Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Tencati valoriza o empate em casa

"Foi contra um concorrente da parte de cima da tabela", apontou o técnico do Criciúma
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 23/04/2022 - 13:40 Atualizado em 23/04/2022 - 13:42
Fotos: Celso da Luz / Criciúma EC
Fotos: Celso da Luz / Criciúma EC

Quer receber notícias como esta em seu Whatsapp? Clique aqui e entre para nosso grupo

O técnico Cláudio Tencati gostou do que viu no empate deste sábado (23), 1 a 1 com o Sport Recife no Heriberto Hülse em jogo da terceira rodada da Série B. "Foi positivo. Temos que valorizar o empate. Óbvio que tínhamos a vitória na mão e deixamos escapar. Foi um concorrente da parte de cima e temos que valorizar", avaliou. "O comportamento do Criciúma foi positivo, demonstra que vai ser forte em casa. Mas querremos ser fortes fora também", completou.

Tencati vê com normalidade a queda de rendimento no decorrer da partida. "Natural que aconteça como no fim do primeiro tempo, diminuir um pouco o ritmo, caímos um pouco, o adversário abre os laterais, traz os atacantes por dentro, ficou com quatro jogadores desequilibrando e laterais abertos", observou. "O Criciúma foi pressionado nas bolas paradas pelo Sport no primeiro tempo, e no segundo tempo também", apontou.

Não faltaram críticas para o árbitro Leandro Vuaden. "Com o todo o respeito ao Vuaden, mas bola ao chão para o goleiro com atacante se desprendendo, é bobeira nossa, claro, mas um árbitro experiente", afirmou. "Em vez de dar uma bola ao chão mais próxima, joga um abacaxi para o Gustavo e o atacante pressionando, uma lambança, uma imprudência, faltou discernimento", registrou. "A arbitragem nos demais fatores foi boa", completou.

Ele valorizou a reação da equipe depois das substituições feitas. "Quantas vezes o Sport chegou de novo ao nosso gol depois das mudanças? Muito pouco. Faltou precisão", salientou Tencati. 

O temor com os espaçamentos

Antes do gol marcado pelo Sport, o volante Arilson foi chamado por Tencati e recebeu orientações do técnico tricolor. Ele contou qual era a preocupação naquele momento. "O espaçamento. Tinha o bloco dos três jogadores em pressão média e alta, a segunda linha com Arilson, Léo e Felipe mais baixa, e a linha defensiva começou a gerar espaços, precisava compactar", respondeu.

Esse é um dos aspectos que, ele antecipou, deverá ser corrigido. "A gente sabe que isso vai ter que ser corrigido. Se a defesa sente que não está dando para pressionar, baixa essa linha, compacta mais e não deixa espaço entre linhas", comentou. "Uma bola que estava no nosso controle, uma atitude imprudente do árbitro gerou o gol. Não era o momento para sofrer o gol, a gente tinha outros planos táticos", insistiu, voltando à pauta do lance do gol do Sport.

Indagado sobre a possibilidade de mexer mais cedo no time, Tencati explicou seu critério para modificações. "Se for mexer com 5 ou 10, mexo no intervalo. Eu tenho um critério, o time estava ganhando e bem. O Sport só chegava em bolas de escanteio ou cruzamento, não tinha razão para mexer. Quando vem para o segundo tempo a gente iria ver como ficar", frisou.

Vai ter pressão

E Tencati voltou a citar que haverá instantes de pressão contra, pelo nível da competição. "Estamos jogando uma Série B, nós vamos ser pressionados, temos que ter resiliência, isso vai acontecer, temos que saber sustentar", sublinhou.

Sobre jogar fora de casa agora, contra o Guarani na quarta-feira, Tencati concordou que poderá promover mudanças. "É possível", resumiu. "Mas no contexto a gente tem uma boa estrutura. Ficamos até uns 25 marcando alto, depois cansamos e baixamos as linhas, daí começaram os problemas", emendou. "Vamos analisar o Guarani, podemos fazer alguma alteração sim para melhorar a agressividade de marcação e a compactação", destacou.

Ainda a respeito de possíveis alterações, o treinador referiu que não é refém de sistemas. "Eu não sou refém de sistemas, vamos analisar o Guarani, se achar que tem que mudar, mudamos", disse.

"Não devemos nada para o Sport"

Ele lembrou, ainda, que o Criciúma está construindo uma impressão inicial positiva no Brasileiro. "Antes de começar havia um temor de como seria o Criciúma e hoje estamos jogando de igual para igual. Não ficamos devendo nada para o Sport, alternamos em momentos ótimos e bons", destacou. "É só jogando, treinando e corrigindo. É a quarta partida oficial do ano que estou fazendo, o Sport jogou Copa do Nordeste, Campeonato Pernambucano e Série B, eles tem ajuste. Nós estamos em crescimento", detalhou.

Provocado sobre precipitações da equipe, ele concordou que é preciso ter cuidado com esse aspecto. "Pressa não pode ser confundida com comportamentos ruins. A gente precisa de velocidade no jogo mas é com troca de passes, organização e mantendo um padrão de jogo", destacou. "Ficamos mais na euforia do que na capacidade do que foi construído para o gol", completou. "Soubemos furar o bloqueio do Sport", enalteceu.

Guerra em Campinas

O técnico prevê dificuldades no próximo compromisso. "É clima de guerra, eles precisam vencer", sublinhou. "Eles investiram e têm expectativa de acesso, e sabem que precisam ganhar", refletiu Tencati. "O Criciúma tem que ir bem, focado, em uma estratégia para buscar pontos", completou.

Copyright © 2021.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito