Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Douglas Borba reforça relação amistosa entre Moisés e Daniela Reinehr

Secretário da Casa Civil falou sobre a transição para o período de 13 dias que Daniela estará como governadora do Estado
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Criciúma - SC, 08/01/2020 - 09:47Atualizado em 08/01/2020 - 10:00
Foto: Paulo Monteiro / 4oito
Foto: Paulo Monteiro / 4oito

Na terça-feira, a vice-governadora Daniela Reinehr (sem partido) falou que estuda projetos próprios em Brasília, neste período de 13 dias em que está governadora provisoriament. O secretário da Casa Civil, Douglas Borba, amenizou a relação entre a vice e o governador Carlos Moisés, que está de licença. No racha interno do PSL, Moisés optou por continuar no partido, enquanto Daniela deixou a sigla para acompanhar o movimento do presidente Jair Bolsonaro.

Borba, que estava presente na cerimônia de assinatura do convênio da Casan em Nova Veneza, quando a vice-governadora anunciou os projetos próprios, deu entrevista ao Programa Adelor Lessa desta quarta-feira, 8. De acordo com o secretário, a relação entre Moisés e Daniela é tranquila.

"A relação com a vice é harmônica, de entendimento.Fizemos uma reunião de transição com a vice para que aquilo que o governo vem desempenhando não seja afetado pelos próximos 13 dias. Se levarmos em consideração que outros governadores nunca se afastaram para dar lugar ao vice, não há animosidades", pontuou Douglas Borba.

A vice-governadora prometeu em entrevista anunciar, na semana que vem, projetos que ela mesma foi buscar em Brasília. "Tenho projetos que fui buscar em Brasília, que vou apresentar na semana que vem para a sociedade catarinense, especialmente em infraestrutura, que é uma meta pessoal minha. São coisas que a vice-governadora foi buscar e agora na semana que vem, como governadora, apresentarei para a sociedade", disse Daniela.

Apoio ao presidente

O secretário ressaltou que o governador, apesar de continuar no PSL, continua sendo de apoio ao governo Bolsonaro. "Nossa relação com o presidente é de apoio irrestrito, independentemente do partido que ele esteja", afirmou. Segundo Borba, Moisés pretende construir a história dentro do partivo.

"Politicamente, o governador acredita que o PSL tem em seu estatuto as condicionantes que permite ser melhor a relação com a população catarinense. Por isso vamos construir a nossa história política por dentro do PSL", finalizou o secretário.