Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Facebook Inc. muda nome para Meta

Durante o seu evento anual para desenvolvedores, Mark Zuckerberg anunciou a mudança de nome da empresa-mãe além de reforçar suas intenções na construção do futuro da comunicação, o chamado metaverso.
Por Ale Koga 29/10/2021 - 11:19 Atualizado em 29/10/2021 - 11:58

O que mais vimos ontem foram chamadas sensacionalistas dizendo que o Facebook mudou de nome e agora chama-se "Meta". Sensacionalista sim. Fake news? Não.
O que acontece é que antes o nome Facebook era não só o nome da rede social azulzinha que conhecemos como também nomeava o grupo de empresas e subprodutos do Zuckerberg, o Facebook Inc.

A partir de agora, Whatsapp, Messenger, Instagram, Facebook e Oculus VR passam a ser produtos da Meta juntamente com outras tecnologias adquiridas pela empresa. Importante lembrar que uma manobra similar já foi feita pelo Google, anos atrás, quando anunciou a Alphabet como conglomerado de suas empresas (Google, YouTube, Android, etc.).

E por quê a mudança?

Entre tantas especulações e análises, a razão oficial foi comunicada ontem durante o Connect 2021: "Queremos dar vida ao metaverso e ajudar as pessoas a se conectar com amigos e familiares, encontrar comunidades e fazer crescer seus negócios." Além disso, Zuckerberg também mencionou que o benefício para o usuário final seria poder escolher qual serviço da "empresa-mãe" utilizar sem necessariamente associá-lo ao Facebook ou Instagram. Basicamente, separar rede social de tecnologia.

Um motivo extra-oficial que muitos apostaram, foi que a mudança de nome teria sido também uma forma de limpar a reputação do nome Facebook, que há tempos vem sendo manchada por conta de escândalos envolvendo especialmente a questão de privacidade e dados de seus usuários.

Fato é que muito se fala que o metaverso é o futuro da comunicação. Sua justificativa para o nome é a origem grega da palavra, "metá", que pode ser traduzida como "além" ou "em seguida". A nossa interpretação? Se o metaverso realmente tornar-se o futuro, ter a empresa com o nome relacionado já seria um grande share de marca gratuito, não?

Mas o que é esse Metaverso?

O Metaverso seria uma nova forma de consumir produtos, conteúdos, entretenimento, fazer compras e se relacionar. Basicamente, unir o mundo físico com o mundo virtual. Lendo assim, muitos talvez pensem que seja algo parecido com os jogos "The Sims" ou "Second Life". É e não é. O Metaverso vai muito mais além.

O metaverso funcionará como uma combinação híbrida das experiências sociais online atuais, às vezes expandido em três dimensões ou se projetando no mundo físico. Ele permitirá que você compartilhe experiências imersivas com outras pessoas mesmo quando vocês não puderem estar juntos, e fazer coisas que não poderiam fazer juntos no mundo físico. É a próxima evolução em uma longa jornada de tecnologias sociais, e está inaugurando um novo capítulo para a nossa empresa.

Em entrevista ao The Verge, Zuckerberg diz que já investiu pelo menos 10 bilhões de dólares na construção do que seria esse ecossistema de imersão, o que mostra que a aposta é grande e acredita muito no crescimento desse setor.

E a questão administrativa, fica como?

Muda-se o nome, mas permanece o dono. Zuckerberg ainda será o chefe global da empresa e continuará com todo poder para controlar dados e regras internas das empresas e agora, do metaverso.

O que mudará será a forma como os resultados financeiros serão divulgados. Em breve, teremos os resultados do quarto trimestre de 2021, que serão divididos em dois segmentos operacionais: um sobre a família de apps (Facebook, Instagram,Whatsapp e Messenger) e outro sobre o Reality Labs (tecnologias).

Outra coisa que muda para os investidores que possuem ações da empresa na bolsa é o símbolo e o ticker, que a partir de 1 de Dezembro passará a ser MRVS. Veremos como as ações e o mercado vão reagir à mudança.

Placa na sede da Meta no Menlo Park/CA já foi alterada com o novo logo e nome da empresa

Mas então, qual é a meta de Zuckerberg?

Dominar o mundo, claro! Imaginem as possibilidades de novos produtos e oportunidades comerciais que vão surgir com o metaverso e também com a chegada do 5G? Viver no mundo físico, tendo uma vida paralela no mundo virtual pode parecer só cena de filme futurista por enquanto, mas é algo que muito em breve começará a fazer parte da nossa realidade que também passará a ser virtual.

Já não está fácil administrar a vida aqui, imaginem administrar uma segunda realidade. E com um óculos de realidade virtual no grudado no rosto o tempo todo!
Fica o questionamento: vocês estão preparados para o futuro? Um futuro que tem grandes chances de estar sendo construído por Mark Zuckerberg?

 

Copyright © 2021.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito