Altair Silva (PP), José Milton Schaeffer (PP), Vicente Caropreso (PSDB), Bruno Souza (Novo) e Paulinha (PDT).

19:21

Para você que chegou agora, confirmando que há pouco foi aprovado o impeachment da vice-governadora Daniela Reinehr por 32 votos a favor, sete contra e uma abstenção.

19:20

"Dia desses, quando visitei o MP, o MP me perguntou sobre algo que não cometi mas que pequei, pecado pequeno, eu respondi ao MP que eu não sabia. A resposta do MP foi da seguinte forma, se você não sabia, você agora tem mandato, tem obrigação de saber. Aquilo para mim foi tudo, voltei para casa, voltei para o município e assim fiquei muito mais atento", lembra Volnei Weber, dos tempos em que foi prefeito de São Ludgero.

19:18

"Que o governador faça um grande trabalho para Santa Catarina continuar crescendo e que não percamos quatro anos", diz Volnei Weber. "Sempre fui muito bem atendido no governo, nunca fui desrespeitado. Talvez não tenha conseguido êxito,  mas respeito nunca faltou", ponderou.

19:17

"Avião que eu estou sentado dentro, eu não torço para cair. E é o governador Moisés que está no comando. Tenho dito que eu não seria em momento algum oposição a governador, qualquer que fosse ele. O nosso projeto, do MDB, ficou no meio do caminho, temos que ter humildade de reconhecer isso", diz Weber.

19:16

Em seguida vai falar o deputado sul catarinense Volnei Weber, do MDB.

19:15

"Meu voto não tem preço", diz Krelling, do MDB.

19:13

"Faltou respeito com 7 milhões de catarinenses", diz Krelling.

19:13

"Política nova, política velha, isso é balela. Tem o certo e o errado", diz Fernando Krelling.

19:12

As bancadas voltam a se pronunciar, agora no projeto de afastamento de Carlos Moisés. Está com a palavra o deputado Fernando Krelling (MDB).

19:09

32 sim, 7 não e 1 abstenção.

19:09

Resultado será anunciado agora.

19:09

Júlio Garcia (PSD) se absteve.

19:08

A deputada Paulinha se confundiu, votou sim e depois corrigiu para não.

19:06

Altair Silva e José Milton do PP votaram não.

19:06

PP, João Amin foi o voto 27, está aprovado o afastamento de Moisés e Daniela.

19:06

PT, Luciane Carminatti sim, Neodi Saretta sim, Padre Pedro sim.

19:05

PL, Ivan Naatz sim, Marcius não, Eskudlark sim, Nilso Berlanda sim

19:05

PSD, Kennedy Nunes, Ismael dos Santos, Marlene Fengler, Milton Hobus e mais um, 5, 19 a 1.

19:04

Sargento Lima (PSL), Sim 10 x 0.
Ana Campagnolo (PSL). Sim 11 x 0.
Moccellin (PSL). Não 1 x 11
Jessé Lopes (PSL), Sim  13 x 1
Ricardo Alba (PSL) Sim, 14 x 1

19:04

Fernando Krelling (MDB), votou sim. Sim 3 x 0 Não.
Jerry Comper (MDB), votou sim. Sim 4 x 0 Não.
Mauro de Nadal (MDB), votou sim. Sim 5 x 0 Não.
Moacir Sopelsa (MDB), votou sim. Sim 6 x 0 Não.
Romildo Titon (MDB), votou sim. Sim 7 x 0 Não.
Valdir Cobalchini (MDB), votou sim. Sim 8 x 0 Não.
Volnei Weber (MDB), votou sim. Sim 9 x 0 Não.

19:02

Ada de Luca (MDB) - Votou sim. Sim 2 x 0 Não. "Em nome do povo, contra um governo que governa com desconhecimento", disse a deputada, que citou Ulysses Guimarães em seu voto.

19:00

Vampiro - Votou sim, 1 voto sim.

19:00

Votação nominal começará pelas bancadas. MDB vota primeiro.

18:59

Votação dos deputados será nominal para votar.

18:59

Encerrada a discussão, anuncia o presidente Júlio Garcia (PSD).

18:58

Encerrada a fala do deputado Motta.

18:58

"Aqui ninguém vai condenar o governador", diz Motta, lembrando o ritual do impeachment.

18:57

Quem vai falar é o deputado Sérgio Motta, do Republicanos.

18:57

Valduga encerrou a sua fala. Agora, deve falar o deputado Jair Miotto, do PSC.

18:56

O PCdoB ficou até as 2h da manhã desta quinta estudando o voto do deputado, informou Cesar Valduga agora. "Não podemos ser irresponsáveis agora, e temos que pensar no bem de Santa Catarina".

18:56

"Estou aqui pois ouvi o sentimento dos catarinenses", diz Valduga, suplente de Minotto, que fala agora.

18:54

Bastidores: Deputada Paulinha, do PDT, que antes leu carta de Carlos Moisés à Alesc. Ela também vota contra.

18:54

Bastidores: Deputado Bruno Souza (Novo), que falou faz poucos minutos e votará contra o impeachment.

18:52

Deputado Júlio Garcia (PSD) apresenta Cesar Valduga (PCdoB), que é suplente e assumiu hoje, na vaga de Rodrigo Minotto (PDT), que licenciou-se da Alesc para concorrer a prefeito de Criciúma.

18:51

Agora, pela ordem, fala o deputado Cesar Valduga, do PCdoB.

18:51

Bruno Souza encerra a sua fala. É aplaudido.

18:51

Bastidores: Deputado Kennedy Nunes (PSD) cumprimenta Ana Caroline Campagnolo (PSL).

18:49

Com Bruno Souza, os três últimos deputados que se manifestaram até agora votarão contra o impeachment: Vicente Caropreso e Paulinha.

18:49

"Vejo diversos motivos para esse governador ser impedido. Eu fui o primeiro deputado a falar do problema com os respiradores. Existem diversos bons motivos, mas eu esbarrei na verdade, e a verdade é que neste caso, de tantos bons motivos, este não está entre esses bons motivos", alegou Bruno Souza. "O governador tem culpa em muita coisa, mas neste, por mais que eu não gostei do governador, ele não tem culpa", destacou.

18:48

"Ele (Moisés) não vai me tirar a tranquilidade. Não é por desaprovar o governo que eu votarei sim ou não. Não é por isso. Eu não formo uma opinião, eu encontro uma opinião", observou Bruno Souza. Siga ouvindo pela Rádio Som Maior.

18:46

"O que o Moisés te ofereceu?", alguém me perguntou hoje. "O Moisés não me ofereceu nada, e se tivesse oferecido, com certeza ele teria ficado mais longe de obter o meu voto", respondeu o deputado do Novo.

18:45

"Eu nunca conversei com a vice-governadora e com o governador faz um ano que eu não o encontro pessoalmente", diz Bruno Souza.

18:45

Depois de Bruno Souza, terão direito a falar os deputados Cesar Valduga (PCdoB), Jair Miotto (PSC) e Sérgio Motta (Republicanos).

18:45

Deputados atentos ao discurso de Bruno Souza agora.

18:44

Agora está com a palavra o deputado Bruno Souza, do Novo. O Novo anunciou, mais cedo, voto contra o impeachment.

18:44

Advogada Ana Blasi, da defesa de Daniela Reinehr, falou mais cedo e foi agora elogiada pela deputada Paulinha.

18:43

Paulinha encerrou sua fala agora. O mais longo discurso até aqui.

18:42

"Por Santa Catarina, meus amigos, não ao impeachment", finalizou Paulinha.

18:42

"Eu acredito, de toda a minha alma, que esse pedido de impeachment foi uma grande oportunidade para o governo recobrar suas ações conosco. O governador Moisés tem dito que às vezes é pelo mal que se vê o bem", diz Paulinha.

18:41

"Que não imputemos ao Parlamento o papel de justiceiro, ao ponto de virar algoz do seu povo", afirmou Paulinha.

18:41

Bastidores: E o deputado Jessé Lopes, do PSL, vota contra Moisés e Daniela, pelo impedimento.

18:41

Bastidores: Deputada Paulinha, do PDT, está finalizando a argumentação do seu voto contra o impeachment.

18:39

Bastidores: Deputado Milton Hobus, do PSD, que também vota pelo impeachment.

18:39

Bastidores: Deputado Sérgio Motta, do Republicanos, que deve votar pelo impeachment.

18:38

"Lealdade é um atributo que nunca me faltou na minha história, e não implica em subserviência", destacou a pedetista.

18:37

"Eu não consigo me ver me prestando ao papel de condenar um inocente. Não existe, nesse caso, crime de responsabilidade praticado pelo governador e menos ainda pela Daniela. A Daniela não é minha amiga pessoal, meus amigos bolsonaristas. Se trocamos duas ou três palavras, foi muito. Mas me arrebenta a alma que a nossa primeira mulher eleita vice-governadora é chamada a uma acusação que não lhe pertence. Se estamos descontentes com o governo, que sejamos competentes o bastante para convencer a população a, numa próxima eleição, fazer o melhor, pelas urnas, como determina a democracia", afirmou Paulinha.

18:36

"Não me convidem para subtrair o direito sagrado de mais de 5 milhões de catarinenses e entregar nas mãos de 40 homens e mulheres, por mais que eu esteja entre eles", diz Paulinha, criticando a hipótese de uma eleição indireta para governador. "Por mais honrados que sejamos", completou.

18:35

"Hoje, quando acordei, me confortei na lembrança de uma passagem, aqui no Parlamento, há 21 anos. Eu estava sentada na mesa ao lado do presidente, com companheiros do meu partido, e eu tinha no colo a minha pequena, bebezinha, eu era presidente estadual da Juventude Socialista do PDT, o partido que me acolhe há mais de 30 anos. Eu sou filha da democracia, e ela faz nascer em mim a menina rebelde e corajosa que não abre mão dos seus princípios", destacou Paulinha.

18:33

"O governo está reformado em sua forma de atuar", garantiu a líder do governo.

18:33

"Porque vamos ignorar o pedido de ajuda que nos fez o governador?", indagou Paulinha. "O governo errou? Errou muito. Mas também traz acertos e as obras que se iniciam nos rincões de Santa Catarina. O governo errou muito mais com ele mesmo que conosco, porque perdeu a capacidade de se comunicar como devia e merecia o povo catarinense", comentou, emocionada, a deputada Paulinha.

18:32

"Ao dar prosseguimento a esse impeachment, o Parlamento se agigantará em crueldade contra Moisés, Daniela e Santa Catarina".

18:31

"Com o máximo de respeito, na divergência ao relatório do meu amigo Vampiro, eu não consigo compreender, por mais que eu me esforce, o que leva alguém a amparar uma acusação injusta. Eu não consigo enxergar porque vamos ignorar os apelos do setor produtivo que clama pelo fim do impeachment. Eu não consigo vislumbrar um futuro bom com o impeachment de um homem honesto, e todos nós aqui sabemos. E o impeachment de uma mulher totalmente inocente", destacou Paulinha.

18:30

"Já que a casa opta por inverter a ordem jurídica, eu teço minhas considerações jurídicas, e não faço na condição de líder, falo como mulher, como mãe, como guerreira que eu sou", diz Paulinha.

18:29

"Peço desculpas se em algum momento eu falhei. De longe não sou a deputada mais experiente desse plenário", comentou ela, que chamou o processo de impeachment de "estapafúrdio".

18:29

Paulinha segue com a palavra, em um discurso emocionado em defesa de Carlos Moisés.

18:25

"Esse impeachment nasce sem razão jurídica algumas e nós, no nosso íntimo, sabemos disso", destacou Paulinha.

18:23

A deputada foi aplaudida após a leitura da carta.

18:23

Deputada Paulinha acabou agora de ler a carta de Carlos Moisés.

18:22

Segue a carta de Moisés. "É preciso unir esforços para vencermos os desafios impostos. Precisamos estar unidos, para o bem de todos que vivem aqui", escreveu Moisés.

18:21

"Reitero meu compromisso de governar com diálogo com a Alesc. É preciso dialogar, unir esforços, dialogar, possibilitando que os anseios do Legislativo reverberem em ações do Executivo".

18:21

Paulinha está lendo uma carta de Carlos Moisés à Alesc. "Nesses pouco mais de vinte meses de governo, procurei o melhor para o povo catarinense. Mas não é o momento para esse tipo de avaliação. É preciso reconhecer que no campo político nem tudo andou bem. Falhamos no diálogo com o Parlamento, precisamos ouvir mais os deputados e as deputadas. Apesar de manter sempre o irrestrito respeito ao Legislativo, a verdade é que o Governo errou", disse o governador.

18:20

Está falando agora a deputada Ana Paula da Silva, a Paulinha, do PDT, líder do governo na Alesc.

18:19

Vicente Caropreso, contra o impeachment, encerrou agora a sua fala.

18:18

"É por respeito a essas pessoas que seria muito melhor um entendimento por Santa Catarina", destacou.

18:18

Caropreso cita um amigo de Sombrio que perdeu dois familiares nas últimas semanas.

18:18

Caropreso cita que o Ministério da Saúde informa que Santa Catarina é o estado com melhor rendimento na luta contra o coronavírus. "Alguma coisa o Moisés e a Daniela devem estar acertando", destacou o deputado do PSDB.

18:17

Bastidores: Daniela com o deputado Sargento Lima, do PSL.

18:15

"O que está em jogo é se ele cometeu ou não crime, e as evidências são de que ele não cometeu", disse Caropreso. "Para mim está definido, é um terceiro turno eleitoral que se pretende realizar aqui, e dá vazão a todo o tipo de pensamento", comentou o deputado do PSDB. "Para se colocar outra gente no lugar das pessoas que foram eleitas com 70% dos votos, inclusive o bombeiro".

18:14

"Não existe justa causa jurídica para amparar esse impeachment", reforça Caropreso.

18:13

Mais cedo, o 4oito registrou, por aqui, a crítica da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) à deputada catarinense Ana Caroline Campagnolo (PSL), por sua postura pelo impeachment de Daniela e Moisés. Houve reação entre os conservadores catarinenses, também no Twitter.

18:09

"Esse cara é de boas intenções", diz Caropreso, sobre Carlos Moisés. "Esse processo não tem nada de corrupção, não tem menção a enriquecimento ilícito e não tem menção a uso de estrutura pública para bem próprio. Não há nada disso nesse processo, que fique claro", diz Caropreso. "Querem imputar a pena máxima pelo fato de o governo ter cumprido uma decisão judicial", referiu.

18:08

"A análise que está sendo feita hoje é política", lembra Caropreso.

18:07

Caropreso critica a interlocução entre o governador e a Alesc.

18:06

Bastidores: Deputado Sargento Lima, sentado, é o líder do PSL.

18:05

"Os catarinenses, na eleição, tiraram um bombeiro da sua tranquilidade. E a Daniela, que aparecia no seu trator, ajudando na sua produção e também como advogada. Um novo modelo foi escolhido com 70% dos votos. O povo queria mudança", afirma Caropreso.

18:04

Agora, está com a palavra o deputado Vicente Caropreso, do PSDB.

18:04

Bastidores: Deputada Ana Campagnolo (PSL), que é a favor do impeachment, no plenário agora.

18:03

"A Alesc não pode ser omissa", diz Marcos Vieira.

18:02

O deputado Marcos Vieira está participando de sua residência pois encontra-se em recuperação. Ele foi positivado para Covid-19.

18:02

Marcos Vieira vota a favor e Caropreso é contra o impeachment.

18:01

Em entrevista à Rádio Som Maior, ontem, a deputada Geovânia de Sá, presidente estadual do PSDB, anunciou divisão da bancada na votação do impeachment.

18:01

PSDB vai dividir tempo entre os seus dois deputados, Marcos Vieira e Vicente Caropreso.

18:01

"É impressionante a completamente ausência de mobilização popular para defender o mandato de um governador eleito com 71% dos votos há menos de dois anos. Se a Alesc estivesse votando abono de 50 reais pra servidor de autarquia isso aqui estaria tomado", anotou o jornalista Upiara Boschi, da NSC, em sua conta no Twitter.

18:00

Deputado Marcos Vieira, do PSDB, que está em via remota, e não na Alesc, fala agora.

17:59

"Eu tenho certeza absoluta que é um momento triste para o nosso estado", disse Laércio, que falou em nome da bancada do PSB.

17:59

Ele critica a má aplicação dos muitos recursos que Santa Catarina recebeu do Governo Federal. "Isso é incompetência pura, isso também está refletido na decisão do impedimento", afirmou Laércio.

17:58

Deputado Laércio cita os recursos recebidos por Santa Catarina para políticas de combate ao Covid-19.

17:57

"Eu olhava documentos dez vezes antes de assinar", comenta Laércio Schuster, lembrando os tempos em que foi gestor em Timbó.

17:56

Os deputados que ainda podem se manifestar antes do início da votação:
Nazareno Martins (PSB)
Marcos Vieira (PSDB)
Vicente Caropreso (PSDB)
Bruno Souza (Novo)
Cesar Valduga (PCdoB)
Ana Paula da Silva, Paulinha (PDT)
Jair Miotto (PSC)
Sérgio Motta (Republicanos)

17:53

Bastidores: Deputado Vampiro no plenário.

17:51

Bastidores: Vice-governadora Daniela Reinehr de olho no celular.

17:50

Antes de Laércio, poderia ter falado o deputado sul catarinense José Milton Scheffer, do PP, que preferiu não se manifestar.

17:50

Deputado Laércio Schuster, do PSB, fala agora.

17:49

Amin não disse objetivamente como votará, mas tudo indica que votará pelo impeachment.

17:48

Ele encerrou a sua fala.

17:48

"Não cabe omissão a nenhum de nós", destacou João Amin.

17:48

"Mesmo não sendo fácil, a pior das atitudes seria a omissão", diz Amin.

17:47

"Hoje todos vamos fazer uma análise política", destacou Amin.

17:47

João Amin fez várias saudações, encerradas somente agora.

17:43

João Amin com a palavra agora.

17:43

Na bancada do PP deve ser 2 a 1 pelo impeachment. João Amin deve votar pelo afastamento, como fará Altair Silva.

17:42

O deputado encerra sua fala e entrega a palavra a João Amin, líder do PP.

17:42

"Esse parlamento não se pode prestar ao serviço de praticar injustiça", diz Altair Silva, que é aplaudido.

17:38

Presidente da Alesc destaca transparência e seriedade na condução do impeachment. Confira clicando aqui.

17:38

Bastidores: Deputado Júlio Garcia (PSD), presidente da Alesc, acompanhando os pronunciamentos das bancadas.

17:37

Bastidores: Visual do plenário, agora.

17:36

Agora fala Altair Silva, do PP.

17:36

Pelo PT falou apenas Fabiano da Luz.

17:35

"A nossa posição de bancada, e não foi fácil tomar essa posição, foram várias reuniões, e levamos à direção partidária, para discutir com todos, para que o decidido pela maioria fosse respeitado, por isso a nossa posição é defender o prosseguimento do processo para que seja feita a devida investigação", frisa. Fabiano confirma os quatro votos do PT pelo impeachment.

17:34

"Não estamos aqui para discutir questões ideológicas", afirma Fabiano. "E não estamos agindo movidos por uma pressão externa ou de sociedade, ou de imprensa", aponta. "Tentando também não avaliar todos os aspectos governamentais, pois o governo tem seus acertos e erros", completa.

17:33

Agora, com a palavra, a bancada do PT. Está falando o líder, deputado Fabiano da Luz.

17:32

Projeção de 32 a 34 votos, dos 40 deputados estaduais, reforça o jornalista Adelor Lessa, na Rádio Som Maior.

17:30

"Nosso voto é para que seja feita justiça", afirma Eskudlark. "Não teve uma pessoa até hoje exonerada nesse governo", lembra. "Mesmo com todo o dolo e irregularidades", emenda.

17:29

"Não vamos votar a favor ou contra ninguém, nós temos que ser justos", aponta Eskudlark.

17:29

E lembrando: nesta sexta, 7h30, o primeiro debate dos candidatos a prefeito de Criciúma na Som Maior e 4oito. Cobertura a partir das 7h.

17:28

Deputado Eskudlark está elogiando o relatório dos deputados Vampiro e Jessé, que recomendaram pela admissibilidade do impeachment na Alesc.

17:28

Bastidores: E o deputado Kennedy Nunes, do PSD, é o que está sorrindo, ao centro da foto.

17:27

Bastidores: Deputado Vampiro é quem acena, na foto.

17:26

Deputado Maurício segue justificando o seu voto.

17:26

Bastidores: Deputada Ana Paula da Silva, a Paulinha, do PDT, líder do governo Moisés. Será um dos poucos votos contra o impeachment.

17:25

Bastidores: Galerias ocupadas na Alesc.

17:24

Eskudlark foi líder do governo Moisés na Alesc até o fim do ano passado. Ele deve confirmar o voto a favor do impeachment.

17:23

Agora está falando o deputado Maurício Eskudlardk, do PL.

17:23

Bastidores: E o deputado João Amin (PP), também no plenário acompanhando os pronunciamentos. Pode ser dele o vigésimo sétimo voto pelo impeachment.

17:22

Bastidores: Deputado Fabiano da Luz, do PT, aparentando cansaço. PT vai com os quatro votos pelo impeachment.

17:20

Moisés ganha um voto então contra o seu impeachment, do deputado Bruno Souza, do Novo.

17:20

Jornalista Anderson Silva, da NSC, postou essa informação agora no Twitter: "Partido NOVO emitiu nota oficial em Santa Catarina há pouco contra o impeachment de Moisés. Bruno Souza votará contra o processo. Segundo ele, a conduta de Moisés não justifica o impeachment".

17:19

Bastidores: Ana Caroline Campagnolo, que já falou pelo PSL, conferindo os demais colegas na Alesc. Ela vota pelo impeachment da vice e do governador.

17:18

Bastidores: Presidente Júlio Garcia (PSD) tomando o seu cafezinho.

17:18

Enquanto isso, Ivan Naatz segue com a palavra.

17:17

Bastidores: Mais uma de Daniela, conversando com uma de suas advogadas.

17:16

Bastidores: A vice governadora nas galerias da Alesc assistindo a sessão do seu impeachment e do governador Moisés.

17:15

"Santa Catarina está indiferente a esse processo pois se sente traída, pois elegeu um traidor. Um sujeito que se elegeu dizendo candidato do Bolsonaro sem nunca ter falado com o Bolsonaro. Quando era para defender Bolsonaro, virou as costas, é por isso que ele não tem crédito para nada", afirmou Naatz.

17:14

"Não me digam que é golpe", dispara o deputado do PL. "Cheguei uma da tarde, não encontrei uma pessoa pedindo pelo governador", frisou.

17:14

"Eu me encontro plenamente convencido que os fundamentos jurídicos da denúncia permitem a instalação do impedimento", afirma Naatz.

17:13

"Não há como negar a continuidade do andamento do processo. Não estamos julgando o mérito, mas a admissibilidade. É quando o delegado prepara as provas, leva para o promotor, o promotor lê as provas e diz, há indícios, denuncia", diz Naatz.

17:12

Bastidores: Os deputados atentos às falas dos colegas das bancadas, antes da votação do impeachment da vice Daniela.

17:10

Deputado Naatz segue citando argumentos das defesas de Moisés e Daniela.

17:09

Bastidores: deputados Jessé Lopes (PSL) e Bruno Souza (Novo) conversando durante a sessão.

17:09

Bastidores: vice-governadora Daniela Reinehr está na Alesc. Na foto, cumprimento ao deputado João Amin (PP), que foi o presidente da Comissão Especial do Impeachment.

17:06

E lembrando: nesta sexta, às 7h30, debate dos candidatos a prefeito de Criciúma na Som Maior. Os sete concorrentes confirmados! Cobertura Som Maior e 4oito a partir das 7h.

17:05

Deputado Ivan Naatz está com a palavra. Ele que foi relator da CPI dos Respiradores que, em sua conclusão, recomendou por mais um processo de impeachment contra Carlos Moisés.

17:05

Bancada do PL, que tem quatro deputados, está se manifestando agora.

17:04

"Não é já que o governador será afastado. Se o PDL for aprovado, mesmo assim essa decisão terá que ser consumada pelo Tribunal Misto, com cinco desembargadores e cinco deputados estaduais, o que deve ocorrer em dez dias", lembrou Adelor Lessa agora, na Som Maior.

17:03

Em análise o PDL que trata do afastamento do governador e da vice.

17:03

Encerrada a fala de Ismael dos Santos.

17:03

"Teremos um prazo hábil para desenhar uma Santa Catarina diferente, onde se sobressaia a lucidez, a justiça e a determinação", comenta o deputado pessedista.

17:03

"Hoje a Alesc recebe um passaporte", diz Ismael.

17:00

"Li as defesas do governador e da vice e encontrei um cipoal de contradições. O governo só é governo se estiver expressamente submisso à lei, e aqui, de uma forma muito particular, à Constituição Estadual", apontou Ismael. Ele agora cita Ghandi: "em política, a vida não pode ser feita de aventuras, mas de responsabilidades".

16:58

Deputado Ismael dos Santos, do PSD, está com a palavra.

16:57

Na Som Maior, Adelor Lessa está explicando os próximos passos da votação do impeachment na Alesc.

16:56

Estão falando os deputados do PSD. Já falaram Kennedy Nunes e Milton Hobus. Não há obrigatoriedade de que todos os deputados falem.

16:55

"A sessão foi instalada pontualmente às 15h. O advogado de Ralf Zimmer destacou as ilegalidades dos procuradores praticadas por Moisés e citou omissão dolosa de Daniela. Em outro ponto, contestou lideranças que estão falando em golpe. Enfatizou que o governador e a vice não respeitaram decisão do TJ. A defesa da vice foi feita pela advogada Ana Blasi, dizendo que não houve crime de responsabilidade. Em seguida, o advogado e ex-deputado Salomão Ribas, também isentando a vice. Depois, Marcos Probst defendendo o governador, sustentando que não há justa causa. Júlio Garcia abriu espaço para as bancadas. O MDB decidiu dar os nove votos pelo impeachment. O PT também, quatro votos, o mesmo acontecendo com os quatro votos do PL. No PSL as previsões são de 4 a 2 pelo impeachment. A cotação nos bastidores da Alesc indicam 32 a 33 votos a favor da abertura do impeachment contra governador e vice", disse Moacir Pereira agora, na Som Maior.

16:53

Agora você ouve Moacir Pereira na Som Maior e assiste o deputado Lima no 4oito.

16:52

Jornalista Moacir Pereira está na Alesc e fala agora na Som Maior.

16:52

Provavelmente essa discussão segue por até uma hora, informa Adelor Lessa. Agora vai falar o deputado Sargento Lima, também do PSL.

16:51

Votação ainda não foi aberta, mas pelos argumentos expostos, já são os nove do MDB e três votos do PSL pela cassação da vice.

16:50

"São quase dois anos de presepadas, não dá mais. O governo que está aí, não tem experiência. Eu tenho estima pela Daniela, mas nesse momento precisamos de experiência", afirmou Estevão. É o terceiro voto do PSL pelo impeachment da vice.

16:49

Agora o deputado Felipe Estevão, também do PSL, está com a palavra.

16:48

Segue a sessão.

16:47

"Ser vice é figurativo, está ali esperando para num momento certo ocupar a vaga. A partir da hora que ocupou a vaga, é governador, e tem o poder na mão. A responsabilidade dessa Casa é sim ter que passar esse processo para frente para continuar investigando. Nem o TJ sabe se é irregular ou não", apontou o deputado Jessé.

16:45

"Vai abrir precedente para outras cassações? Se a gente deixar, abre precedente para outras irresponsabilidades", rebateu Jessé.

16:45

"Se ele (Bolsonaro) me ligar, o que ele disser, eu faço. Eu devo meu mandato a ele. Mas ele tem que me ligar até meio-dia, para eu saber. Ainda assim, vou argumentar. Se ele (Bolsonaro) bater o martelo, eu faço o que ele mandar. Não me ligou", diz Jessé, sobre as especulações de que Bolsonaro teria posição no impeachment em Santa Catarina.

16:44

"Dizer que o Bolsonaro estava influenciando aqui, isso é sacanagem", disse Jessé.

16:43

"Eu vou votar para que seja investigado, para que vá adiante, pois há questão política envolvida. Tem indícios, está ali", frisou Jessé. "Se é passível de cassação, vamos passar para a próxima fase, haverá ampla defesa. Se pararmos aqui, vamos dizer que não tem. E se tiver, como fica? Nós que seremos irresponsáveis", diz Jessé.

16:41

No saguão da Alesc, um telão está montado para o acompanhamento pelos jornalistas.

16:40

Deputado Jessé Lopes está falando.

16:40

"Nos bastidores, o ambiente é muito negativo para Moisés se livrar do impeachment. 'Vai ser uma lavada', ouvi de parlamentar. A conferir", postou há pouco, no Twitter, o jornalista Renato Ígor, da NSC, que está na Alesc.

16:39

Deputado Jessé Lopes, do PSL, está falando agora.

16:38

Adelor Lessa está agora reforçando as contas. O vigésimo sétimo voto deve ser dado por João Amin (PP), Altair Silva (PP) ou Nazareno Martins (PSB).

16:38

Bancada do PL fechou questão pelo impeachment.

16:38

Próxima bancada a se manifestar, pela ordem, é a do PSD.

16:35

Terminou a fala de Ana Caroline Campagnolo, em nome da bancada do PSL. Na bancada, devem ter quatro ou cinco votos pelo afastamento do governador e da vice.

16:34

"Os deputados da Alesc teriam feito acordos imorais e escusos com o presidente da Alesc. Eu não vou falar por todos, não é meu dever, mas fui incumbida pelos deputados da minha bancada em dizer que isso é uma ofensa e afasta qualquer intenção de ter, pela vice, algum tipo de solidariedade diante das acusações que vem sofrendo. É fundamental dizer que deputados do Bolsonaro ficamos sangrando por um governador que nos traiu e, antes disso, nenhum de nós exigiu dele cargo, vantagem ou qualquer coisa. Não exigimos nada, nem de alguém que nos devia, porque trabalhamos para ele. Nós nos elegemos antes dele, poderíamos ter ido para casa, e saímos depois de eleitos para fazer campanha para um completo desconhecido. E nem assim cobramos desse desgovernador cargo algum, muito menos fizemos acordo com o presidente da Alesc. Se existe qualquer culpado, que essa culpa recaia sobre o governador e sua vice pelo tipo de desgoverno que exerceram até o momento", afirmou Ana Caroline.

16:32

"O presidente não se pronunciou em momento algum, nas suas redes, em defesa da vice-governadora. E Daniela se diz bolsonarista. Carlos Moisés se diz anti-bolsonarista. Nas suas primeiras entrevistas ele começou a vilipendiar e soltar indiretas contra Bolsonaro. Temos aqui, sendo avaliados, um governador que claramente detesta o presidente e uma vice que gosta do presidente. Os argumentos que se espalham, que o impeachment se devem ao fato de ela ser bolsonarista, e os deputados terem desprezo por Bolsonaro, isso não se sustenta. Ao mesmo tempo em que pretendemos tirar uma vice do Bolsonaro, pretendemos tirar um governador anti-bolsonarista", argumentou a deputada.

16:30

Daniela, que está sendo citada agora, na etapa da sessão que vota o impeachment dela, falou à Rádio Som Maior nesta quinta-feira. Relembre clicando aqui.

16:29

"Duas vezes, nessa entrevista, a vice-governadora disse que não rompeu com Moisés", destacou a deputada.

16:28

"A senhora estava rompida com Carlos Moisés, com várias manifestações públicas críticas ao governo", disse o jornalista Prisco Paraíso, do SCC, citado por Ana Caroline. "Sempre fiz isso (questionei) de forma firme. Mas eu nunca vi isso como um rompimento", respondeu Daniela, citada pela deputada.

16:28

Ana Caroline cita entrevista de Daniela Reinehr ao SCC no fim de agosto.

16:27

"Daniela está jogando em time ideológico duplo", dispara Ana Caroline, justificando seu voto contra Daniela Reinehr, pelo impedimento dela.

16:24

Deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) usou o Twitter faz dois minutos para essa postagem de defesa a Daniela Reinehr, criticando a fala de agora da deputada estadual Ana Caroline Campagnolo.

16:22

Ana Caroline diz que, algumas vezes, Daniela até questionou Carlos Moisés. "Uma única vez publicou, finalmente, uma carta de cinco páginas chamando nosso governador de traidor, um sentimento que não é só da bancada bolsonarista mas de muitos eleitores".

16:22

"Daniela está sendo hoje finalmente responsabilizada por uma de suas atitudes mais comuns e que mais incomodava nós bolsonaristas, não ter coragem e firmeza de enfrentar o governador, mesmo quando ele se mostrava errado", destacou Ana Caroline.

16:21

E lembrando que, nesta sexta, a Rádio Som Maior apresenta o primeiro debate dos candidatos a prefeito de Criciúma. Saiba as regras e confira mais detalhes clicando aqui.

16:19

Lembrando o tamanho atual das bancadas na Alesc:
MDB - 9 deputados
PSL - 6
PSD - 5
PL - 4
PT - 4
PP - 3
PSDB - 2
PSB - 2
PDT - 1
Republicanos - 1
Novo - 1
PSC - 1
PCdoB - 1

16:18

"Quando se assume um cargo de governador interino, se assume pelos bônus e ônus. E ela sempre esteve muito satisfeita em dizer que era a primeira mulher governadora interina, pedia os bônus para si. E os ônus?", questionou Ana Caroline.

16:16

"Nós pedimos várias vezes para a vice tomar atitudes mais extremas contra o governador", lembra Ana Caroline, que segue elencando razões contra a vice Daniela Reinehr.

16:15

Ana Caroline cita a questão da taxação dos agrotóxicos como outro ponto de impasse envolvendo a vice-governadora e os deputados estaduais do PSL.

16:08

"A vice disse que foi traída pela bancada bolsonarista e que está rompida com Moisés há meses", lembra a deputada do PSL.

16:07

"É com tristeza que escolhemos as palavras que usamos hoje", afirmou Ana Caroline.

16:06

O voto 27 pelo impeachment deve ser dado voto pelo deputado Nazareno Martins, do PSB, ou por Altair Silva, do PP. A informação é de Adelor Lessa.

16:06

Falou o deputado Vampiro. Agora, fala a deputada Ana Caroline Campagnolo, pelo PSL.

16:03

Deputado Vampiro lê um trecho da Bíblia agora.

16:03

"Estamos analisando, no momento, se tem indícios de crime de responsabilidade", frisou Vampiro.

16:02

Cada partido tem uma hora para falar, e são 13 bancadas na Alesc. Se todos quiserem falar, vai longe essa etapa da sessão extraordinária.

16:02

Esse é o visual do plenário da Alesc.

16:01

Deputado Vampiro foi o relator da Comissão Especial do Impeachment. No relatório, aprovado por unanimidade pelos nove deputados membros, apontou pela admissibilidade do processo de impeachment por crime de responsabilidade de Carlos Moisés e Daniela Reinehr.

15:59

Deputado Luiz Fernando Vampiro, pela bancada do MDB, da qual é líder, está falando agora.

15:59

Deputado Júlio Garcia retoma o comando dos trabalhos agora. Está explicando como será a manifestação das bancadas, que poderão, pelos deputados, fazer perguntas aos procuradores dos denunciados.

15:58

Em um dos momentos mais importantes da sua fala, Probst questionou: "Qual o crime de responsabilidade praticado pelo governador do Estado? Não existe. E não é a defesa que diz isso, é o MP-SC", apontou.

15:58

Está encerrada a fala do advogado de Carlos Moisés.

15:58

"Ou essa ocasião vai honrar essa Casa ou será uma mancha na história desse Parlamento", concluiu Marcos Probst.

15:52

Advogado Marcos Probst, que defende Carlos Moisés, segue com a palavra. Ouça pela Rádio Som Maior e assista no 4oito.

15:49

Governador Carlos Moisés, no Twitter, também divulgou o seu apelo contra o impeachment.

15:44

Marcos Probst, advogado de Carlos Moisés, está falando agora na Alesc.

15:44

"Devemos estar muito unidos neste momento, muita responsabilidade de todos porque queremos dar prosseguimento ao trabalho realizado até aqui, que trouxe de um déficit de R$ 1,2 bilhão nas contas públicas para um superávit de R$ 161 milhões em 2019", afirmou. Assista o pronunciamento de Moisés em vídeo clicando aqui.

15:43

Carlos Moisés se pronuncia pouco antes da sessão.

15:42

Em seguida a fala dos defensores de Carlos Moisés.

15:41

Terminou o tempo de Salomão Ribas Júnior.

15:41

Valduga vai votar pelo impeachment. Minotto, em tese, votaria contra, já que demonstrava alinhamento com o governador Moisés. Na foto, a posse de Valduga.

15:40

O suplente Cesar Valduga (PCdoB) assumiu cadeira na Alesc na manhã desta quinta, por conta da licença de Rodrigo Minotto (PDT), que concorrerá a prefeito de Criciúma. Confira detalhes da posse de Valduga clicando aqui.

15:35

Uma correção. Está falando Salomão Ribas Júnior que também é advogado de Daniela Reinehr. Os defensores da vice, Ana Blasi e Salomão, dividiram os 15 minutos em dois tempos de 7min30seg.

15:34

Em seguida vai falar o advogado do governador Carlos Moisés, Salomão Ribas Júnior. Depois, as falas das bancadas. Depois os votos.

15:33

O deputado Ivan Naatz disse que estava aguardando orientação do PL para voto em bloco. A bancada deve votar 3 a 1 no caso de Daniela, um voto contra e três a favor do afastamento. Sobre Moisés, deve ser 4 a 0 pelo afastamento, a ser conferido em seguida, informa Adelor Lessa.

15:33

"Jesus Cristo foi julgado de uma maneira vil, e nós todos, em 2020, nesse planeta de provas, estamos ainda vivendo a súplica de Cristo no calvário. Processo tem que ser justo, puna-se aquele que pratica crime, que é ímprobo, que comete crime, qualquer um de nós. Mas não inocente, isso não está correto", apelou a advogada Ana Blasi, encerrando a sua fala.

15:31

"Queremos registrar nossa estranheza por o PDL da vice ser votado antes. No impeachment anterior na Alesc, não foi isso que se operou. Na época votaram governador, vice e secretário da Fazenda. Hoje, houve uma inversão. A votação seré encaminhada primeiro pelo PDL de Daniela e depois de Moisés", cita a advogada da vice.

15:30

Ela se refere, agora, ao advogado do denunciante, que falou antes.

15:29

Ana Blasi, advogada da vice-governadora, está falando agora.

15:28

Em seguida vão falar os procuradores de Carlos Moisés e Daniela Reinehr.

15:28

33 deputados no plenário agora. Faltam sete.

15:26

"Santa Catarina conta com os senhores. Esse governo perdeu a condição de governar Santa Catarina", diz o advogado Leandro Maciel, procurador de Ralf Zimmer, autor do pedido de impeachment. "Moisés e Daniela são figuras perniciosas ao Estado", emendou.

15:19

Adelor Lessa, no estúdio da Som Maior, acompanha os depoimentos, traz informações na Som Maior e 4oito e analisa, além de informar sobre os bastidores da votação do impeachment.

15:16

Advogado Leandro Ribeiro Maciel, procurador de Ralf Zimmer Júnior e parceiro na denúncia de impeachment, está com a palavra agora na Alesc.

15:15

Advogado do denunciante usará a tribuna por 15 minutos. O denunciante foi o advogado Ralf Zimer Júnior.

15:14

Lembrando as expectativas de votos por bancadas:
MDB - 9 pelo impeachment, do total de 9
PSL - 4 a 5 pelo impeachment, do total de 6
PSD - 5 pelo impeachment, do total de 5
PL - dúvida nos 4 votos
PT - 4 votos pelo impeachment, do total de 4
PP - 1 voto contra, 2 a favor do impeachment, do total de 3
PSDB - 1 voto contra, 1 a favor do impeachment, do total de 2
PSB - 2 votos a favor do impeachment, do total de 2
PDT - 1 voto contra o impeachment
Republicanos - 1 voto pelo impeachment
Novo - 1 voto pelo impeachment
PSC - 1 voto pelo impeachment
PCdoB - 1 voto pelo impeachment

15:12

Júlio Garcia reitera que trata-se de uma "sessão histórica sem ter o que comemorar".

15:11

"Nesse Parlamento, o que mais me orgulha é o respeito dos senhores e senhoras deputados e deputadas", comentou Garcia.

15:11

"Agradeço a todos e todas pela colaboração nesses dias difíceis que estamos passando", salientou.

15:10

"Procedemos até aqui, da forma mais respeitosa possível, agindo com serenidade e cumprindo as orientações da nossa competente procuradoria. E se agimos assim é preciso que reconheçamos o trabalho dedicado dos 40 deputadas e deputados com assento nesta Casa", frisou.

15:10

"Hoje, quando amanheci, li a manchete do jornal DN que referia Dia Histórico. Sim, hoje vivemos um dia histórico, mas não temos o que comemorar. A Alesc mais uma vez cumpre o seu papel. A Alesc não é autora do processo, apenas o processa, respeitando a lei 1.079", referiu o presidente da Alesc.

15:09

Proposta aprovada por unanimidade. O advogado de Carlos Moisés terá 15 minutos para falar. A advogada de Daniela, idem.

15:09

O objetivo é conceder 15 minutos a cada um dos procuradores.

15:08

"Me encaminho e me inclino a atender o requerimento dos procuradores, para que o processo continue da mesma forma que vem seguindo até aqui", diz Júlio Garcia, sobre o pedido dos advogados de Moisés e Daniela para se manifestarem nesta sessão.

15:08

Presidente pergunta ao plenário se poderá conceder palavra aos procuradores de Moisés e Daniela.

15:07

A votação será nominal. "O uso da palavra é restrito ao parlamentar, após a discussão do parecer a lei veda encaminhamentos de questão de ordem", frisou.

15:06

Deputado Júlio Garcia segue explicando os direitos a fala dos partidos durante a sessão, para discussão do parecer.

15:06

O presidente Júlio Garcia (PSD), está explicando o ritual da sessão extraordinária. Assista na TV AL e 4oito. Clique aqui e confira as imagens ao vivo do plenário.

15:04

O PP tem três deputados, um deverá votar contra, e dois a favor do impedimento. O voto contra pode ser o do deputado sul catarinense José Milton Scheffer.

15:03

Ele anuncia a pauta, que é o PDL do impeachment.

15:03

Deputado Júlio Garcia abre a sessão.

15:02

O PT também tem quatro deputados, que votarão pelo impeachment. Posição tomada nesta quinta, em reunião da bancada.

15:01

O PL tem quatro deputados e, conforme o deputado Ivan Naatz, o partido ainda está aguardando a orientação do presidente estadual, senador Jorginho Mello.

15:01

O PSD é a terceira bancada, com cinco deputados, que também votarão pelo impeachment.

15:01

A segunda maior bancada é a do PSL, com seis deputados. Na bancada do seu partido, Moisés deve ter no máximo um ou dois votos a seu favor. A dúvida é o voto do deputado Ricardo Alba. O criciumense Jessé Lopes vota pelo impeachment.

14:59

Além de ouvir na Som Maior e acompanhar no 4oito, assista as imagens ao vivo da TV AL.

14:58

A Alesc tem doze bancadas. A do MDB, a maior com nove deputados, fechou questão pelo impeachment. Será a primeira bancada a votar. O primeiro voto será do líder do MDB, o deputado criciumense Luiz Fernando Vampiro.

14:56

Para o governador Carlos Moisés, o processo de impeachment está sendo banalizado. Saiba mais clicando aqui.

14:56

A vice Daniela chegando agora na Alesc para acompanhar a votação do PDL.

14:55

Agora, no ar na Som Maior, o que disse o governador Carlos Moisés sobre o processo de impeachment.

14:54

A vice-governadora Daniela Reinehr falou à Som Maior nesta quinta sobre o risco de impeachment. Clique aqui e confira detalhes.

14:53

Adelor Lessa está conosco no estúdio da Som Maior fazendo a condução e comentários dessa cobertura.

14:51

Boa tarde! Eu sou o jornalista Denis Luciano e a partir de agora estamos no ar com a cobertura da Rádio Som Maior para a votação do processo de impeachment do governador Carlos Moisés e da vice Daniela Reinehr.