Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Pato Chessman

Henrique Packter
Por Henrique Packter 12/01/2021 - 10:03

A pena capital, seja por qual forma for praticada, ainda suscita discussões intermináveis. Na verdade já vão rareando as execuções capitais como resultado de julgamentos legais. Relutam as pessoas sorteadas para compor juris cujo resultado possa ser a aplicação desta pena sem volta.

Um advogado nova-iorquino tenta convencer a esposa a participar de júri para o qual fora escolhida.

- Mas, diz ela, sou contra a pena de morte...

- Tire esta preocupação da cabeça. Trata-se de julgamento de noivo que prometeu casaco de peles mink à noiva e não cumpriu a promessa. É coisa pouca. Detenção por meses ou multa. Nada a ver com pena de morte.

A esposa põe-se a pensar:

- Prometeu casaco de peles e não cumpriu? Pensando bem, a pena de morte pode ter aplicações bem educativas, às vezes...

CARYL CHESSMAN

Nasceu em Saint Joseph (Michigan), 27.05.1921 e foi executado na câmara de gás em 02.05.1960, Califórnia, acusado de ser o bandido da luz vermelha  de lá -, por provas circunstanciais, acusações nunca comprovadas. Preso, dispensou advogado, estudou Direito, fez sua própria defesa (já se disse que todo autodidata tem um tolo como professor). Na prisão, escreveu obras autobiográficas: 2455-Cela da Morte, A Lei Quer Que Eu Morra, A Face Cruel da Justiça e O Garoto era Um Assassino. Os livros correram mundo, despertaram sentimentos contraditórios e reflexões sobre a pena de morte na Califórnia e  no resto do mundo. Formei-me no mesmo ano em que Chessman foi executado, na verdade cinco meses antes.

Ele teria inspirado o brasileiro João Acácio Pereira da Costa a cometer crimes usando lanterna de luz vermelha em SP. CHESSMAN, teve várias vezes cancelada sua execução no último momento, o trivial nos filmes americanos.

EVERALDO SABBATINI e esposa, sendo eu solteiro, minha noiva residindo em POA, convidavam-me para jantar um pato recheado em sua nova residência. Não é demais repetir que em 1960 quando Sabbatini e esposa chegaram a Criciúma e em 1968  quando chegam Albino José de Souza Filho e Dulce, mais a filha Mônica de 2 meses, simplesmente não havia apartamento ou casa para alugar em Criciúma. Os dois médicos e respectivas esposas, mais Mônica, ficaram hospedados em apartamentos do Hospital São José, claro, pagando diárias, como qualquer mortal.

Everaldo Sabbatini  e Teresa Moura Ferro Sabbatini, após longa espera, alugam casa próxima onde estão instalados hoje os advogados Góes, na João Pessoa. Convidando-me para saborear um pato com laranja. Everaldo já foi avisando:

- É prato de se comer rezando, coisa muito especial de boa.

Combinado o almoço para o final de semana, lá vinha dia de sol esplendoroso e lá ia eu para POA. Assim, íamos adiando a execução do Pato ... CHESSMAN!  No mesmo mês de maio em que CHESSMAN foi executado na California, nosso pato foi sacrificado e servido à ... Califórnia em Criciúma! Em tempo: nesse dia chovia o que Deus manda em Criciúma.  2.905

4oito

Deixe seu comentário