Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Empresário assume viver maritalmente poliamor com duas mulheres: 'é possível viver um amor livre'

Por Ney Lopes Edição 25/03/2022
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Graziela Veras, Diogo Matheus e Natalia Bezerra fazem questão de falar e mostrar o poliamor, sem vergonha ou medo de julgamento. Em entrevista ao g1, eles contaram como o trisal começou e falaram sobre preconceito, ciúmes e sexo. Nas redes sociais, a advogada Graziela Veras Parrião Lustosa, de 31 anos, o empresário Diogo Matheus Simon, de 33, e a influencer Natalia Bezerra da Silva, de 26, dividem a rotina, respondem perguntas e fazem questão de falar sobre o poliamor. Eles formam um trisal e não têm vergonha e nem medo de exibir a relação: “O objetivo é mostrar que é possível amar mais de uma pessoa, viver o amor livre e sem preconceito”, diz Natalia.

Moradores de Palmas, capital do Tocantins, eles criaram o perfil “Vivendo a três” há cerca de uma semana e já somam mais de 1,2 mil seguidores curiosos para saber como essa história começou. Graziela e Diogo são casados há mais de 15 anos. Se conheceram ainda adolescentes quando faziam o ensino médio em uma escola da capital. Mas em 2020 decidiram seguir o conselho de um amigo e toparam viver uma experiência diferente. “Um amigo começou uma brincadeira perguntando se eu tinha coragem de me relacionar com outra mulher, na hora eu disse que sim. Depois, eu cheguei no Diogo e falei: ‘Poxa, eu acho que queria ter essa experiência. O Diogo gostou da ideia e foi assim que começou”, relata Graziela.

Com essa ideia em mente, faltava uma pessoa para formar o trisal. Graziela garante que quando ela e Diogo viram Natalia pela primeira vez “já gostaram de cara”. Eles tinham amigos em comum e quase sempre estavam juntos nos encontros com a galera. “Eu e o Diogo conversamos: ‘Vamos dar em cima dela, investir, paquerar ela’. Mas a Natalia não dava muita moral de início, não sei se ela ficava sem graça. Eu e Diogo já não tínhamos tanta habilidade para dar em cima de alguém”, brinca. Do outro lado, Natalia estava resistindo as investidas. Ela diz que no início ficava sem graça com a situação. “Eu não sabia onde eu enfiava a cara. Não era uma coisa que tinha costume de lidar e tinha mais um agravante, eles eram casados, eu ficava com medo de falar alguma coisa e eles entenderem errado e acabar a amizade, eu ficava receosa”. Até que o casal desistiu da paquera. Foi aí que Natalia, com receio de perder a oportunidade de viver algo diferente, resolveu ceder.

O relacionamento entre os três começou em 5 de outubro de 2020, em plena pandemia. “A gente nunca mais se desgrudou. No início era muita amizade, a gente ficava porque sempre rolou muita química entre os três. A gente sempre estava junto nos rolês, no meio de semana a Natalia almoçava todos os dias no nosso restaurante. E começamos a ficar desde sempre”, explicou Graziela. Grazi e Diogo pediram Natalia em namoro em outubro do ano passado, após um breve término. Foi nesse momento que eles perceberam que não poderiam ficar mais  separados. “Tivemos uma discussão boba demais e a Nath terminou com a gente. E eu falei: ‘Diogo, como assim, não tem mais jeito de viver sem a Natalia. Eu perguntei: ‘Diogo, você vive sem ela, você consegue enxergar a sua vida sem a Nath?’. E o Diogo falou que não. Chamamos ela para conversar, compramos um anel e deu tudo certo”.

Depois do pedido, os três ficaram ainda mais próximos. Eles moram na mesma casa, dividem a rotina, os boletos e o amor. “Uma questão que surgiu era se o meu casamento estaria desgastado e por isso uma terceira pessoa. E na verdade não, meu casamento estava tão bom que foi possível ter uma outra pessoa para somar, sem estragar”, finaliza Graziela.

Em junho de 2021, Natalia decidiu que era hora de tornar o relacionamento público. Isso porque já havia burburinhos e interpretações erradas sobre o relacionamento.“O povo comentava com olhos maldosos, tipo: ‘A Natalia está dando em cima do marido da melhor amiga. Ou o esposo da melhor amiga da Natalia está traindo a esposa com ela’. Eu estava sendo vista como a amiga quenga e a Grazi como a corna. Eu falei: ‘A gente precisa falar com o pessoal que a gente está junto e que queremos ficar juntos”.

Eles contam que nunca sentiram medo do julgamento das pessoas. Na verdade, o único empecilho era a família que não sabia ainda sobre o relacionamento entre os três. “Principalmente a minha família, que é um pouco mais tradicional. Eu fiquei muito insegura e até por isso demoramos mais um pouco. Os três já tinham vontade de viver como um trisal, postar fotos juntos, mostrar como era a rotina, mas tinha a família. Hoje já está todo mundo mais tranquilo”, relata Graziela.

Hoje os três convivem e se dão bem com os pais de Diogo e da Natalia. Já os pais de Graziela moram em Goiás e por causa da distância, o contato é mais limitado. Com relação ao julgamento da sociedade, não há medo ou insegurança. Apesar disso, Natalia alega ter sofrido preconceito. “O preconceito enrustido acontece demais. Eu já senti em algumas ocasiões no meu trabalho, já senti em algumas ocasiões em meio a amigos, algumas pessoas receberam bem e outras não receberam tão bem assim, ainda mais porque eu nunca dei sinais de que seria uma pessoa bissexual. Alguns amigos começaram a dizer que eu estava com a Grazi só para ficar com o Diogo”.

Copyright © 2021.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito