Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Salvaro e a Câmara e outras da coluna

Depois da surpresa na Câmara, Clésio enquadra vereadores do PSDB
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 13/03/2019 - 06:54

Numa conversa dura, ontem, o prefeito Clésio Salvaro enquadrou os vereadores do seu partido, o PSDB. 
Ele não aceitou a postura dos vereadores Dailto Feuser e Alisson Pires na sessão de segunda-feira, na votação do projeto do vereador Zairo Casagrande, que tratava da isenção da Cosip para condomínios.
O prefeito havia pedido aos vereadores da bancada, e aos outros aliados, que votassem contra a proposta. Mas Alisson se absteve de votar e Feuser votou a favor. O projeto foi derrotado por apenas um voto - 8 x 7.
A indignação de Salvaro tinha dois motivos.
Primeiro, porque os dois vereadores ignoraram o seu apelo.
Segundo, porque eles o contrariaram para seguir o vereador que mais faz oposição ao seu governo.
O prefeito foi duro com Feuser e Alisson na reunião.
Para Alisson, que não participou porque é médico e estava em horário de trabalho em um hospital, passou orientação para pedir licença da Câmara imediatamente. 
Na sua vaga vai assumir o suplente Edson Aurélio, ex-vereador.
Como Alisson é suplente, se não pedir licença, Salvaro vai mandar de volta para a Câmara os vereadores Arleu da Silveira e Roseli de Luca, que ocupam secretarias no seu governo.
Roseli, presidente do partido, comunicou o vereador Alisson.
Para Feuser, o recado foi direto: “se quiser sair do partido, a porta está aberta, considere-se liberado”.
E emendou: “em 2020 só terá legenda para ser candidato a vereador pelo PSDB quem for leal com o nosso governo”.
No final de 2018, a direção do PSDB, por orientação do prefeito Salvaro, já deu “carta de alforria” ao vereador Julio Kaminski, por seguidas votações (e posturas) na Câmara contra o governo.

Rompimento a caminho

A presidente da Casan, Roberta dos Anjos, que tem reunião decisiva marcada com o prefeito Salvaro para amanhã, em Criciúma, pediu para conversar antes. Queria tentar compor uma proposta de acordo.
Queria que fosse ontem, mas só entre ela e Salvaro. 
O prefeito de Criciúma disse que teriam que estar os outros prefeitos da região.
Ela aceitou, mas acabou cancelando porque foi chamada pelo governador Moisés para uma reunião ontem, 15h, sobre o assunto.
Hoje, Salvaro viajou para Brasília. Se a presidente quiser reunião, terá que ser com o vice-prefeito Ricardo Fabris e os prefeitos da região. Mas, nada está marcado.
O que fica a cada dia mais evidente é que o prefeito Salvaro está “torcendo” que a Casan e o governo do estado não aceitem suas exigências, porque está convencido que romper o contrato é o melhor a fazer.

Fiesc na base

Elogiável a iniciativa do presidente da Fiesc, Mario Cesar de Aguiar, de transferir para o interior a diretoria da federação. Nesta semana, ficará no sul.
Até hoje pela manhã, em Tubarão e Amurel, e depois virá para Criciúma e região, onde ficará até sexta-feira.
Mario e seus diretores vão ouvir pleitos, propostas, discutir possibilidades, conhecer cases do setor produtivo e conhecer projetos bem sucedidos, apoiado pelas empresas.
Amanhã, 10h, o presidente da Fiesc será recebido no Bairro da Juventude, onde receberá homenageado e assinará um “pacto de amizade”.
Mario Cesar atendeu aos apelos feitos e revogou no fim de 2018 a decisão que cancelava liberação de recursos para operação da escola de formação profissional do Bairro.

Na Revestir

Durante da feira Revestir, em São Paulo, ontem, o presidente da Eliane, Edson Gaidzinski Junior, foi abordado pelo governador paulista João Doria (PSDB) e trocaram cartões.
Dória o convidou para um encontro no Palácio Bandeirantes.

Sem interlocução

Deputado Valdir Cobalchini (MDB) faz menção à pretensa reforma administrativa do Governo de Carlos Moisés. Em discurso ontem, na Alesc, o deputado relatou que o governador foi taxativo quando falou que chamaria as bancadas estaduais e os deputados seriam ouvidos quanto às mudanças que pretende fazer no governo Citou como exemplo o fechamento de regionais de Saúde, Celesc e Epagri. Cobalchini questiona o que está acontecendo, pois as mudanças em setores importantes estão acontecendo e os deputados ficam sabendo no dia seguinte pelo Diário Oficial.

Aproximação

O secretário da Casa Civil, Douglas Borba, tem sido o principal responsável pela aproximação do deputado Rodrigo Minotto (PDT) com o Governador Carlos Moisés. Na segunda-feira, Minotto remarcou um compromisso em Porto Alegre para participar da agenda de Moisés em Criciúma. Ao se despedir, Minotto foi taxativo: “Conte comigo, Governador”.
 

4oito

Deixe seu comentário