Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Max Everson
Por Max Everson 16/02/2018 - 11:31Atualizado em 16/02/2018 - 11:47

The End of the F ** ing World:

É a mais recente coqueluche do Netflix, com tudo o que isso implica: ser amada por uns e odiada por outros.

Para muitos, The End of the F ** ing World estranha-se, depois entranha-se, para outros, entranha-se assim que se percebe que a história é contada naquele estilo indie absurdo a que as produções britânicas nos têm habituado. 

A série tem sido constantemente comparada a Submarine, de Oliver Tate, ou a Juno que, sendo um filme canadiano/norte-americano, aproxima-se em tudo do género pela abordagem peculiar e o enredo sarcástico.

Jonathan Entwistle é o jovem realizador por trás desta produção. Aluno do movimento cinematográfico de Chelsea, aos 33 anos, o seu repertório conta essencialmente com curtas-metragens e trabalhospublicitários. Entre eles está também TEOTFW – para The End of the F *** ing World –, mini-filme televisivo de 2014 que acabou por servir de episódio-piloto da série. Na altura, o filme foi protagonizado por Craig Roberts, ironicamente, o imberbe protagonista de Submarine, acima referido. Mas em 2017, o elenco da série também não desilude, antes pelo contrário, é grande parte do seu sucesso.

The End of the F ** ing World conta-nos a história de James, um jovem de 17 anos que acredita ser psicopata e que tem o sonho de matar alguém, e de Alyssa, uma colega de turma rebelde, mal humorada, que vê em James uma hipótese de escapar da sua actual vida pessoal. 

Alyssa parece ser a vítima perfeita para James, James parece ser a companhia ideal para Alyssa escapar à sua rotina aborrecida.

A série é uma adaptação do livro de banda desenhada de Charles Forsman com o mesmo nome, que já tinha tido uma versão televisiva, mas nem de perto com este sucesso. Talvez por ter Charlie Covell responsável pelo argumento. A actriz britânica é uma autêntica revelação a atacar e reinterpretar a obra de Forsman. 

Talvez seja pela fotografia ou pelo facto de a banda sonora ser maravilhosa e da autoria do co-fundador dos Blur, Graham Coxon. The End of the F *** ing World tem uma pontuação de 100% no Rotten Tomatoes e desde que chegou ao Netflix que a imprensa especializada não tem feito mais nada a não ser especular acerca de uma segunda temporada.

Você pode até não gostar da série, com capítulos rápidos de no máximo 20 minutos, mas lhe garanto que a trilha sonora é algo que faz voce se perguntar "wow, qual será a próxima?!?"

ficou curioso(a)...então ouça! lembrando que algumas delas também pode-se ouvir na programação aqui da Som Maior no Programa Som Maior NO AR.

 

Max Everson
Por Max Everson 15/02/2018 - 16:41Atualizado em 15/02/2018 - 16:43

A cantora italiana Laura Pausini anunciou que sua turnê mundial passará pelo Brasil em agosto. Ela fará cinco apresentações em quatro capitais do país:

São Paulo: 20 e 21 de agosto, no Citibank Hall
Brasília: 23 de agosto, no Teatro Guimarães
Recife: 25 de agosto, no Classic Hall
Curitiba: 27 de agosto, no Teatro Positivo


Vencedora de um Grammy em 2006 e uma das cantora mais populares de seu país, Pausini lançará em 16 de março "Fatti Sentire", seu 14º álbum de estúdio. Em janeiro, a cantora divulgou o single "Non È Detto" .

Os primeiros shows da turnê acontecerão em julho no Circus Maximus, tradicional arena da Roma Antiga, na Itália. Pausini será a primeira mulher a se apresentar no palco, que já recebeu Rolling Stones e Bruce Springsteen.

Para promover o disco, ela passará ainda por México, Guatemala, Costa Rica, Equador, Peru, Argentina, Chile, Estados Unidos e outros países da Europa.

Para os shows em São Paulo, ingressos começarão a ser vendidos em 23 de fevereiro, pelo site da Tickets for Fun, em pontos de venda e na bilheteria oficial. Preços vão de R$ 60 a R$ 700.

Max Everson
Por Max Everson 15/02/2018 - 16:22Atualizado em 15/02/2018 - 16:26

Na última quarta-feira (14), o Metallica foi anunciado como vencedor Polar Music Prize 2018, através do site da premiação.

O prêmio equivale ao Nobel da música, que reconhece os artistas como músicos excepcionais. Entre os músicos que já foram contemplados com o troféu temos o Pink Floyd, Sting, Paul Simon, Bob Dylan e Gilberto Gil. Leia o anúncio:

 “O Polar Music Prize de 2018 é condecorado à banda americana Metallica. Não desde as turbulênciais emocionais de Wagner e os canons de Tchaikovsky alguém criou música que fosse tão física e furiosa, e ainda assim acessível. Entre conjuntos virtuosos tocando e o uso de tempos extremamente acelerados, Metallica levou o rock para lugares que jamais tinha alcançado. No mundo do Metallica, tanto um adolescente em seu quarto quanto um hall de concerto podem ser transformados em Valhalla. A força dos discos intransigentes da banda ajudaram milhões de ouvintes a transformarem o seu senso de alienação em um super poder.”

“Isso nos coloca em uma posição bastante distinta“, contou o baterista do grupo, Lars Ulrich, à BBC. “É uma grande validação de tudo que fizemos nos últimos 35 anos. Ao mesmo tempo, nos sentimos em nosso auge com todos os bons anos que ainda temos pela frente.”

Além do reconhecimento, os vencedores ainda ganham um prêmio em dinheiro de 90 mil libras, que o Metallica irá designar ao seu projeto de caridade, All Within My Hands, que auxilia com suprimentos de comida, amparos para desastres e terapia musical.

Recentemente, foi divulgada a primeira imagem de James Hetfield atuando. Ele fará a sua estreia como ator no filme “Extremely Wicked, Shockingly Evil and Vile”, longa biográfico sobre o serial killer Ted Bundy.

Metallica também faz parte da programação da Som Maior (sim), assim como Guns N' Roses, Iron Maidem, Jethro Tull, Rolling Stones, Led Zeppelin, Credence Clearwater, entre outros e você pode ouví-los depois da reprise do Programa do Avesso as 22:00 Horas.

Max Everson
Por Max Everson 15/02/2018 - 16:09Atualizado em 15/02/2018 - 16:11

Seafret é um duo britânico que faz as músicas perfeitas para a trilha sonora da sua vida indiferente do momento.

Formado por Jack Sedman e Harry Draper, garotos se conheceram em um bar durante uma noite de “microfone aberto” e juntaram seus talentos sem pretensões, apenas para fazer música. O que vem dando certo. O primeiro lançamento aconteceu em 2014, com o EP “Give Me Something”.

Logo na sequência, em 2015, veio “Oceans” com mais cinco músicas inéditas e um estouro mundial da faixa título, que ganhou videoclipe com a participação da atriz Maisie Williams. Todo esse trabalho resultou no primeiro álbum de estúdio “Tell Me It’s Real”, divulgado em janeiro de 2016.

Entre shows esgotados e participações em festivais, os britânicos já voltaram ao estúdio para produzir o próximo disco e logo devem chegar com novidades. Apesar de navegarem dentro de um cenário tão extenso como o indie, o Seafret se destaca com sensibilidade e melodias cativantes, encaixando suas músicas em todos os momentos da vida de cada um.

Seafret é o seu cotonete nesta quinta feira, e já está na programação da Radio Som Maior no programa Som Maior No Ar.

quer ouvir o albúm dos caras?

 

Max Everson
Por Max Everson 14/02/2018 - 10:58Atualizado em 14/02/2018 - 11:01

Bom dia, boa tarde ou boa noite, bem vindo ao Cotonete do Max.

conhece Piedade Fernandes?

 

Max Everson
Por Max Everson 12/02/2018 - 16:24Atualizado em 12/02/2018 - 16:26

Foi divulgado, no youtube, o trailer sobre o álbum colaborativo “Johnny Cash: Forever Words”. Ele será feito com poesias e trechos de músicas que foram escritas anteriormente pelo astro do country.

Um dos artistas que estará no disco é Chris Cornell. A faixa “You Never Knew My Mind” foi uma das últimas gravações feitas pelo cantor antes de falecer.


Além dele, “Johnny Cash: Forever Words” terá a participação de Ruston Kelly & Kacey Musgraves, Rosanne Cash, Alison Krauss & Union Station, Brad Paisley, Kris Kristofferson & Willie Nelson, John Mellencamp, Elvis Costello, entre outros. O álbum será lançando no dia 6 de abril pela gravadora Legacy Record, uma divisão da Sony.

A produção do disco foi feita por John Carter Cash, filho do cantor.

 

Tags: NoAr Johnny Cash

Max Everson
Por Max Everson 12/02/2018 - 16:19Atualizado em 12/02/2018 - 16:21

“50 Tons de Liberdade” é o terceiro e final filme da franquia, escrito pelo autor E. L. James. Com direção de James Foley, Dakota Johnson e Jamie Dornan estão novamente no papel dos protagonistas. Como de costume, a trilha sonora do longa foi composta por canções originais feitas especialmente para ele. Sua estreia nos cinemas brasileiros será nesta quinta-feira (08), clique aqui para assistir o trailer.

 Após se casarem, Anastasia e Christian tem o relacionamento dos sonhos: muito amor, dinheiro e intimidade. No entanto, Jack Hyde (Eric Johnson) e Elena Lincoln (Kim Basinger) voltam a incomodar o casal.

Deer In Headlights – Sia

Sia é uma cantora e produtora musical australiana. Cantando desde 1997 mas sem obter muito sucesso, ela lançou três discos e resolveu se dedicar a escrever canções. “Titanium” , “Diamonds” e “Wild Ones” foram algumas de suas composições de maior sucesso. Em 2014, com o lançamento do disco “1000 Forms of Fear”, a cantora alcançou o topo das paradas musicais e conseguiu fazer com que seus singles se tornassem hits.


Capital Letters – Hailee Steinfeld feat. Bloodpop

Hailee Steinfeld é uma atriz e cantora americana. Estrelou em filmes como “Mesmo Se Nada Der Certo” e “Pitch Perfetc 2”, já tendo sido indicada a um Oscar e Globo de Ouro. Alguns de seus recentes singles (“Let Me Go” e “Starving”) alcançaram boas posições nas paradas musicais.

Michael Tucker mais conhecido como BloodPop, é um músico, produtor e compositor. Já trabalhou com Lady Gaga e Justin Bieber, tendo lançado recentemente sua colaboração com o cantor no single “Friends”.


For You – Liam Payne feat. Rita Ora

Liam Payne é um cantor britânico, mais conhecido por fazer parte da boyband One Direction. Depois de 6 anos bem sucedidos com o grupo, Liam investiu em sua carreira solo e lançou seu disco de estreia. O single carro-chefe do material, “Strip That Down”, foi bem recebido pelo público.

Rita Ora é uma cantora e atriz inglesa, que começou a ganhar reconhecimento do público em 2012, mesmo ano em que lançou seu álbum de estreia. O disco fez extremo sucesso no Reino Unido, fazendo dela a maior artista com single #1 nas paradas da época.


High – Dua Lipa feat. Whethan

Dua Lipa é uma cantora, compositora e modelo britânica. Iniciou sua carreira aos 14 anos, mas somente em 2015 assinou um contrato com a Warner Music Group. Dois anos depois, Dua lançou seu álbum de estreia e conseguiu alavancar 3 singles nas paradas musicais, sendo um deles a popular “New Rules”, que alcançou o primeiro lugar.

Heaven – Julia Michaels 

Julia Michaels é uma cantora e compositora americana, que iniciou sua carreira escrevendo canções para grandes artistas como Selena Gomez, Demi Lovato e Gwen Stefani. Em 2017 ela lançou disco de estreia, alavancando o hit “Issues”, chegando a lhe render um certificado de platina triplo. Julia também foi indicada ao Grammy e diversas outras premiações.

 

Tags: NoAr 50 tons

Max Everson
Por Max Everson 08/02/2018 - 14:41Atualizado em 08/02/2018 - 14:47

Além de ter uma carreira bem-sucedida que lhe rendeu 28 prêmios do Grammy, o empresário musical Quincy Jones, de 84 anos, também se destaca pelas polêmicas que o envolvem.

Recentemente, Jones deu uma entrevista ao site "Vulture" e à revista "GQ" e acusou Michael Jackson de ter roubado várias músicas.

"Odeio falar sobre isso publicamente, mas Michael Jackson roubou muita coisa. Ele roubou muitas canções. "State of independence" (de Donna Summer) e "Billie Jean". As notas musicais não mentem. Ele era maquiavélico (...) Ganancioso, ganancioso. "Don't stop till you get enough", Greg Phillinganes (tecladista) escreveu uma parte."

O possível furto de canção não foi o único assunto em que Michael Jackson estava envolvido. De acordo com Quicy, Michael já tentou atropelar outro astro do pop, o cantor Prince:

"(Sobre um show de James Brown com Prince e Michael Jackson como convidados). Foi um confronto de estrelas que foi visto como um triunfo para MIchael Jackson e uma rara humilhação para Prince. (O repórter pergunta se eles se falaram após o show). Ah sim, eles se falaram. Ele esperou na limousine e tentou atropelar Michael, La Toya e sua mãe."

Até mesmo a lendária banda inglesa, The Beatles, não ficou de fora dos comentários do veterano: [Minha primeira impressão dos Beatles] foi de que eles eram os piores músicos do mundo. Eles eram f** da p*** que não tocavam. Paul é o pior baixista que eu já ouvi. E Ringo? Nem me fale. Eu me lembro no estúdio com George Martin, Ringo levou três horas para uma música de quatro compassos. Ele não conseguia. (Quincy afirma que um músico de jazz foi chamado e gravou em 15 minutos e depois Ringo ouviu a música pronta). Ringo disse: 'Até que não ficou tão ruim'. E eu disse: 'Claro, filh** da p***, porque não é você'. Ele é um cara legal, mesmo assim".

 

Max Everson
Por Max Everson 07/02/2018 - 15:58Atualizado em 07/02/2018 - 16:03

Ana Clara Caetano e Vitória Falcão, as meninas que formam o duo Anavitória, não têm lá tanta experiência com o carnaval, mas prepararam um EP sobre o tema. As meninas são de Araguaína, norte do Tocantins.

Para o EP, Anavitória escolheu regravar três músicas dos anos 1990. “Vem Meu Amor”, “Me Abraça” e “Baianidade Nago”. As duas primeiras, por serem faixas que as cantoras ouviam quando mais jovens. Já a última “decidiu por si só” estar no álbum:

“Ela foi descartada de primeira. No estúdio a gente ia fazer outra, mas não deu certo. Então ficou uma música faltando. Colocamos ela e, no fim, ficou como nossa favorita”, conta Ana.
A quarta faixa do disco, “Clareiamô”, é parceria com Saulo Fernandes. “A ideia de gravar com ele existiu antes de a música existir. Estávamos em Portugal conversando e surgiu a ideia. No final do ano, estávamos buscando a música, queríamos uma inédita. E a Vi me mandou áudio com a letra. Aí dei um formato para a música. E Saulo terminou no estúdio”, relembra Ana.

As duas deram leveza para as faixas, trazendo até uma levada de bossa nova para “Baianidade nagô”. O álbum ficou mais com cara de quem quer relaxar no carnaval. Para quem curtiu os anos 1990 na folia, mas não tem mais pique para os blocos e desfiles, é uma boa.

 

Max Everson
Por Max Everson 05/02/2018 - 11:26Atualizado em 05/02/2018 - 11:29

John Mueller lança single "Maré Rasa" na programação da Som Maior e em plataformas digitais.

Canção de partida, de saudade do que ainda está por vir ou do que já se foi. Esse é o enredo da música Maré Rasa, do cantor e compositor John Mueller, que está disponível a partir de hoje em todas as plataformas digitais como Spotify, Deezer, e iTunes, além de videoclipe no YouTube. A música, composta por Mueller, com letra de Gregory Haertel, conta com a participação especial da cantora e compositora Ana Paula da Silva. Em 2017, Maré Rasa (Canção de Partida) foi selecionada para o Festival Internacional de Cantautores da Costa Rica, levando John Mueller, único brasileiro selecionado, a cantar em palcos costa-riquenhos. A música faz parte do álbum Na Linha Torta (2018), com previsão de lançamento para o fim de fevereiro.

O álbum Na Linha Torta foi gravado no estúdio The Magic Place e conta com a direção musical de Jorge Helder e participações especiais do compositor e violonista, Guinga; do pianista, Cristovão Bastos; da cantora Ana Paula da Silva; da cantora Fabi Félix e do acordeonista Bruno Moritz. No segundo álbum solo, Mueller está acompanhado pelo guitarrista Mazin Silva, pelo baterista Jimmy Allan, pelo baixista Caio Fernando, pelo percussionista Ruan Mueller e pelo pianista Rafa Girardi. O disco Na Linha Torta é patrocinado pelo Fundo Municipal de Apoio à Cultura de Blumenau.

JOHN MUELLER
Nasceu em Blumenau, Santa Catarina, em 1982. Descobriu a paixão pela Música Popular Brasileira (MPB) aos sete anos, e aos dezessete tocava em casas noturnas no Vale do Itajaí e em parte do estado de Santa Catarina. Com estilo próprio, o músico traz em sua bagagem uma sonoridade forte com novos arranjos, sintonizado com todas as tendências da música, sem medo de ser ousado e sem perder a identidade e os princípios básicos da MPB. Participou de festivais de música por todo o Brasil, sobretudo em Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina. Em 2015, o cantor lançou o álbum Por um Fio, que conta com a participação de grandes nomes da MPB, como Kiko Freitas, Cristóvão Bastos, Jorge Helder, Mazin Silva e Caio Fernando. Em 2018, o cantor lança o segundo álbum, Na Linha Torta, que conta com produção de Jorge Helder. Acompanhe as notícias e as novidades pelo www.facebook.com/johnmuellerc

Max Everson
Por Max Everson 02/02/2018 - 14:42Atualizado em 02/02/2018 - 14:43

A cantora Fernanda Takai, vocalista do grupo Pato Fu, prepara o seu próximo álbum em carreira solo: "Tom da Takai", que já está em fase de gravação nas mãos do produtor Roberto Menescal e contará com várias releituras das obras do compositor brasileiro Tom Jobim (1927 - 1994).

A ideia de produzir um tributo a Jobim nas vozes de Takai surgiu de Menescal após ela cantar, no ano passado, a música "Estrada do Sol", do próprio Jobim, em um show que homenageava os 80 anos de vida do produtor. 

atualmente Fernanda Takai esta na trilha sonora da novela o Outro Lado do Paraíso com a música I Don't Want To Talk About It.

 

Max Everson
Por Max Everson 02/02/2018 - 10:52Atualizado em 02/02/2018 - 10:53

Charlie Puth divulgou um vídeo que mostra os bastidores da gravação da faixa “If You Leave Me Now”, parceria com o grupo Boyz II Men e que integra seu novo disco “Voicenoites”.

Este é o terceiro single de seu material inédito, que teve sua data de lançamento adiada após o cantor declarar que “ainda não estava perfeito”. O disco ganhou uma nova data e chegará às lojas no dia 11 de maio, pela Atlantic Records.

Charlie Puth com a participação do Boyz II Men está na programação Som Maior No Ar

 

Max Everson
Por Max Everson 01/02/2018 - 16:40Atualizado em 01/02/2018 - 16:43

Há exatos 24 anos, em 1º de fevereiro de 1994, o Green Day lançava “Dookie”, seu terceiro álbum de estúdio e primeiro por uma grande gravadora.

A banda assinou com a Reprise por um adiantamento de US$ 215 mil. Metade desse valor foi usada para realizar as sessões de gravação no Fantasy Studios, em Berkeley. Com o restante os caras compraram novos equipamentos e uma van para rodar os Estados Unidos.

O Green Day selecionou 14 faixas para o trabalho com o objetivo de que o álbum fosse ouvido do início ao fim como em uma verdadeira festa.

A produção foi assinada por Rob Cavallo, resultando em sucessos como “Basket Case”, “Longview”, “She” e “When I Come Around”.

“Dookie” se transformou em um dos discos mais importantes do cenário rock dos anos 90 e já registrou mais de 20 milhões de cópias vendidas em todo o mundo.

No player abaixo você tem a demos do disco:
 

E aqui você pode ouvir a íntegra desse trabalho do Green Day:


 

Max Everson
Por Max Everson 01/02/2018 - 10:47Atualizado em 01/02/2018 - 10:48

A produtora Cardinal anunciou  o lançamento do documentário e filme biográfico de Chuck Berry. A grande lenda do rock faleceu no dia 18 de março aos 90 anos.

O documentário intitulado “CHUCK! The Documentary”, terá direção de Jon Brewer, que foi responsável pelo filme autobiográfico do guitarrista BB King em 2012.“Tenho muito privilégio em produzir e dirigir esta história totalmente autorizada e oficial do lendário Chuck Berry”, disse Brewer em comunicado.

O filme “Chuck Berry Biopic Feature Film” dramatizará os altos e baixos da vida e carreira, com autorização da viúva Berry Thelmetta. O seu último álbum “Chuck”, foi lançado três meses após sua morte, e teve colaboração das três gerações da família Berry.

 

Tags: NoAr Chuck Berry

Max Everson
Por Max Everson 31/01/2018 - 14:43Atualizado em 31/01/2018 - 14:45

Na última terça-feira (30), o Paul Simon anunciou seu show de despedida “Homeward Bound: The Farewell Performance”.

A apresentação está marcada para o dia 15 de julho e encerrará o festival de 10 dias British Summer Time Festival, em Londres, que também terá Bruno Mars, Roger Waters, Eric Clapton e The Cure.
 
O show contará com a participação de James Taylor, Bonnie Raitt e a sua melhor banda. Os ingressos começam a ser vendidos nesta sexta-feira, dia 02. Ainda não se sabe se a performance será a última da carreira do cantor, mas até agora é a única data fechada pelo artista para 2018.

Em 2016, ele deu uma declaração para o The New York Times dizendo o seu interesse em se aposentar, mas não é a primeira vez que Paul Simon faz uma apresentação de despedida – em 1993, ele se reuniu com seu antigo parceiro Art Garfunkel (Simon & Garfunkel) para um último show que se transformou em uma turnê com 21 datas.

Paul Simon tem uma influência imensurável na música internacional. Recentemente, o Coldplay e a Lorde fizeram covers de músicas do cantor em “Graceland” e “Me and Julio Down by the Schoolyard”.

 

Tags: NoAr Paul Simon

Max Everson
Por Max Everson 30/01/2018 - 15:43Atualizado em 30/01/2018 - 15:44

Um dos mais longevos compositores e intérpretes da cena musical brasileira volta ao circuito em grande estilo. Francisco José Zambianchi ou simplesmente Kiko Zambianchi, é o nome artístico por trás de grandes sucessos como “Primeiros Erros”, “Rolam As Pedras” entre outros clássicos que fizeram de seu nome uma referencia na produção musical brasileira. Conhecido por compor sob medida e interpretar com personalidade, Kiko apresenta ao publico o “Kiko Zambiachi – Acústico”. O álbum chega ao mercado sob a chancela da gravadora Blast Stage Records e nele um punhado de canções que há muito estão a serviço de nomes como Capital Inicial e tantos outros, voltam `a voz de seu criador.
Gravado em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, cidade natal do artista, o acústico conta com a participação especial da banda brasiliense Capital Inicial, claro e traz ao todo 14 faixas.


1 Luas e Luas (Ao Vivo) 4:32
2 Mais uma Folha no Chão (Ao Vivo) 4:57
3 Rolam as Pedras (Ao Vivo) 4:07
4 Eu Te Amo Você (Ao Vivo) 5:12
5 Manchas e Intrigas (Ao Vivo) 3:34
6 Bom Dia (Ao Vivo) 4:39
7 Logo de Cara (Ao Vivo) 3:09
8 Como Devia Estar (feat. Capital Inicial) [Ao Vivo] 3:51
9 Mais (feat. Capital Inicial) [Ao Vivo] 3:26
10 Deu na Loka 3:35
11 Perdido na Praça 4:07
12 Quadro Vivo (Ao Vivo) 4:10
13 Tudo É Possível (Ao Vivo) 3:04
14 Primeiros Erros (Ao Vivo) 5:26

Max Everson
Por Max Everson 29/01/2018 - 10:39Atualizado em 29/01/2018 - 10:45

O Grammy, maior premiação da música, consagrou o cantor havaiano Bruno Mars neste domingo (28), em cerimônia no Madison Square Garden, em Nova York.

Bruno Mars de 32 anos ganhou em todas as categorias que concorria e levou seis prêmios (Disco do Ano, Música do Ano, Gravação do Ano, Performance R&B, Música R&B e Álbum R&B).

O álbum "24k magic", de Mars, ainda levou na categoria Melhor Engenharia de Som, prêmio para a equipe técnica que produziu e masterizou o disco.


Ed Sheeran ganhou dois prêmios (performance solo de pop e álbum de pop com vocal), mas não foi à premiação.

 

Max Everson
Por Max Everson 26/01/2018 - 11:28Atualizado em 26/01/2018 - 11:39

O Lynyrd Skynyrd anunciou no último dia 25 que fará uma turnê de despedida, a última da carreira da banda. Intitulada “The Last of the Street Survivors Farewell”, os shows começam a partir de maio.

“É difícil imaginar, depois de todos estes anos, uma banda em que Ronnie Van Zant, Allen Collins e eu começamos em Jacksonville, ressoaria por tanto tempo e para tantas gerações de fãs. Estou certo de que eles estão olhando de cima, impressionados pela música ter tocado tantas pessoas” disse Gary Rossington, através de um comunicado divulgado no site oficial do grupo.

Mesmo após uma tragédia ter matado a maior parte dos integrantes em 1977, o Lynyrd Skynyrd se reergueu e desde então são 30 anos de carreira. A turnê passará por diversas cidades dos Estados Unidos e conforme as datas divulgadas, dura até setembro.

 

 

 

Max Everson
Por Max Everson 23/01/2018 - 10:59Atualizado em 23/01/2018 - 11:01


O cantor Neil Diamond anunciou que vai cancelar todas suas apresentações devido ao fato de que foi diagnostica com Mal de Parkinson.

Seguindo o conselho de seu medico, Diamond, que faz 77 anos nesta quarta-feira (24), cancelou seus shows na Austrália e Nova Zelândia previstos para março, dentro de sua turnê mundial para comemorar os 50 anos de seu primeiro álbum.

No entanto, assinalou em um comunicado, que pretende "continuar escrevendo, gravando e realizando outros projetos por muito tempo".

"É com grande pesar que anunciou minha retirada da turnê de shows. Eu me sinto muito honrado de ter realizado espetáculos nos últimos 50 anos", acrescentou cantor nascido no Brooklyn.
Também agradeceu a seus fãs: "Esta viagem foi tão boa, tão boa, tão boa graças a vocês", afirmou, aludindo à letra "This ride has been 'so good, so good, so good' thanks to you" de sua canção "Sweet Caroline".

Diamond, que largou a Universidade de Nova York para escrever canções para astros como o grupo The Monkees, da série cult de tv, acabou encontrando a própria fama no final dos anos 1960.

Do folk, passou para um rock mais provocativo, mas Diamond ganhou uma base de fãs com temas mais suaves evocando o pop clássico.

Integrado ao Hall da Fama do Rock and Roll, Diamond será novamente honrado no domingo com um prêmio por sua carreira na cerimônia do Grammy.

 

Max Everson
Por Max Everson 22/01/2018 - 15:45Atualizado em 22/01/2018 - 15:46

A causa da morte do músico Tom Petty, que faleceu em outubro de 2017, foi finalmente revelada: overdose acidental. De acordo com o Departamento de Exame Médico de Los Angeles, em comunicado divulgado nessa sexta-feira (19), o cantor estava tomando diversos medicamentos para dor como fentanyl, oxycodone e xanax genérico, além de traços de restoril e celexa, ambos genéricos também

O cantor tomava essa quantidade de remédios para tratar de problemas no joelho, uma fratura do quadril, dentre outras questões de saúde como a depressão.

“Apesar do problema com a dor, ele insistiu em continuar comprometido aos seus fãs e continuou em turnê por 53 datas com uma fratura no quadril e, como ele fez, isso piorou seu problema para um caso mais sério. No dia em que ele morreu, ele foi informado de que seu quadril tinha piorado para uma fratura completa e a sensação era de que a dor era praticamente insuportável, o que acabou causando o seu excesso de medicação”, declararam sua esposa Dana e sua filha Adria em comunicado oficial.

 

Tags: NoAr Tom Petty

5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17