Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

A crise no PSL, Ricardo prefeito e outras da coluna

PSL nacional tem missão de apaziguar o partido em Santa Catarina
Adelor Lessa
Por Adelor Lessa 11/01/2019 - 06:54

O deputado federal Daniel Freitas está em Brasília onde tem conversado com líderes do PSL nacional. Recebeu manifestação de apoio, entre eles, do Delegado Waldir, líder de bancada na Câmara dos Deputados.

Ainda sem data marcada as lideranças do PSL nacional devem vir a Santa Catarina tentar amenizar os desentendimentos externos, que se não controlados podem prejudicar o crescimento do partido nas eleições municipais do ano que vem.

A cada dia o racha só aumenta. Ontem, os deputados estaduais eleitos, contrariando os deputados federais, assinaram nota de apoio ao presidente estadual Lucas Esmeraldino, com elogio ao trabalho feito por ele na organização do partido em 2018.

A nota é assinada pelos deputados eleitos Ricardo Alba, Ana Caroline Campagnolo, Coronel Mocelin, Felipe Estevão, Jessé Lopes e Sargento Lima.

Ressalta "o extraordinário trabalho na montagem e condução do partido no estado, sendo fundamental na vitoriosa eleição ocorrida em 2018”.

Um dia antes, três dos quatro deputados federais eleitos pelo PSL em Santa Catarina (incluindo Daniel Freitas, de Criciúma), entregaram no Diretório Nacional pedido formal de destituição da comissão estadual presidida por Lucas Esmeraldino. O motivo seria a renovação da comissão, no fim do ano passado, sem consultar as bases e excluindo os deputados eleitos.

Na sequência, surgiram manifestações na mesma linha dos federais por filiados de Chapecó, Jaraguá do Sul e principalmente no Sul do estado, inclusive Tubarão, cidade de Esmeraldino.

Segue aliado

Mais cedo, o criciumense Jessé Lopes havia informado aliados via redes sociais que segue determinado a trabalhar em conjunto com o deputado federal eleito Daniel Freitas e o presidente estadual, Lucas Esmeraldino, sem tomar partido quanto ao contencioso entre Daniel e Lucas.

Aguardando

Nem mesmo diante das manifestações de apoio, Lucas Esmeraldino tem se manifestado publicamente. Ainda analisa a situação e aguarda o melhor momento para tomar um posicionamento. No Centro Administrativo, os trabalhos seguem sem qualquer influência e também sem manifestações além da rádio corredor.

Ricardo prefeito

O prefeito Clésio Salvaro (PSDB) passou o cargo para o vice Ricardo Fabris (PSD), na tarde de ontem, na presença de secretários, servidores municipais e vereadores. Ricardo fica no comando do Executivo por 10 dias. Essa não é a primeira vez que o prefeito pratica o gesto em favor do vice neste mandato. Ricardo também esteve à frente do Executivo em 2015, no governo de Márcio Búrigo (PP), quando era presidente da Câmara de Vereadores.

Parque da Prefeitura nas placas

Criciúma está recebendo placas de sinalização de trânsito e nelas já há os indicativos das próximas obras a serem inauguradas. Mesmo com uma tarja, é possível ler que o Parque Centenário será chamado de Parque da Prefeitura e que o Mirante Realdo Guglielmi será identificado como Mirante da Cidade. De forma mais popular, fica mais fácil a localização por parte dos moradores e visitantes. As duas obras estão programadas para serem entregues no próximo aniversário da cidade, 6 de janeiro de 2020.

Observando

Sem pressa para fazer as mudanças no secretariado, o prefeito de Içara segue observando as movimentações políticas antes de tomar as decisões. O primeiro fato importante foi a eleição para a presidência da Câmara que culminou com a vitória de Rodrigues Mendes, o Sapinho, do MDB. Agora, os olhares de toda cidade estão voltadas à eleição da Cooperaliança, que sempre dá grande indicativo ao pleito municipal realizado em ano seguinte. A presidência da Cooperaliança será definida em 26 de janeiro.

Ficou

Falando em Içara, projeto protocolado, no ano passado, pelo então presidente Alex Michels (PSD), para reduzir o número de vereadores na cidade não foi votado e, por consequência, arquivado. Porém, nada impede que volte à pauta neste ano.

Não foi tão fácil assim

A indicação para que Acélio Casagrande assumisse a secretaria executiva da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec) não foi por unanimidade. Um grupo de prefeitos apoiou o ex-prefeito de Forquilhinha, Lei Alexandre (PP). A indicação de Acélio foi uma proposta do prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), que deve ser o próximo presidente da entidade. Eleição e posse deve acontecer em fevereiro.

No Cirsures

O prefeito de Urussanga, Gustavo Cancellier (PP), assumiu a presidência do Consórcio Intermunicipal de Resíduos Sólidos Urbanos da Região Sul (Cirsures), substituindo o prefeito de Morro da Fumaça, Noi Coral (PP), que ocupou o cargo no último ano. A vice-presidência ficou com o prefeito de Orleans, Jorge Koch (MDB). O consórcio engloba os municípios de Urussanga, Cocal do Sul, Lauro Müller, Morro da Fumaça, Orleans, Siderópolis e Treviso.

Fim das ADRs

O Governo do Estado deu mais detalhes sobre o processo de extinção das Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs). O decreto será publicado nos próximos dias. No primeiro momento, estão sendo extintos 132 cargos em comissão, distribuídos nas 20 ADRs. Ao final, isto é, com a desativação, serão extintos mais 80 cargos comissionados. O impacto financeiro de todas as medidas só poderá ser determinado no fim do processo. A transição segue até o fim de abril.

Mantidos

Nesse prazo de transição, as estruturas serão mantidas por uma equipe mínima composta por quatro gerentes: Administração, Finanças e Contabilidade; Saúde; Educação; e Infraestrutura. A gerência de Administração, Finanças e Contabilidade de cada ADR será a responsável pela estrutura até a desativação.

4oito

Deixe seu comentário