Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Odontólogos pioneiros em Criciúma mais Alexandre Herculano de Freitas

Henrique Packter
Por Henrique Packter 22/04/2021 - 18:22Atualizado em 22/04/2021 - 18:25

Parece que em 1918 foi regulamentado o ensino de Odontologia no Instituto Polytechnico, curso de dois anos, de natureza prática, instalado na atual Rua Trajano, transferido para a Rua João Pinto e depois para a Avenida Hercílio Luz, 47, Florianópolis. Coube ao curso a formação dos profissionais que preencheram as necessidades da comunidade no setor da Odontologia. Na década de trinta o curso enfrentou problemas, determinando sua extinção em 1933. Pág., 101 do livro de DAURO: “Em 1932 foi fundada a Faculdade de Farmácia e Odontologia de SC, gerando convocação (...) para que os dentistas práticos que exerciam a profissão, prestassem exame no Departamento de Saúde. Assim, recebiam licença para dar continuidade ao exercício do ofício. Com isso, papai passou a ser dentista prático licenciado”. Em 11.6.1946 LEANDRO MARTIGNAGO obtém titulação para exercer a atividade de dentista prático licenciado pela Diretoria de Higiene, chefiada pelo Dr. Nelson de Moraes Guerino). 

Por quase 16 anos SC ficou sem faculdade de Odontologia. Somente em 1946 foi fundada a Faculdade de Farmácia e Odontologia contando com currículo de três anos e tendo como sede dois prédios situados na Rua Esteves Junior.

Década de 30 LEANDRO e NATÁLIA mudam-se para Criciúma.

CHEGA HENRIQUE DAURO MARTIGNAGO, DENTISTA R PRIMEIRO CIRURGIÃO BUCO-MAXILO-FACIAL DA CIDADE

Em 1960, data da chegada de Dauro como profissional, Leandro  se aposenta e é, sem sombra de dúvida, o pioneiro em Odontologia em nossas plagas. Também em 1960, data de minha chegada a Criciúma, a cidade possuía alguns práticos dentistas em atividade e poucos dentistas graduados. Lírio Rosso era um deles, Alexandre Herculano de Freitas o outro e eram os mais notórios. 1960  é um ano cheio de significados para mim e para a maioria das pessoas que conheço. O ano de 1960 foi o divisor de águas na história da nossa medicina, pois coincidiu com o início dos estudos da primeira turma de médicos formados em SC. Foi em 1960 que John F. Kennedy se tornou o 35º Presidente dos EUA e Jânio Quadros o  22º Presidente eleito do Brasil. Lembram dele? O homem da vassourinha, que prometeu varrer a endêmica  corrupção verdeamarela.  Foi em 21 de abril  de 1960 a inauguração de Brasília, a nova capital do Brasil.

Em 22.5.1960  ocorreu o maior terremoto da história, epicentro na cidade de Valdívia e magnitude 9.5. O Grande Terremoto do Chile deixou 6 mil mortos. Nas eleições presidenciais  de 3.10.1960  no Brasil, Jânio Quadros, apoiado pela UDN, vence as eleições. Como vice-presidente é eleito o candidato governista João Goulart, do PSD-PTB da chapa contrária, coisa possível pela legislação eleitoral de então. Já nas eleições presidenciais de 8.11.1960 nos EUA o  democrata John F. Kennedy é eleito derrotando o Republicano e então Vice-presidente Richard Nixon, por pequena margem de votos. Nixon foi derrotado porque os publicitários pró Kennedy,  engajados na campanha, exibiam foto de Nixon nos proghramas eleitorais pela TV, perguntando:

- Você compraria um carro usado deste cara? Acho que a pergunta ainda é válida, oportuna e conclusiva. Em  1960, Henrique Dauro e eu iniciamos nossa vida profissional em Criciúma,  Ayrton Senna, piloto de automobilismo brasileiro, morto em 1994 e Diego Maradona, futebolista e treinador argentino, morto em 2020 – vêm ambos ao mundo.
DAURO, formado em 1959 pela Faculdade de Farmácia e Odontologia do Estado do RJ e diplomado em 26.1.1960, retornou a SC neste mesmo ano. Sua carteira de identidade de Cirurgião-Dentista era de 1º.12.1967. Nasceu em 28.8.1938. Morre em 29.7.2020 aos 82 anos.

Conheço DAURO desde sempre e eu muitas vezes me perguntei que secreto dínamo incansavelmente o movia em suas atividades empresariais. Estava sempre envolvido em algum negócio. Nunca apreciou o álcool como bebida, nunca fumou, estava sempre se movendo. Para a frente.

 FUTEBOL

BOIANOVSKY, homem inteligente, figura impoluta, caráter sem jaça - era colorado nos pampas, claro. Aqui, optou pelo Próspera, participando ativamente do setor médico do clube e de sua direção. ALEXANDRE HERCULANO DE FREITAS, acompanhou-o. Na época, Alexandre estudava hipnose, pensando em aplicar tal conhecimento em sua atividade profissional. Em 1959, quando Diomício Freitas e Santos Guglielmi adquirem a Carbonífera Metropolitana, José Francioni de Freitas, o DITE, dirigente do Atlético Operário, passa a cuidar do Metropol. Chama para auxiliá-lo GILBERTO JOSÉ OLIVEIRA, funcionário da empresa e depois importante diretor da Fundação Cultural de Criciúma. Dite nasceu na Laguna (25.1.1930), falecendo em Florianópolis, a 7.2.2002, 72 anos de idade.
 
O Próspera (29.3.1946) foi campeão da LARM em 1962 e 1964, justamente o período em que o zagueirão Léo atuou pela equipe. Por muitos anos o clube foi o único representante de Criciúma no futebol catarinense. Por volta de 1969, o Comerciário, Atlético Operário e Metropol encerraram seus departamentos de futebol profissional, mas, o Próspera (de Chimirim, Mala, Gonga e Ticolira) manteve-se até 1975, quando sucumbiu aos prejuízos de campeonatos deficitários.
 
Não me lembra mais se este fato aconteceu com Danilo ou com Barbosa, goleiros do Próspera na década de 60. BOIANOVSKY e ALEXANDRE (pediatra e dentista), grandes torcedores e próceres do Próspera, davam palpites em tudo: da estrutura do clube, passando pela escalação do time, assistência médica e jurídica, esquema de jogo...tudo!
 
Era dia de jogo do campeonato citadino. O Próspera tinha dura empreitada contra o Comerciário e estava com seu melhor goleiro contundido. Exames feitos pelo ortopedista Dr. JOÃO KANTOVITZ mostravam que o problema não era sério, que até poderia ser escalado.
 
ALEXANDRE, pouco antes do jogo submetera o jogador a sessão de hipnose, passando sugestão de que estava bem, que iria voar no jogo etc.,
 
O goleiro teve um primeiro tempo portentoso, garantindo inacreditável 0X0. Pela metade do segundo tempo, observado atentamente pelo hipnotizador, que dele não desgrudava olho, Barbosa ou Danilo, começa lentamente a cair. Inclinado para a frente num ângulo absurdo; afinal, desaba. Alexandre tenta de tudo, esgota seus truques, mas o craque não retorna. O ponta esquerda Joel termina a partida no gol, quase sem ser vazado. 6.225 (CONT)
 

4oito

Deixe seu comentário