Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Max Everson
Por Max Everson 06/12/2017 - 15:45Atualizado em 06/12/2017 - 15:47

Joss Stone divulga novo vídeo gravado na Angola pela “Total World Tour”

Nesta quarta-feira (6), Joss Stone liberou em suas redes sociais um novo vídeo da “Total World Tour”.

Dessa vez, o cenário é Luanda e a cantora se encontrou com Toty Sa’Med. O angolano tem influências que vão do rock psicodélico ao jazz, de acordo com a descrição do registro que também elegeu a colaboração acústica e o cenário da cidade como o “ponto alto da viagem“.

A “Total World Tour” já passou pelo País de Gales, onde colaborou com Kizzy Crawford, Mauritânia, se encontrando com a cantora Ebéné, Irlanda com Ryan Sheridan, Botswana ao lado de Ronnie, entre outros.

 

Tags: NoAr Joss Stone

Max Everson
Por Max Everson 06/12/2017 - 15:40Atualizado em 06/12/2017 - 15:43

Roger Waters virá ao Brasil em outubro de 2018 com sua turnê “Us + Them”.

O ex-líder do Pink Floyd fará sete apresentações no país, passando por São Paulo (9/10), Brasília (13/10), Salvador (17/10), Belo Horizonte (21/10), Rio de Janeiro (24/10), Curitiba (27/10) e Porto Alegre (30/10).


As apresentações da turnê contam com uma mistura de músicas de sua carreira solo com as canções de seus anos no Pink Floyd. Segundo o cantor, 80% do show será de materiais antigos e, 20%, de novidades. "Mas tudo será conectado por um tema geral. Será um show legal, eu prometo! Será espetacular como todos os meus shows foram", afirma o cantor. "Wish You Were Here", "The Wall", "Animals" e "Dark Side of The Moon" estão garantidas no repertório.


A pré-venda de ingressos inicia no dia 11 de dezembro para clientes cartão Elo. Para o público geral de São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, as vendas terão início em 14 de dezembro. Para Brasília, Salvador, Curitiba e Porto Alegre, elas começam em 15 de dezembro.


Roger esteve no Brasil em 2012, trazendo sua turnê "The Wall Live", que ficou na estrada de 2010 a 2013.


Confira a programação da turnê de Roger Waters no Brasil:
São Paulo (09/10) – Allianz Parque
Ingressos variam de R$ 165 a R$ 810


Brasília (13/10) – Estádio Mané Garrincha 
Ingressos variam de R$ 120 a R$ 720


Salvador (17/10) – Arena Fonte Nova 
Ingressos variam de R$ 90 a R$ 710


Belo Horizonte (21/10) – Estádio do Mineirão 
Ingressos variam de R$ 150 a R$ 720


Rio de Janeiro (24/10) – Estádio do Maracanã 
Ingressos variam de R$ 110 a R$ 720


Curitiba (27/10) – Estádio Couto Pereira 
Ingressos variam de R$ 110 a R$ 720


Porto Alegre (30/10) – Estádio Beira-Rio
Ingressos variam de R$ 110 a R$ 720

Max Everson
Por Max Everson 01/12/2017 - 10:38Atualizado em 01/12/2017 - 10:41

Que tal ouvir novamente “Ponta de Areia”, “San Vicente”, “Cais” e “Cravo e Canela”, e ainda “O Que Será”, de Chico Buarque, e “Beijo Partido”, de Toninho Horta.

Agora isso é possível, pois foi com esse intuito que Zélia Dunca e Jaques Morelenbaum lançaram um novo trabalho, interpretando nada mais nada menos que Milton Nascimento.

“Nossa vontade era tocar, cantar e gravar centenas de canções que povoaram nossos imaginários e corações durante a adolescência e uma substancial parte de nossas vidas”, completa Morelenbaum, que buscou manter fidelidade total às obras em questão para esse projeto com Zélia.

confira as faixas do disco:

 
1 O Que Foi Feito Devera

2 O Que Será

3 Ponta de Areia

4 San Vicente

5 Caxangá

6 Calix Bento

7 Cravo e Canela

8 Encontros e Despedidas

9 Canção Amiga

10 Mistérios

11 Travessia

12 Volver a los 17

13 Beijo Partido

14 Cais

Max Everson
Por Max Everson 29/11/2017 - 11:40Atualizado em 29/11/2017 - 11:49

Todo mundo sabe que ele foi um Beatle. O Beatle calado, sempre sob a sombra de Lennon-McCartney, certo? Bem, para alguém que viveu sempre comparado com os dois gênios dos Beatles, George Harrison teve um papel maior que o crédito que muita gente lhe dá.


Aprender a tocar guitarra nunca foi algo que veio naturalmente para ele, que teve de malhar seu instrumento até os dedos sangrarem; mas o resultado foi um instrumentista acima da média na vizinhança. Foi contando para os colegas da escola sobre sua primeira apresentação ao vivo, com sua banda The Rebels, que ele chamou a atenção de um garoto mais velho chamado Paul McCartney. Paul, que havia ganho de presente de Natal um trumpet, mas queria aprender a tocar violão, passou a freqüentar a casa dos Harrisons, passando a tarde estudando o instrumento com George. Sim, é isso mesmo. George Harrison ajudou Paul McCartney a aprender a tocar violão.


No ano seguinte, Paul estava tentando fazer a cabeça de seu amigo John Lennon a botar o garotinho na sua banda. Lennon relutava, pois aos 17, não queria ser visto com um moleque de apenas 14 anos. Porém, quando Lennon cedeu e Harrison, a poucas semanas de quinze anos, finalmente entrou para os Quarry Men, banda embrião dos Beatles, a primeira coisa que ele fez foi ensinar John Lennon a tocar sua guitarra direito. Isto mesmo. George Harrison também ajudou John Lennon a aprender a tocar o violão. Embora já tocasse seu instrumento há dois anos, Lennon sempre tocava o violão como se fosse um banjo, atacando apenas quatro cordas. Foi George que instigou Paul a ajudá-lo a convencer Lennon a tomar vergonha na cara e malhar no instrumento. Nada mal para uma mera sombra.

Já com o sucesso dos Beatles, Harrison teve a sabedoria de não se deixar enganar por egos infláveis. Sua única preocupação era de não errar o solo, sempre tocar direitinho. A única razão pelo qual ele começou a compor canções foi em função de uma certa pressão das pessoas dentro da máquina Beatles que viam de bom grado se o Beatle George também se tornasse uma fonte de lucro para a Northern Songs. Até o final da existência da banda, Harrison já seria respeitado pela excelência em canções como "Something" e "Here Comes The Sun".

Uma das grandes contribuições para os anos 60 foi seu interesse por música e filosofia Hindu. Por ser um Beatle, atraiu a curiosidade mundial, colocando a Índia na moda. Nunca nascer lá foi tão "in" na Inglaterra e EUA como na 2ª metade daquela década. Ao pegar uma cítara e passar a estudar filosofia com o Maharishi, ele trouxe para a banda e para os ocidentais a chance de descobrir e popularizar palavras como mantra, yoga, curry e comida macrobiótica.

Após o fim dos Beatles, sua carreira parecia ter explodido. Grava "All Things Must Pass", que seria um sucesso de crítica e vendas, mesmo sendo um álbum triplo. Além do prestígio que trouxe para Harrison, o disco também acabou sendo o responsável por formar o embrião da banda Derek & The Dominoes, com Eric Clapton, Dave Mason, Carl Radle, Bobby Whitlock e Jim Gordon. Mason acabaria saindo depois, criando a oportunidade para a posterior entrada de Duanne Allman. No ano seguinte, Harrison realiza o primeiro show beneficente da história do Rock, que rendeu outro álbum triplo, o "Concert For The People of Bangla Desh". Para um Beatle quieto, sua conscientização político-social falou bem alto e todos nós ouvimos o clamor.

Seus discos seguintes são emersos em filosofia e religiosidade, o que de um lado, demonstra sua coragem em não temer se expor, porém na prática, acabam por cansar o grande público. Ao mesmo tempo, manteve a admiração de muitos dos fãs que viam inalterada a imagem do eterno Beatle místico. Contribui com doações para diversas obras de caridade, tudo em silêncio através de sua fundação, a Material World Charitable Foundation, inaugurada em abril de 1973. Com o fim da Apple, fundou a Dark Horse Records, cuja distribuição foi selada por um contrato confuso com a A&M, imediatamente seguido por outro com a Warner. Consegue dois álbuns expressivos, "33 & 1/3" de 1976 e o auto intitulado "George Harrison" de 1979, seguidos por outros dois fracassos (apesar de conseguir em 1982 emplacar o hit "All Those Years Ago").

Harrison então opta por deixar sua carreira musical de lado, reservando então parte da década de oitenta para se dedicar ao cinema. Fundou uma produtora, a Hand Made Films, cujo catálogo inclui películas como "Life of Brian" (com o grupo Monty Python, onde Harrison também fez uma ponta), "Mona Lisa" (com Bob Hoskins) e "Shanghai Sunrise" (com Sean Penn e Madonna). Em 1987, voltaria suas atenções para um novo disco. Nasce o "Cloud Nine", último disco solo do artista a marcar as paradas de sucesso do mundo inteiro, com as músicas "Got My Mind Set On You" e "When We Was Fab", esta, uma última e derradeira olhada para sua carreira como um Beatle. O álbum também conta com a participação do seu ex-colega de banda, Ringo Starr.

Precisando de um lado B para "This is Life", que sairia em compacto, descobre que não tem nada disponível. Em Los Angeles, almoçando com Roy Orbison e Jeff Lynn, convida os dois para ajudá-lo a gravar algo rapidamente, ao que Lynn sugere que utilizem o estúdio de Bob Dylan. Harrison, ao buscar um violão acústico na casa de Tom Petty, acaba convidando-o para que o acompanhasse até o estúdio, onde Dylan acabaria também sendo intimado a participar do quinteto. Harrison se divertiu tanto com a experiência que instigou todos a gravarem um LP, e assim, bem ao acaso, nasce The Traveling Wilburys, onde no melhor estilo Ramones, todos os integrantes do grupo se tornam membros de uma suposta família Wilbury. George Harrison é Nelson Wilbury, Roy Orbison é Lefty, Bob Dylan torna-se Lucky, e Tom Petty ganha o nome de Charlie T. Wilbury. O álbum lançado em 1988 oferecia ainda todo um texto sobre a história da família Wilbury escrito por Hugh Hampton E. F. Norti-Blitz, que na verdade é ninguém menos do que Michael Palin, um dos lendários comediantes do grupo Monty Pyton, que Harrison tanto adimirava. Os Traveling Wilburys dariam a Harrison a chance de voltar a saborear a velha sensação de estar em uma banda, sem o risco da crítica estragar a brincadeira fazendo comparações indesejáveis com os Beatles.

Infelizmente Roy Orbison viria a falecer pouco depois, tendo a banda feito apenas mais um álbum de despedida, curiosamente chamado "Vol.3". Encerrada esta fase, Harrison se tornou um recluso, aparecendo muito pouco publicamente durante a década de 90. Só voltou a ser notícia quando Paul McCartney o procurou para trabalharem na biografia dos Beatles, que veio a ser chamada "Anthology" e compreende cinco vídeos, três CD duplos e um livro gigantesco de 367 páginas.

Harrison teria sido diagnosticado com câncer quando foi encontrado um caroço em sua garganta, em 1997. Em agosto daquele mesmo ano, passa por uma cirurgia e segue tratamento no Royal Marsden Hospital perto de Londres. Passa então a monitorar sua saúde com maior atenção, periodicamente indo para o Mayo Clinic em Minnesota para um checkup. Em janeiro de 1998, os médicos concluíram que o cancer não mostrava mais nenhum sinal de retorno. Só ouviríamos novamente falar de Harrison após o ano novo que celebrava o novo milênio, quando soubemos que ele fora esfaqueado por um fã (oh, raça!), apunhalado diversas vezes, atingindo um de seus pulmões. Harrison lentamente se recuperou do atentado contra sua vida, porém em março deste ano, os médicos descobriram que ele era portador de câncer no pulmão. Em maio, George entra na faca novamente no Mayo Clinic, onde perde metade de seu pulmão. Embora inicialmente a operação tenha sido encarada como um sucesso, em semanas, o câncer ressurge novamente, desta vez no seu cérebro.

Harrison tenta então um tratamento com cobalto no prestigioso Sainta Giovanni Hospital em Bellinzona, Suíça. Em outubro, enquanto ainda se recuperava do tratamento, gravou uma composição sua e do filho chamado "Horse To The Water" com o repórter e músico Jools Holland. A canção é uma despedida e, com usual humor negro, creditada ao RIP Ltda 2001. Com a saúde cada vez mais precária, sentido dores homéricas, tenta um último tratamento com radiação localizada administrado pelo Dr. Gil Lederman da University Hospital de Staten Island. O tratamento serviu apenas para aliviar as cólicas e lhe permitir que seus últimos momentos fossem sem a aflição da dor.

Enquanto hospitalizado, ele foi visitado pelos amigos Paul McCartney e Ringo Starr, que encontram um George Harrison magro, fisicamente abatido, porém soltando inúmeras piadas. Emocionado, conta-se que levou Paul McCartney a ter uma pequena crise de choro, coisa incomum para os ingleses, que são por natureza meio "frios" emocionalmente falando. George Harrison deixou Staten Island dia 7 de novembro, indo então para Los Angeles, onde se hospedou na casa de Gavin de Becker, antigo chefe de segurança e amigo da família. Aparentemente suas últimas palavras foram "Tudo mais pode esperar, todavia a procura de Deus não pode" e "amai-vos uns aos outros"...

Falando de George:

"Sou o Beatle classe econômica."
George Harrison

"Não há nenhum mistério em George em si. O mistério está dentro dele. Assisti-lo revelá-los lentamente é que é tão interessante."
John Lennon (1968)

"Ele era um grande sujeito, cheio de amor e humanidade, embora não aturasse gente tola. Um grande homem. Sua perda será sentida por todos. Estou arrasado. Ele era um cara muito querido e um homem extremamente corajoso, com um incrível senso de humor. Ele é meu irmão caçula."
Paul McCartney

"George era um dos meus melhores amigos. Eu o amava muito e sentirei muito sua falta, pelo seu senso de amor, senso musical e seu senso de humor."
Ringo Starr

"Ele escreveu algumas das melhores canções dos Beatles, mas afora isto, tinha uma gentileza e espiritualidade que fazia de sua companhia um momento de grande prazer. Eu tenho lamentado sua perda e sentirei muita falta dele."
Paul Simon

"Este é um dia negro, um dia triste. Ele era um garoto muito talentoso e jovem demais para morrer."
Gerry Marsden (líder do Gerry & The Pacemakers)

"George nos deu tanto durante sua vida e continua mesmo após sua passagem, com sua música, sua inteligência e sua sabedoria."
Yoko Ono

"Ele era o Beatles mirim, e diferente de Paul ou John, penou para desenvolver seu talento para compor sozinho. Mas ele trabalhou muito para o que queria e acabou compondo uma das melhores canções de amor de todos os tempos, 'Something'."
George Martin (produtor dos Beatles)

"George não tinha a cabeça nas nuvens o tempo todo. Quando era hora de negócios, mantinha os pés firmemente no chão. Havia uma mistura, uma mistura muito prazerosa. George defendia os filmes que achava que ele mesmo gostaria de assistir como espectador, e há poucas pessoas com esta atitude iluminada"
Michael Palin (Monty Python)

"Uma geração inteira, incluindo eu mesmo, cresceu ouvindo os Beatles. Suas músicas, a banda e suas quatro personalidades, foram o pano de fundo de nossas vidas. Acho importante apontar que ele não era apenas um artista e músico talentoso, mas que contribuía com somas enormes para a caridade. Acredito que o povo estará muito triste com sua morte."
Tony Blair (Primeiro Ministro da Inglaterra)

"Fiquei três dias em Lugano, na Suíça com George e sua esposa Oliva, e conversamos muito. Quando eu cheguei, senti que ele estava bastante abatido. Aos poucos foi se animando e no último dia não queria me deixar ir embora. Hoje é um dia bastante triste para mim, mas tenho certeza que George morreu acreditando na vida eterna e que um dia estaremos novamente juntos."
Emerson Fittipaldi

"George era um gigante, uma grande, grande alma, com toda a humanidade, inteligencia e todo o humor, espiritualidade, o senso comum do homem, e compaixão por pessoas. Ele inspirava amor e tinha a força de cem homens. Era como o sol, as flores e a lua, e iremos sentir sua falta enormemente. O mundo é um lugar extremamente vazio sem ele."
Bob Dylan

"Conheci George e Ringo na casa de Leon Russell, onde eu trabalhava, por um tempo. Eu fiquei muito impressionado com os dois pelo fato de não serem convencidos, dando atenção para mim, que não era ninguém. Assim era o George, um sugeito realmente decente."
Tom Petty

"Passamos o dia anterior a sua passagem juntos, e ainda assim, ele estava com um ar de paz, cercado de amor. George nos deixou com tantos momentos e memórias agradáveis, que permanecerão conosco para sempre."
Ravi Shankar

"Vamos torcer que ele esteja fazendo uma 'jam' com John."
Keith Richards

"Ele era uma pessoa complexa, ao mesmo tempo quieto e engraçado, com uma natureza muito doce. Mas podia ser combativo também. Foi o primeiro músico que eu conheço a desenvolver um lado autenticamente espiritual. Ele era extremamente generoso com seu tempo, tanto para a caridade como para os amigos."
Mick Jagger

"George Harrison foi uma destas poucas pessoas realmente boas sob a Terra. Uma das melhores pessoas que conheci nesta vida. Eu irei, assim como o mundo, sentir muito sua falta."
James Brown

"To the Spiritual Sky I want to pray,
Oh how I pray
That I won't get lost or go astray"
George Harrison

Por Márcio Ribeiro - Whiplash.Net

Max Everson
Por Max Everson 27/11/2017 - 15:00Atualizado em 27/11/2017 - 15:01

 A cantora Teresa Cristina lançou um projeto surpreendente. Depois da belíssima homenagem que fez a Paulinho da Viola cantando seu repertório em “A Música de Paulinho da Viola” (Deck, 2002), ela interpreta canções de Roberto Carlos ao lado da banda Os Outros, conhecida pelos shows dedicados ao Rei.

 Tudo começou quando Teresa foi convidada para participar de um desses shows. Deu tão certo que a parceria se tornou constante até surgir a ideia do álbum.

No repertório estão os clássicos de Roberto Carlos: “Proposta”, “Como Dois e Dois”, “Sua Estupidez”, “Cama e Mesa”, “As Curvas da Estrada de Santos”, “Ilegal, Imoral ou Engorda”, “A Janela”, “Do Outro Lado da Cidade”, “O Moço Velho”, “O Portão”, “Você Não Serve pra Mim”, “Quando”, “I Love You”, “Nada Vai me Convencer” e “Despedida”.

A versão Deluxe conta com as faixas “Música Suave” e “Sua Estupidez”, que estão disponíveis apenas no formato digital.

É uma oportunidade de escutar os clássicos do Rei cantado por uma das maiores cantoras do país e tocado por uma banda especializada, que entende tudo do assunto.


1 Ilegal, Imoral Ou Engorda 3:31
2 A Janela 5:20
3 Como 2 e 2 4:54
4 Proposta 4:37
5 O Moço Velho 4:03
6 Do Outro Lado da Cidade 4:07
7 O Portão 4:50
8 Você Não Serve Pra Mim 3:16
9 Quando 3:07
10 Nada Vai Me Convencer 3:36
11 Cama e Mesa 4:02
12 I Love You 3:14
13 As Curvas da Estrada de Santos 3:56
14 Despedida 3:17
15 Música Suave (Deluxe Version) 3:35
16 Sua Estupidez (Deluxe Version) 2:59

Max Everson
Por Max Everson 27/11/2017 - 14:39Atualizado em 27/11/2017 - 14:41

O britânico Phil Collins anunciou que se apresentará em três cidades do país, em fevereiro de 2018.

Collins retorna aos palcos depois de 10 anos sem entrar em turnê e virá ao nosso país com “The Legendary Phil Collins Live”. O músico fará shows no Rio de Janeiro (22/02), São Paulo (24/02) e Porto Alegre (27/02).

Além do Brasil, o britânico passará por outros países da América do Sul, como Peru, Chile, Uruguai, Argentina e Porto Rico.

Os ingressos para as apresentações de Collins no Brasil serão vendidos a partir do dia 07 de dezembro, no site oficial da Eventim. 

 

Max Everson
Por Max Everson 24/11/2017 - 16:18Atualizado em 24/11/2017 - 16:24

Disney, Idina Menzel e Demi Lovato são processadas por plágio em "Let It Go"

Lançada em 2013, a faixa “Let It Go” faz parte da trilha sonora de Frozen, uma das animações mais bem-sucedidas da Disney. Hoje, quatro anos depois, o cantor chileno Jaime Ciero iniciou um processo contra a produtora e as cantoras Demi Lovato e Idina Menzel afirmando que a canção seria plágio de “Volar”, uma de suas músicas.

Segundo o cantor, o hit da Disney possui as mesmas características, combinações, rimas, estrutura e produção de seu trabalho gravado em 2008. Ele afirma que, mesmo tendo sido gravado em espanhol, as canções são bem parecidas.

tire suas conclusões:

 

Como exigência no processo, Jaime quer receber parte dos lucros sobre a canção, o filme e todos os produtos gerados e comercializados por conta da música.

“Let It Go” é uma das faixas mais populares dos últimos cinco anos. No YouTube, a versão do filme, cantada por Idina Menzel, conta com mais de 1 bilhão de visualizações no canal oficial da Disney. Já a versão de Demi Lovato acumula cerca de 530 milhões de visitas.

A questão que fica é: as canções são realmente parecidas ou o Chileno está sendo equivocado?

Max Everson
Por Max Everson 24/11/2017 - 11:18Atualizado em 24/11/2017 - 11:22

O oitavo álbum de estúdio do AC/DC, o intitulado “For Those About To Rock (We Salute You)”, completou 36 anos de lançamento na quinta feira 23/11.

O disco inspirado nos gladiadores romanos, foi o último álbum a ser produzido por Robert Lange, que havia colaborados nos antecessores: “Highway to Hell” (1979) e “Back in Black” (1980). O trabalho é um dos mais vendidos dos australianos, com mais de sete milhões de cópias vendidas em todo o mundo.


Entre os sucessos está as faixas “I Put the Finger on You” 

e “Let’s Get It Up”, compostas por Brian Jonhson, e os irmãos Angus Young e o Malcolm Young, falecido no último sábado (18).

A faixa-titulo foi a última música que Malcomlm tocou com o grupo em Bilbao, na Espanha, no dia 28 de junho de 2010, antes de se aposentar por conta de problemas de saúde.

 

Max Everson
Por Max Everson 22/11/2017 - 15:16Atualizado em 22/11/2017 - 15:19


Nick Jonas lançou a musica natalina “Say All You Want” em parceria com a cantora Shania Twain.

A canção faz parte do álbum “This is Christmas”, que contará com faixas de outros artistas como Elton John e a banda Fall Out Boy.

 

Tags: NoAr Natal

Max Everson
Por Max Everson 22/11/2017 - 15:05Atualizado em 22/11/2017 - 15:11

Todos que gostam de um bom filme, normalmente gostam também de uma boa trilha sonora, mas as vezes o filme não é assim um daqueles de ver, rever e um dia querer ver novamente...

mas no caso deste que vou escrever aqui, vale pela comédia (amerericana) e claro pela trilha sonora que apresenta... estou falando de “Pai Em Dose Dupla 2” (“Daddy’s Home 2” em inglês) que é uma comédia natalina dirigida por Sean Anders e estrelada por Will Ferrell e Mark Wahlberg. Esta é uma sequência do longa lançado em 2015, com a presença dos mesmos atores principais. 


Depois de resolverem seus problemas, Brad (Will Ferrell) e Dusty (Mark Wahlberg) agora precisam lidar com a presença de seus próprios pais, que voltaram para casa no Natal, e possuem temperamentos muito diferentes.

e o filme apresenta belas trilhas que se pode conferir aqui:

Thunderstruck – AC/DC

AC/DC é uma banda formada na Austrália, em 1973. Sendo considerada um dos grupos de rock mais bem sucedidos de todos os tempos, eles possuem mais de 10 álbuns lançados e diversos hits. Já foram 200 milhões de cópias vendidas por todo o mundo, sendo 71 milhões só nos Estados Unidos.

“Thunderstruck” foi o carro-chefe do disco “The Razors Edge”, lançado em 1990. Foi extremamente bem sucedida nas paradas musicais e é uma das poucas músicas antigas que a banda ainda apresenta em seu repertório ao vivo.

Give A Little Bit – Supertramp

Supertramp é uma banda britânica formada em 1969. Ao longo dos anos, Roger Hodgson e Rick Davies (os dois compositores) escreveram e cantaram separadamente suas composições. Nos anos 70, ultrapassaram a marca de 60 milhões de discos vendidos e entraram em diversos hiatos, retomando a banda em 2010.

“Give A Little Bit” é uma canção escrita por Roger Hodgson e presente no disco “Even in the Quietest Moments”, de 1977.  O músico afirma que usou a faixa “All You Need Is Love”, dos Beatles, como inspiração.


It’s A Miracle – Barry Manilow

Barry Manilow é um cantor, compositor e produtor americano, que possui mais de 50 anos de carreira. Comercialmente falando, o músico é extremamente bem sucedido, já tendo alavancado 47 singles no Top 40 diversos álbuns multi-platina.

“It’s A Miracle” integra o disco “Barry Manilow II”, lançado em 1975. Alcançou a posição de número 12 na Billboard 100 e garantiu o primeiro lugar nas paradas musicais do mundo todo.


Open Arms – Journey

Journey é uma banda americana que alcançou o auge de seu sucesso entre os anos de 1978 e 1987. Tiveram uma serie de canções em ótimas posições nas paradas musicais e venderam cerca de 48 milhões de álbuns nos Estados Unidos.

“Open Arms” integrou o disco “Escape”, de 1981. Escrito por Steve Perry e Jonathan Cain, este é um dos singles mais aclamados do grupo. Diversos artistas como Mariah Carey e Celine Dion fizeram cover da canção.

até a próxima!
 

Max Everson
Por Max Everson 18/11/2017 - 20:07Atualizado em 18/11/2017 - 20:14

Morreu aos 64 anos deste sábado (18), Malcolm Young, que fundou com o seu irmão Angus, a lendária banda de rock AC/DC.

A triste notícia foi dada através de comunicado nas redes sociais da banda, informado que o guitarrista morreu de demência, mas tranquilo em casa ao lado da família. A doença fez com que ele deixasse o grupo em 2014.

“Hoje é com profunda tristeza sincera que a AC/DC tem que anunciar a passagem de Malcolm Young.
Malcolm, juntamente com Angus, foi o fundador e criador da AC/DC. 
Com enorme dedicação e compromisso, ele foi a força motriz por trás da banda. 
Como guitarrista, compositor e visionário, ele era um homem perfeccionista e único. Ele sempre pegou suas armas e fez e disse exatamente o que queria. Ele ficou orgulhoso de tudo o que ele tentou. Sua lealdade aos fãs foi insuperável.

Como seu irmão é difícil expressar em palavras o que ele quis dizer para mim durante minha vida, o vínculo que tivemos foi único e muito especial.
Ele deixa para trás um enorme legado que viverá para sempre.
Malcolm, trabalho bem feito.”

No início do ano, Brian Johnson agradeceu o apoio dos fãs suecos a Malcolm, que organizaram um evento chamado “ACDCmachine Gathering”, para levantar fundos para a pesquisa de tratamento das doenças de Alzheimer e demência.

 

Max Everson
Por Max Everson 18/11/2017 - 19:54Atualizado em 18/11/2017 - 20:01

O Iron Maiden lançou nesta sexta-feira (17) mais um álbum ao vivo, “The Book Of Souls: Live Chapter (Warner Music)”.

O disco traz 15 faixas gravadas durante a “The Book Of Souls World Tour”, que passou por 39 países em seis continentes entre 2016 e 2017, e foi vista por mais de dois milhões de fãs.

O trabalho ainda inclui duas músicas registradas em shows no Brasil, “Fear of the Dark” (em Fortaleza) e “Wasted Years”.

Produzido por Steve Harris e Tony Newton, “The Book Of Souls: Live Chapter” foi disponibilizado fisicamente em CD, CD deluxe, e vinil.

 

Max Everson
Por Max Everson 17/11/2017 - 11:16Atualizado em 17/11/2017 - 11:19


 

Linkin Park divulgou o trailer de seu novo álbum ao vivo, “One More Light Live”. O material foi gravado durante a turnê de divulgação de seu mais recente disco, que leva o mesmo nome.

“Nós dedicamos esse álbum ao vivo para nosso irmão Chester, que colocou seu coração e alma em ‘One More Light’. Depois que terminamos de gravar o álbum, nós brincamos com Chester que — entregou tantas boas performances no estúdio — ele tinha elevado o níveel para a produção no palco de cada noite. Nada surpreendentemente, ele cumpriu o desafio”, escreveu a banda em um comunicado divulgado em seu site oficial.


O CD chegará às lojas no dia 15 de dezembro e marca a última turnê do vocalista Chester Bennington com a banda, que se suicidou em julho deste ano.
 

Tags: NoAr Linkin Park

Max Everson
Por Max Everson 17/11/2017 - 11:06Atualizado em 17/11/2017 - 11:09

 

O canal oficial da BBC Music postou as performances do Deep Purple no ‘Radio 2 In Concert’ apresentadas no dia 16 de novembro.

O grupo apresentou durante a noite a icônica ‘Smoke On The Water’, faixa de 1972 do álbum ‘Machine Head’, 

além da recente ‘All I Got Is You’, música que faz parte do disco ‘inFinite’, lançado agora em 2017.

A banda vem ao Brasil em dezembro junto com o Cheap Trick para se apresentar no festival Solid Rock. O evento também terá participação da Tesla como atração convidada.

Max Everson
Por Max Everson 14/11/2017 - 15:49Atualizado em 14/11/2017 - 15:52

Rouge grava novo single "Bailando", primeira música nova desde 2013!

Parece que o Rouge voltou mesmo pra ficar! 
O quinteto anunciou nesta terça-feira (14) que a música " Bailando ", novo single do grupo, já está gravada. Esse é o primeiro trabalho inédito das meninas desde que se reuniram em 2013, para um especial do Multishow, e gravaram " Tudo é Rouge ".
A canção ainda não tem previsão de lançamento, mas deve sair em breve!

 

Max Everson
Por Max Everson 14/11/2017 - 15:39Atualizado em 14/11/2017 - 15:42

Após 25 anos, baixista do Barão Vermelho deixa a banda.

No comando do contrabaixo da banda Barão Vermelho desde 1992, Rodrigo Santos não faz mais parte da lendária banda do Rock Nacional. Rodrigo Santos, que agora vai dedicar a sua vida e fez a sua última apresentação com a banda em Curitiba, na última sexta-feira, 10.

Por conta da saída de Rodrigo, a Barão Vermelho, agora, faz uma série de ensaios para poder escolher o novo baixista, além de preparar um álbum de músicas inéditas, que deverá ser lançado em 2018. 

"Sentirei saudades de todos esses caras fantásticos, a quem amo tanto. Sucesso a todos nós!!", disse Rodrigo Santos em post de rede social no qual divulgou o comunicado do Barão Vermelho sobre a saída do baixista.

Vale lembrar que, em janeiro deste ano, Frejat deixou o Barão Vermelho e foi substituído por Rodrigo Suricato, da banda Suricato.

Max Everson
Por Max Everson 13/11/2017 - 15:25Atualizado em 13/11/2017 - 15:30

Eu (particularmente) achei bonitinha, fácil de ouvir, e ainda tem a participação da Sandy!

 

Max Everson
Por Max Everson 13/11/2017 - 15:18Atualizado em 13/11/2017 - 15:20

a banda O Rappa irá dar um tempo na carreira e, para tanto, a data do último show já está marcada: dia 14 de abril, no espaço Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro, segundo informações do jornal "O Globo" deste domingo, 12.

O Rappa carrega em sua história, de quase vinte e cinco anos, dez discos lançados, cinco DVD's e mais de vinte singles emplacados em inúmeras rádios de todo o Brasil. 

Quando anunciaram o fim, os integrantes contaram que: "Chegou a hora de dizer que vamos parar e, desta vez, sem previsão de volta. A boa notícia é que vamos terminar esta turnê. Os shows estão confirmados até fevereiro de 2018".

 

Max Everson
Por Max Everson 13/11/2017 - 11:06Atualizado em 13/11/2017 - 11:13

R.E.M. lança álbum especial de 25 anos do disco ‘Automatic For The People’
 

O disco, lançado em 1992, foi o oitavo feito em estúdio pela banda, e neste novo projeto são 45 músicas, sendo 20 demos inéditos de sessões gravadas na época do álbum. ‘Mike’s Pop Song’ é uma das novidades que os fãs poderão escutar.

A tracklist completa você pode conferir abaixo:


Disc 1 — Automatic for the People
01. Drive
02. Try Not to Breathe
03. The Sidewinder Sleeps Tonite
04. Everybody Hurts
05. New Orleans Instrumental No. 1
06. Sweetness Follows
07. Monty Got A Raw Deal
08. Ignoreland
09. Star Me Kitten
10. Man on the Moon
11. Nightswimming
12. Find the River

Disc 2 — Live At The 40 Watt Club
01. Drive
02. Monty Got A Raw Deal
03. Everybody Hurts
04. Man On The Moon
05. Losing My Religion
06. Country Feedback
07. Begin The Begin
08. Fall On Me
09. Me In Honey
10. Finest Worksong
11. Love Is All Around
12. Funtime
13. Radio Free Europe

Disc 3 — Automatic for the People Demos
01. Drive (demo)
02. Wake Her Up (demo)
03. Mike’s Pop Song (demo)
04. C to D Slide 13 (demo)
05. Cello Scud (demo)
06. 10K Minimal (demo)
07. Peter’s New Song (demo)
08. Eastern 983111 (demo)
09. Bill’s Acoustic (demo)
10. Arabic Feedback (demo)
11. Howler Monkey (demo)
12. Pakiderm (demo)
13. Afterthought (demo)
14. Bazouki Song (demo)
15. Photograph (demo)
16. Michael’s Organ (demo)
17. Pete’s Acoustic Idea (demo)
18. 6-8 Passion & Voc (demo)
19. Hey Love [Mike voc] (demo)
20. Devil Rides Backwards (demo)

Disc 4 — Blu-ray
01. Automatic for the People (+ bonus track: Photograph) mixed in Dolby Atmos
02. Automatic for the People (+ bonus track: Photograph) Hi-Resolution Audio
03. Drive (music video)
04. The Sidewinder Sleeps Tonite (music video)
05. Everybody Hurts (music video)
06. Man On The Moon (music video)
07. Nightswimming (music video: British version)
08. Find The River (music video)
09. Nightswimming (music video: R version)
10. Automatic Press Kit

Ouça o álbum na íntegra no Spotify:

 

Tags: NoAr REM

Max Everson
Por Max Everson 10/11/2017 - 11:40Atualizado em 10/11/2017 - 11:43

O Milky Chance divulgou um vídeo acústico da canção “Bad Things“, que teve seu videoclipe lançado recentemente.

“Bad Things” é faixa integrante do último disco da banda, intitulado de “Blossom”, que foi lançado este ano e conta com a participação da cantora Izzy Bizu.

Atualmente, o grupo está em turnê pelo Reino Unido, mas em março de 2018 eles chegam ao Brasil para uma apresentação no Lollapalooza.

 

3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15