Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Os fortalecidos e fragilizados pelas eleições de 2020

Em Joinville e Blumenau, disputa do pleito ficou para o segundo turno
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Florianópolis - SC, 17/11/2020 - 10:14Atualizado em 17/11/2020 - 10:16
Foto: Arquivo / 4oito
Foto: Arquivo / 4oito

As eleições municipais de 2020 terminaram em praticamente todos os municípios de Santa Catarina. Fora em algumas poucas cidades como Joinville e Blumenau, onde haverá segundo turno, os prefeitos já estão definidos, alguns candidatos saíram fortalecidos e outros um tanto quanto fragilizados.

Em Joinville, o segundo turno ficou entre Darci de Matos (PSD) e Adriano Silva (NOVO). “O eleitorado de Udo e Krelling do MDB tende a migrar para o jovem NOVO. Já Darci procurou uma alternativa renovadora, com o discurso diferenciado de que não pretende fazer coligações no segundo turno”, disse o jornalista político Moacir Pereira.

Já em Blumenau, a situação será um pouco mais difícil para João Paulo Kleinubing (DEM), que obteve apenas 15,53% dos votos - enquanto seu concorrente, Mário Hildebrandt, se sobressaiu com 42,3%. “Kleinubing precisará multiplica efetivamente seus votos. Mas é difícil prever para onde irão migrar os 22,8 mil votos do promotor Tramontin, os 17,8 mil de Alba e os outros 15 mil de Ana Paula e Ivan Naatz”, pontuou o jornalista. 

Dentre os que saíram fortalecidos pelo pleito deste ano, está o prefeito reeleito de Criciúma Clésio Salvaro (PSDB), o gestor da capital Florianópolis Gean Loureiro (DEM) e João Rodrigues (PSD), de Chapecó, assim como Joares Ponticelli (PP), em Tubarão.

“Os mais fragilizados são  ngela Amin (PP) e o senador Dário Berger (MDB), pelo fracasso da aliança com Amin. Assim como o senador Jorginho Mello (PL), que duplicou os prefeitos do PL em SC mas não conquistou grandes municípios”, destacou.