Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Você já sonhou que estava voando?

Grayce Guglielmi Balod
Por Grayce Guglielmi Balod 12/12/2018 - 18:35Atualizado em 12/12/2018 - 18:35

"Esse seu peso nas costas pode ser as suas asas paradas."

Li essa frase em algum lugar e lembrei de um sonho recorrente no qual eu podia voar.
E eu voava. 
Ah! Como eu voava.
Bastava querer e, depois, deixar que os pés se elevassem do chão num delicado impulso inicial.
Então eu subia bem alto.
Lá de cima olhava os prédios, as casas, as arvores, as pessoas; tudo se distanciando.
Tudo ficando cada vez menor.
Quando não enxergava mais nada além da imensidão azul eu descia num mergulho.
Mantinha os braços estendidos junto ao meu corpo. 
Podia abri-los se quisesse mas só o fazia quando queria brincar que meus braços eram asas. 
Com os braços abertos eu dava rasantes sobre as ruas e as praças.
Brincalhona, subia um pouco e depois descia ainda mais perto do solo. 
Quase tocava nas pessoas. 
Sobrevoava os lugares flutuando devagar, sem pressa alguma. 
Eu era pura contemplação e sensação.
Para aterrizar eu só precisava querer e depois me colocar em posição vertical. 
Descia como uma pluma e meus pés tocavam o chão tão macio e levemente que eu custava a perceber que já estava  caminhando outra vez.

Sonhei muitas vezes que estava  voando.
Este foi, sem dúvida, o meu melhor sonho.
A sensação era tão boa e intensa que, confesso, tentei voar acordada.
Teoricamente eu sabia o que fazer.
Eu só precisava praticar. 
E acreditar.
E eu acreditava.
Mas não foi o suficiente. 
Acordada eu nunca experimentei a sensação de voar.

Sinto saudade desse sonho. 
Faz tempo que não voo.
Já faz tanto tempo que começo a esquecer como era.
Mas ainda acredito.
E durmo.
Então, tenho esperança de voltar a sonhar que estou voando.

E o que poderia significar esse sonho no qual voamos?
Eu penso que nosso lugar não é onde decolamos.
Também não é onde aterrizamos.
Penso que não temos um único lugar, o qual podemos chamar de 'nosso'!
Acredito que é em pleno voo que nos sentimos em casa.

4oito

Deixe seu comentário