Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

As razões de Moisés contra Jessé e Ana Campagnolo

Possível expulsão de deputado criciumense do PSL foi o assunto do dia na política de Santa Catarina
Por Adelor Lessa 21/08/2019 - 18:30 Atualizado em 21/08/2019 - 18:31

Mas o governador está querendo expulsar o Jessé por qual razão?

Ele pode ser mais para um lado ou para outro, mas ele cometeu alguma ilicitude? Se envolveu em corrupção? Fez algo condenável? Ele é o mesmo da campanha, o mesmo que foi eleito. Esse é o Jessé, que sempre disse ser fiel aos eleitores, ao partido e ao presidente Bolsonaro. O Jessé diverge em algumas circunstâncias do governador. Na Alesc, por sinal, os 40 divergem sobre os defensivos agrícolas.

O governador usou da sua influência para pedir respaldo pela expulsão, não apenas de Jessé, mas também da deputada Ana Caroline Campagnolo. São os dois mais bolsonaristas do estado, Jessé e Ana. Por qual razão expulsar ela? Pelas mesmas razões, por ousar divergir. Eles assinaram alguma CPI? Não, mas divergiram. Nesse caso dos defensivos agrícolas e do aumento de impostos, por exemplo.

A decisão de expulsar já está tomada, com respaldo nacional. O deputado Daniel Freitas, até pela relação com o deputado Jessé, pediu prazo. Vai tentar alguma costura, mas Moisés parece irredutível. Teria dito ontem "ou eles, ou eu". Daí já surgiram especulações de que Moisés estaria flertando com o MDB, o que não é fato. Ele pediu a punição dos dois deputados que são do PSL.

Para se ter noção do tamanho da encrenca, Ana Campagnolo tem 230 mil seguidores nas redes sociais. Jessé mais ou menos isso. Eles são Bolsonaro de cruz na testa. Bolsonaristas do estado inteiro se manifestaram contra Moisés e a favor dos dois. Onde isso vai dar? Qual o efeito disso? Moisés, em fase difícil, passa a ter posição delicada dentro do partido. Não age como um democrata, age como alguém que não suporta divergentes. Jessé pode ser questionado por ter tirado o quadro do governador da parede e ter colocado no chão, como de castigo pela decisão de Moisés de aumentar impostos. Pode ser advertido. Mas isso é motivo para expulsar do partido?

A expulsão não é um processo simples. É um processo complicado. Tem que argumentar, afinal de contas o partido não é da pessoa física, não é propriedade. Não é do governador. Isso tem que passar por um processo. Se os deputados reagirem e fizerem contraposição isso pode dar um processo que vai se arrastar até pelo mandato inteiro. Eles podem conseguir não serem expulsos, daí Moisés acaba de consolidar duas inimizades. Passa a ter em casa dois deputados que serão contra ele.

Parece, salvo melhor juízo, mais uma bola fora do governador, que não vive um bom momento. Amanhã ele terá reunião com representantes do agronegócio para falar do aumento de impostos, e ele tem a obrigação de amanhã sair dessa reunião com as coisas mais ou menos arredondadas, dar um passo atrás nessa questão dos impostos, senão o caldo pode começar a entornar para ele. Ele tem oito meses de mandato e é muita encrenca para pouco tempo.

Copyright © 2021.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito