Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Os bioquímicos do passado em Criciúma e Nova Veneza

Por Henrique Packter 03/12/2021 - 07:51 Atualizado em 03/12/2021 - 07:56

Atleta no Grêmio, DINO praticava futebol. Depois caçará perdizes. MAURÍCIO FERNANDO PEREGRINO DA SILVA, que trabalhou por longos anos em Orleans e hoje aposentado reside no Pio Corrêa em Criciúma, conheceu DINO GORINI. Ao saber onde residia, dele ouviu:

- Pio Corrêa? Olha, ali muita perdiz cacei! 

Subia a serra da Rocinha até São José dos Ausentes, onde caçava em terras de Mosa Valim. Mantinha ao menos seis cães perdigueiros em Veneza enquanto caçou.

Término das férias escolares DINO me ligava para saber se eu viajaria a Porto Alegre, onde minha noiva FRIDA residia. Assim, levei e trouxe do Portinho BRIGITTE, MÉROPE, SEMIRAMIS e BERENICE algumas vezes. Três meninas mais uma secretária, sardinhas em lata no banco traseiro de meu Fusca 1960.

Os ônibus alcançavam Porto Alegre após longo e trepidante trajeto com a bagagem transportada sobre os veículos, coberta por lona, os passageiros sendo frequentemente convocados para empurrá-los quando atolavam na areia da praia. Alguns passageiros levavam gaiolas com animais para obsequiar parentes da metrópole gaúcha. Além de encarar viagem pela praia, de Arroio do Silva a Torres, a travessia dos rios Araranguá e Mampituba (este na divisa dos dois estados), exigia o concurso de balsas.

O JOGO DA MORA

Teria surgido dentro dos presídios. Sem objetos para apostar os presos usavam as mãos. O jogo, popular em Veneza, exige movimentos e raciocínio ágeis ao estender os dedos e mover as mãos, consistindo em acertar a soma dos dedos que os envolvidos na disputa venham a expor sobre a mesa. É um alternar de encolhe e abre e fecha e bate, enquanto se ouve pronunciar números de zero a dez: muta, uno (un), due (du, un per un, un per uno), tre (trrr), quatro, cinque (sinque ), sei (ces), sete, oto, nove, dieci (diese, ou tuta).

PARA PORTO ALEGRE

Havia uma escala técnica em Terra de Areia, lugarejo com meia dúzia de casas e um botequim, cujas condições de higiene eram terríveis, para dizer o mínimo. O odor de urina e fezes era sentido já na rua. Almas sensíveis desistiam de entrar para aliviar-se, utilizando moitas e árvores para este propósito. Adentrando as instalações do estabelecimento, conhecia-se obra do inspirado autor das garatujas na porta do que o proprietário denominara pomposamente WC:

Terra de Areia, oh terra bem diferente,

Em vez da gente cagar nas patentes são elas que cagam na gente. 

Quando iniciei minha atividade médica em Criciúma, a cidade dispunha, na área de serviços prestados por BIOQUIMICOS, de ERNESTO LACOMBE FILHO, JOSÉ ALFREDO BEIRÃO  e VICTOR LUIZ ANGULSKI SAMPAIO. WALMOR de LUCA e CARLOS HENRIQUE UBATUBA LIENERT viriam logo depois.

ERNESTO LACOMBE nasceu em Cruz Alta, 15.3.1907, filho do coronel que comandava as tropas gaúchas e catarinense e tomavam o sul catarinense em favor do movimento que conduziria GETÚLIO VARGAS ao poder, numa revolução de menos de 30 dias. Irmão do médico ÂNGELO LACOMBE, udenista de 4 costados que trabalhou sua honrada medicina em Criciúma até aposentar-se e gozar o ócio com dignidade em Florianópolis, pelo  resto da vida.

ERNESTO foi proprietário da Farmácia Confiança e do Laboratório de análises Confiança. Participou da fundação da Banda Musical Cruzeiro do Sul e foi membro da maçonaria, falecendo em 27.8.1973, quase 50 anos atrás.

Costumava andar com um punhal na gorda cintura e cumprimentava:

- Como vai essa bizarria?

VICTOR LUIZ ANGULSKI SAMPAIO, nasceu em Criciúma, 14.11.1934.  Casado com Valesca Viegas Sampaio teve 7 filhos: Vítor Luiz, Maria Valesca,  Thaís, Denise, Maria Júlia, Vânia e Wladis. Não era ligado aos hospitais da cidade e tinha seu laboratório na Praça Nereu Ramos quase ao lado da Casa da Cultura. Era filho da lendária senhora LADISLAVA ANGULSKI e irmão de VÂNIO CARLOS ANGULSKI SAMPAIO. LADISLAVA, viúva em 1940, assumiu a direção da conhecidíssima FARMÁCIA SAMPAIO. Víctor  faleceu em 13.9.1993, aos 58 anos. A esposa também é falecida.

MÁRCIO BURIGO Graduação em Farmácia pela UFRS (1962), especialização em Farmácia pela University of Texas System(1972), especialização em Química Clínica pelo Keio University(1967), pela University of North Carolina System(1979), pela University of Virginia 1977) e pela University of Houston System(1980); especialização em Energia Nuclear pelo Comissão Nacional de Energia Nuclear(1976), e por aí vai.

É professor titular da Universidade Luterana do Brasil, do Laboratório Bioquímico Criciúma Ltda., do Hospital Femina e do Laboratórios Unidos de Pesquisas Clínicas Ltda.

O Laboratório Búrigo recentemente dominou os diz-que-diz-que da região com a notícia de que estaria sendo negociado com a UNIMED. Perguntado a respeito,  MÁRCIO teria dito que um termo de confidenciabilidade estabelecido entre as partes, impedia-o de informar ou comentar a notícia...   Desta maneira, o negócio concretizou-se e a UNIMED convocou reunião de seus cooperados que bateu o martelo em mais esta aquisição.

O apetite da atual administração da Cooperativa médica UNIMED é algo INÉDITO em nossa região e já está tomando de assalto o vale do Araranguá. A UNIMED já comandava as atividades médicas no São João Batista e agora abocanha o Laboratório Búrigo mais suas unidades espalhadas pelo sul catarinense..

Copyright © 2021.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito