Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Os anúncios de Moisés, a escola do Bairro e outras da coluna

Ainda não está definido quem vai fazer a articulação política do futuro governo
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 08/12/2018 - 06:55

Estão faltando poucos para completar o “primeiro time” do governador eleito Comandante Moisés. Praticamente, os secretárias de educação, infraestrutura e agricultura, e o comandante da polícia militar.
No anúncio do fim de tarde da sexta-feira, feito por nota na pagina de Moisés no facebook (desta vez ele nem fez live), saiu o primeiro nome de Criciúma. Jornalista Ricardo Dias, futuro secretário executivo de comunicação, subordinado à Casa Civil.
Ricardo é jornalista, formado na Unisul, coordenador de jornalismo da NSC TV de Criciúma e apresentador do Jornal do Almoço (até ontem). É um técnico. Não é do time da campanha, e não teve até hoje qualquer envolvimento com o processo politico.
Os dois primeiros políticos do colegiado de Moisés, que participaram ativamente da campanha, são Lucas Esmeraldino, ex-vereador de Tubarão, presidente estadual do PSL, candidato a senador (que não se elegeu por 18 mil votos), e Douglas Borba, vereador em Biguaçú pelo PP.
Lucas vai para a secretaria de desenvolvimento econômico sustentável e Douglas para a Casa Civil.
Lucas vai trabalhar com o setor produtivo, a iniciava privada, tratar de inovação e tecnologia.
Douglas cuidará de toda a burocracia do governo.
Nenhum dos dois terá como função, a articulação política do governo. E não está claro até agora quem fará isso.
A articulação política inclui a relação com os poderes constituídos, com os políticos e os partidos, com as organizações sociais.
Afinal, numa estrutura de poder que é política, alguém tem que fazer articulação política.
Que seja boa, limpa, mas isso vai dar estabilidade (e retaguarda) ao governo.
Procurei saber com os técnicos do grupo de transição, na entrevista coletiva para apresentação da reforma administrativa. Foi dito que o governador eleito iria definir.
Depois dos últimos anúncios, voltei ao assunto com o futuro chefe da Casa Civil, Douglas Borba. Ouvi (de novo) que isso está sendo tratado.
E a pergunta continua sem resposta.

Os políticos

Os primeiros políticos militantes do governo de Moisés são do PP (Douglas Borba) e do PSL, ex-PSDB (Lucas Esmeraldino).
Isso enfraquece um pouco a tese de que Moisés é seqüência do governo do MDB.

Mais nomes

Até segunda-feira, novos nomes serão anunciados para o governo de Moises.
Continua bem cotado o coronel Araújo Gomes, comandante da policia militar, técnico reconhecido, que seria mantido no cargo.

Vai ficar

O gerente regional sul do IMA, Instituto de Meio Ambiente (antiga Fatma), Filipe Barchinski da Silva, foi convidado a permanecer no cargo.
A sede da regional é Criciúma, onde ele coordena a gerência nos ultimo quatro anos.

Escola preservada no Bairro

A ameaça foi vencida. A Fiesc voltou atrás e assinou compromisso com o Bairro da Juventude pela manutenção do repasse de recursos que viabiliza operação da escola de formação profissional. Foi uma vitória da reação do Bairro e da cidade.
O repasse (R$ 300 mil) era feito pelo Senai, “braço” da Fiesc, através de um convênio assinado faz 60 anos.
Quando veio o comunicado que o convênio seria cancelado e o repasse cancelado, a cidade ficou em polvorosa. E não era para menos. A escola faz um trabalho inestimável, e se configura na principal ação social da industria catarinense na cidade.
Por sua vez, o presidente da Fiesc, Mario Cesar Aguiar, se mostrou sensível ao assimilar (e respeitar) a reação da cidade. Agiu rápido. Em dois dias, praticamente, montou uma formula para garantir o repasse (que entendeu importante), mas sem atropelar o que havia sido decidido.
No fim das contas, os 450 jovens carentes continuarão aprendendo um profissão para começar a vida (que é o que importa). E toda a cidade ganha!

Grupo fechado, Miri eleito

Se havia algum fio de esperança de uma chapa alternativa vencer a eleição da presidência da Câmara de Criciúma, acabou no almoço de sexta-feira.
O “grupo dos nove” se reuniu e reafirmou o pacto. Todos apertaram as mãos e fizera questão de bater fotos (e distribuir) com todos de mãos dadas, e brancos erguidos.
Isso representa Miri Dagostim, vereador do PP, eleito presidente da câmara durante 2019.
Eleição será na terça-feira.

Parcelamento polêmico

Prefeito Clesio Salvaro e o secretário Celito Cardoso, da fazenda, foram muito enfáticos na reunião com os vereadores, começo da tarde de sexta-feira, quando apresentaram o projeto para parcelamento da divida do governo com o Criciumaprev e pediram que seja aprovado na sessão de segunda-feira.
Alguns vereadores questionaram pontos do projeto e cobraram aprovação do conselho do Criciumaprev.
Projeto prevê outras mudanças no Criciumaprev, além da parcelamento da divida.
Salvaro alertou que, se mudanças não forem feitas, e o parcelamento, o Criciumaprev está seriamente ameaçado. Pode “quebrar" em menos de 10 anos.

Fora de jogo

Deputado federal Ronaldo Benedet, que não se reelegeu, tem dito para as pessoas da sua relação, que não tem disposição para assumir a presidência do MDB de Criciuma, nem disputar a eleição para prefeito em 2020. As duas possibilidades vinham sendo especuladas no partido.
Benedet diz que pretende se envolver em movimentos, mas apenas como cidadão e militante. Não mais como candidato

Depois da derrota

O deputado Ricardo Guidi (PSD) e os operadores políticos de Criciúma passaram a sexta-feira tentando “decantar" a derrota coletiva.
Guidi perdeu o mandato, sem ter sido parte no processo julgado no TRE.
A propósito, o processo é de arrepiar os cabelos de qualquer acadêmico de direito.
Foi movido pelo PT para validar votos de uma candidata a federal que havia sido impugnada, não fez recurso, e perdeu todos os prazos. Mas, como tinha feito 450 votos, que seriam suficientes para o PT ganhar uma vaga do PSD para câmara federal, foi protocolado recurso no TRE, e foi aprovado.
Perde Guidi, que não assume mais como federal e vai ficar sem mandato.
E perde a cidade, que fica com representação policia menor.

Nações sem negociação

Jaimes Almeida Junior, presidente do grupo Almeida Junior, dono do Nações Shopping, disparou comunicado para descartar qualquer negociação com investidores. 
Durante a semana, revistas nacionais e alguns dos principais jornal, deram a noticia que negociação que teria sido fechada. Jaimes descartou.
Diz no comando: “Sobre uma possível negociação coma BR Mails, a Almeida Junior informa que foi procurada pela BR Mails, recebeu uma proposta formal e que a mesma foi declinada por parte da Almeida Junior”.
E segue tudo como d’antes no quartel de Abrantes!

Carlinhos da cultura!

O professor Carlos Ferreira, criador do café concerto, homem da cultura e da arte, era um apaixonado por Criciúma. Muito apaixonado.
Era um visionário, sonhador, criativo, sempre pensando em algo novo.
Foi uma perda importante para o movimento cultural da cidade.

4oito

Deixe seu comentário