Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

PF confirma denúncia de organização criminosa na prefeitura de Urussanga

PF indiciou 14 por envolvimento nas irregularidades apuradas
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 13/09/2021 - 16:00Atualizado em 13/09/2021 - 16:10

A Polícia Federal confirma a conclusão dos trabalhos da Operacão Benedeta, que apurou irregularidades na aplicação de recursos na prefeitura de Urussanga, com o indiciamento de 14 pessoas por "organização criminosa".

A Polícia Federal acaba de divulgar nota oficial com alguns detalhes do relatório final.

Informação foi antecipada hoje cedo pela rádio Som Maior e o portal 4oito.

O prefeito afastado Gustavo Cancelier, PP, e o seu irmão, Sllvio, estão entre os indiciados por organização criminosa.

No relatório é feita citação sobre uma "conspiração entre gestor municipal, o fiscal, engenheiros e uma pessoa estranha a administração (irmão gêmeo do Prefeito)".

Também é feita menção a documentos falsos.

Os indiciados também foram enquadrados em crimes como desvio de recursos, sonegação, falsidade ideológica e peculato.

Abaixo, a nota oficial da Polícia Federal:

PF FINALIZA INQUÉRITO POLICIAL DA OPERAÇÃO BENEDETTA

Criciúma/SC Nesta segunda-feira (13/09/21) a Polícia Federal
encaminhou à Justiça Federal o relatório final do inquérito policial decorrente
da Operação Benedetta, deflagrada em 20/05/2021.

As investigações possibilitaram constatar a execução de obras públicas em
desacordo com os projetos. Em apenas duas das obras realizadas com
recursos do FINISA os exames periciais identificaram a prestação de serviços
superfaturados em valor superior a 640 mil reais.

No inquérito policial, iniciado em setembro de 2020, foram indiciadas 14
pessoas, entre servidores públicos municipais, engenheiros e empresários,
pela prática dos crimes de organização criminosa; desvio de recursos;
extravio, sonegação ou inutilização de livro ou documento; falsidade
ideológica e peculato. As penas, que culminadas podem chegar a 29 anos de
reclusão, podem variar e não necessariamente serão imputadas de maneira
igual a todos os envolvidos, pois cada investigado responderá na medida de
sua culpabilidade.

Delegacia de Polícia Federal em Criciúma/SC

 

 

 

 

4oito

Deixe seu comentário