Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Não acredite em tudo o que lê (um lição do apagão do Facebook)

Arthur Lessa
Por Arthur Lessa 05/10/2021 - 12:34Atualizado em 05/10/2021 - 12:44

Ontem vi (de novo) algo parecido acontecendo em notícias sobre o apagão do Facebook: "Zuckerberg perde US$ 6 bi em horas". Outros colocaram "Mark Zuckerberg perde R$ 32,7 bilhões com crise no Facebook". Isso chama atenção, mas é uma distorção da realidade e causa desinformação.

O cálculo feito é baseado em fatos reais. Multiplicando as ações que ele do FB com o preço unitário e separando 4,9% desse valor (desvalorização da ação no dia do apagão), dá sim esse valor astronômico. Mas ele perdeu esse dinheiro?

Vamos trazer pra nossa realidade de meros mortais que se arrepiam com boletos...

Eu comprei um carro novo por R$ 80 mil há pouco tempo. Ao tirar da concessionária, digamos que ele perca 15% do valor (R$ 12 mil) por não ser mais novo (0 Km).

Aí, pela pandemia, faltou chip no mundo. Entre os setores afetados está o automobilistico, ja que hoje os carros são carregados de sensores e equipamentos eletrônicos. Sem eles, não tem carro.

Fábricas param, oferta desaba, demanda dispara e os usados ficam mais concorridos. Meu carro de R$ 80 mil, que valia R$ 68 mil, vira artigo de luxo, valoriza 25% e agora é um ativo de R$ 85 mil.

Afinal, perdi R$ 12 mil ou ganhei R$ 5 mil?

Depende... Se não vender, não perdi nem ganhei. Segue com o mesmo carro que custou R$ 80 mil te levando pra lá e pra cá.

O que aconteceu foi que o carro sofreu primeiro uma desvalorização e, um tempo depois, uma valorização. Mas se você não tentar vender nem pesquisar na Fipe, nem sabe disso. A contrário do que acontece com as ações nas bolsas de valores, não existem paineis com as cotações de preços de carros na nossa cara o dia inteiro. 

Mas o Mark Zuckerberg não perdeu nada?

Perdeu, e muito!

Segundo informações que surgiram, a receita que deixou de ser gerada gira na casa dos US$ 100 milhões nas sete horas de ausência das plataformas.

Esse dinheiro, sim, não volta. E o fator dessa realidade é o tempo, que não volta. A publicidade não veiculada virou pó.

4oito

Deixe seu comentário