Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Covid-19: Mais duas mortes em Criciúma

Os pacientes, de 70 e 71 anos, eram de municípios vizinhos e estavam em tratamento na cidade
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 23/06/2020 - 11:09Atualizado em 23/06/2020 - 11:36
Arquivo / 4oito
Arquivo / 4oito

Mais duas mortes por Covid-19 para a conta na região. Os óbitos, de um paciente de 70 anos e de uma paciente de 71, foram registrados na manhã desta terça-feira, 26, em Criciúma, e confirmados pela Vigilância Epidemiológica. Mas essas perdas não entram no cálculo de Criciúma, que segue com 11 óbitos. Entram, sim, na contabilidade das cidades vizinhas com atendimentos em hospitais de Criciúma, que eram seis e passaram, agora, para oito.

Com mais essas duas mortes, a Amrec salta para 22 vítimas. A vigésima havia sido registrada ontem, de um paciente de Urussanga. Esses dois casos ocorridos hoje em Criciúma ainda não possuem municípios de origem confirmados.

Preocupação que aumenta

O prefeito Clésio Salvaro admitiu, na noite desta segunda-feira, 22, a possibilidade de voltar a restringir atividades na cidade por conta do aumento dos números de contaminados pelo novo coronavírus. “Tomaremos mais medidas restritivas, não serão extremas, é verdade, porque espero que não seja necessário. Mas o número de pessoas internadas tem aumentado", afirmou. Salvaro reforçou o alerta para os grupos de risco. "Todos sabemos que o hipertenso, o diabético, o idoso, por favor, escutem o prefeito. Não saiam de casa. Tomem as medidas. De 11, 10 morreram com estes problemas. É preciso dizer mais o que? Desenhar aqui no papel Eu quero pedir a sua colaboração”, frisou.

Mais cedo, também nesta segunda, analisando os números, o secretário de Saúde de Criciúma admitiu problemas e revisão do cenário. "Essa semana será de muita análise, porque se continuar o aumento, tem que fazer uma avaliação de restrição. Ninguém quer parar nada, mas temos que fazer essa análise da vida, de não deixar faltar leito hospitalar", afirmou Acélio Casagrande. E essas constatações foram anteriores ao relatório do fim da tarde que passou, quando eram contabilizados 61 internados, entre casos confirmados e suspeitos, por Covid-19 nos hospitais de Criciúma.

O substancial acréscimo de internações preocupa no Hospital São José (HSJ). "A gente mantinha quase que o mesmo número de pacientes internados, eram os mesmos. Agora dobrou na última semana. Essas reuniões familiares, de amigos, são os principais contatos. Pequenas reuniões de grupos, de amigos, e viagens de turismo também", disse à Rádio Som Maior, na manhã desta terça-feira, 23, o diretor técnico do HSJ, Raphael Elias Farias. Ele lembra que, de 28 leitos de UTI disponíveis, 17 estão ocupados, uma taxa de ocupação de 60% no hospital.

Os reflexos já estão sutilmente sendo percebidos nas ruas. Na manhã desta terça, a reportagem do 4oito conferiu a diminuição do movimento na área central.