Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Bom dia, Mercado (01/11/2021)

Hoje o foco é no Boletim Focus e na Renda Fixa
Por Arthur Lessa 01/11/2021 - 10:26 Atualizado em 01/11/2021 - 11:13

Bom dia!

Hoje é 1º de novembro, uma segunda-feira ilhada entre fim de semana e feriado de Finados, mas o jogo segue! 

Além disso, já que estamos em novembro, o olhar já tem que ser lançado a 2022. Sim, mesmo ainda tentando digerir 2020, o tempo não para!

Um dos destaques de hoje é o Boletim Focus, do Banco Central, que segue apresentando piora nas expectativas do mercado.

Como estamos muito próximos do fim do ano, as mudanças de uma semana pra outra são mínimas. Para melhor entendimento da tendência, vamos olhar na janela de quatro semanas. 
IPCA subiu de 8,51% para 9,17% (hoje está em 10,37%)
IGPM subiu de 17,67% para 18,28%
Crescimento do PIB de 5,04% para 4,94%
Câmbio de R$ 5,20 para R$ 5,50
Selic de 8,25% para 9,25%

Já para 2022, mesma tendência subindo o que deveria descer e descendo o que deveria subir.

IPCA subiu de 4,14% para 4,55% (acima da meta para o ano)
IGPM de 5% para 5,31%
Crescimento do PIB de 1,57% para 1,20%
Câmbio de R$ 5,25 para R$ 5,50
Selic de 8,50% para 10,25%

Abaixo, vocÊ confere as expectativas para os anos seguintes (2023 e 2024)

Para conferir o relatório completo do Banco Central, clique aqui.

Outro destaque importante é para a Renda Fixa, que deve ser a queridinha do ano que vem entre os investidores. Confira a análise da Marília Fontes distribuída hoje na newsletter matinal da Nord. 

2022 será o ano da renda fixa

Com Ibovespa encerrando o pior mês do ano em outubro caindo 6,74 por cento e, no acumulado, baixa de 12,92 por cento, indicadores de atividade econômica mostrando desempenho abaixo do esperado e cenário de alta de juros, o questionamento é: devo investir em Bolsa ou em renda fixa? Qual oferece o melhor resultado?

Na semana passada, o Comitê de Política Monetária elevou a Selic para 7,75 por cento ao ano, 1,5pp acima da taxa anterior. A aceleração em mais de um ponto percentual é uma tentativa de colocar a inflação de volta nas metas (2022: 3,50 por cento, 2023: 3,25 por cento e 2024: 3,00 por cento).

Segundo o Boletim Focus desta segunda-feira (1), as expectativas são de que a Selic deve encerrar o ano de 2022 em 9,25 por cento e se elevar até 10,25 por cento em 2022. Enquanto isso, as expectativas para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) são de uma taxa de 4,55 por cento em 2022, 3,27 por cento em 2023 e 3,07 por cento em 2024.

Com o novo panorama, de acordo com a analista de renda fixa e sócia-fundadora da Nord Research, Marilia Fontes, as pioras nas projeções para os próximos anos resultaram em uma desancoragem das expectativas de inflação.

Com isso, pode ser que o Banco Central tenha que readequar a política para fazer frente à alta da inflação, elevando a taxa Selic para algo em torno de 10 por cento em 2022.

Invista em renda fixa sem deixar de lado as ações

Diante de cenários de incerteza, segundo nossa especialista, a aversão ao risco deve garantir que 2022 será o ano da renda fixa e, por conta disso, o investidor deve ter esse olhar para a diversificação, sem deixar de lado as ações, mas aumentando a parcela de produtos de renda fixa.

O momento atual é de construir uma carteira com duas coisas: liquidez e segurança. Por isso, evite ficar exposto ao juro longo no cenário atual. Monte uma carteira mais conservadora, especialmente porque os cenários eleitoral e econômico devem permanecer conturbados.

Uma saída é comprar títulos de renda fixa pós-fixada atrelados à Selic ou à taxa DI – taxas de juros que acompanham a taxa básica –, que passaram a render mais com a alta da Selic. E, no caso dos prefixados, prefira os de curtíssimo prazo.

Um ponto de atenção vai para os títulos de longuíssimo prazo prefixados ou atrelados à inflação, esses exigem cautela. Diante do cenário de incertezas, esses títulos podem continuar sofrendo com a marcação a mercado. Só para se ter uma ideia, neste ano, o Tesouro IPCA+ 2035, por exemplo, acumulou um incrível prejuízo de 17 por cento até o momento.

Se você ainda não entende como os títulos IPCA+ podem dar fortes prejuízos mesmo em um cenário de maior inflação, recomendo fortemente que você assista às aulas gratuitas da Marilia explicando sobre esse e os demais assuntos mais importantes para os investidores de renda fixa.

Ainda na visão da nossa analista, no mercado de ações é possível encontrar boas empresas, a bons preços e com visibilidade de crescimento. Porém nem tudo está barato. É cada vez mais importante que você faça investimentos contando com a ajuda profissional da Nord.

Vou deixar aqui o acesso para você conhecer o trabalho da Marilia e da equipe do Renda Fixa Pro. Na série, entregamos uma carteira detalhada com o percentual de cada título que você deve possuir de acordo com cada cenário macroeconômico. Essa é a melhor decisão que você pode tomar no cenário atual.

 

Copyright © 2021.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito