Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Setor gastronômico busca a retomada

Via Gastronômica de Criciúma traça projetos para superar problemas causados pela pandemia
Marciano Bortolin
Por Marciano Bortolin Criciúma, SC, 28/02/2021 - 16:35
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O setor da gastronomia é mais um que sofreu e ainda sofre com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Porém, a esperança de recuperação e dias melhores se mantêm de pé. Para isso, a nova diretoria da Via Gastronômica de Criciúma projeta uma série de ações para 2021 e 2022. 

Entre elas, aponta o presidente, Joster Favero, está  o lançamento do Mapa Gastronômico. “Com isso buscamos, entre outras coisas, angariar o comprometimento do poder público. Estaremos mostrando os estabelecimentos com QR Code, onde o público poderá escanear e ter acesso às informações dos estabelecimentos. Cidades como Nova Veneza, Pomerode, Joinville têm são alguns exemplos deste tipo de iniciativa”, comenta. 

Outra intenção é ampliar o número de associados que hoje é de 22 estabelecimentos. “O terceiro pilar é a realização do Festival Gastronômico. Estamos no sexto ano do evento e queremos tirar de dentro dos estabelecimentos e levar para as ruas, colocar nos parques para com isso levar a população”, salienta Favero, acrescentando que a ideia é realizar o festival por cinco dias.

Outro projeto é realizar o jantar na Mina Modelo. O assunto está sendo tratado pelos representantes da Via Gastronômica com a Fundação Cultural de Criciúma (FCC). “Pode ser que não saia em 2021, mas em 2022, sim e acreditamos que será um case. A ideia é que todos os estabelecimentos da Via Gastronômica escolham um cardápio para servir na mina. Com este conjunto de atividades, acreditamos que daremos um grande salto”, ressalta.

O planejamento inclui desde o desenvolvimento e formação de profissionais até a realização de eventos, com ênfase no fortalecimento do segmento na cidade.

Além de Joster Favero, também fazem parte da nova diretoria da Via Gastronômica, Marcelo Ribeiro da Costa (tesoureiro), Miguel Angelo Mastella (secretário), Guilherme Farias (diretor de Marketing e Eventos) e Leandro Vettorazzi (diretor comercial).

A relevância do segmento para a economia da cidade é ressaltada pelos números. São mais de mil estabelecimentos de gastronomia registrados na Junta Comercial, gerando uma média de 6 mil empregos diretos e uma projeção de 21 mil empregos indiretos. Com isso, os restaurantes injetam aproximadamente R$ 9 milhões mensais na economia local.
 
Os impactos da pandemia
 
Joster lamenta os impactos causados pela pandemia no setor. Ele destaca que tem conhecimento do fechamento de 12 estabelecimentos em Criciúma. “Mas há muitos menores que não temos acesso e que fecharam. O número exato de demissões é difícil mensurar, mas nacionalmente, chega a 40% da mão de obra de gastronomia desligada do mercado de trabalho. Primeiro, estamos profundamente decepcionados com os governos estadual e federal por causa da inoperância. O setor fecha ou limita o número de pessoas, mas as praias ficaram liberadas por mais de três meses provocando aglomerações”, relata.