Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Os 185 anos da Polícia Militar de Santa Catarina

Instituição, fundada em 1835 no estado, conta com quase 11 mil profissionais espalhados por todos os municípios catarinenses
Redação
Por Redação Criciúma - SC , 05/05/2020 - 11:52Atualizado em 05/05/2020 - 15:45
Foto: arquivo / 4oito
Foto: arquivo / 4oito

A Polícia Militar de Santa Catarina completa 185 anos de existência nesta terça-feira, 5. São quase dois séculos de serviços prestados à população catarinense, em todos os quase 300 municípios do estado, todos os dias 24 horas por dia - algo que nasceu no longínquo ano de 1835, quando SC ainda era uma província presidida por Feliciano Nunes Pires.

“Essa instituição é formada por homens e mulheres que não medem esforços para defender a vida, a liberdade e o patrimônio alheio. Por muitas vezes, injuriada e amaldiçoada, mas sempre necessária, e que se renova a cada dia na força implacável desses mesmo homens mulheres que a formam”, destacou o coronel Márcio Cabral.

São quase 11 mil profissionais espalhados pelo estado, presentes em uma corporação que não para um minuto sequer e que é a única que está pronta a qualquer hora do dia e em qualquer canto do estado. “Em todos os cantos deste estado, esses homens de coragem estão presentes. Em muitos cantos, eles lutam incessantemente pela paz e por uma vida mais segura para todos. Em cada canto de SC, estes profissionais permanecem anônimos na maioria das vezes”, disse Cabral.

Por mais que muitas vezes seja alvo de duras críticas, a Polícia Militar segue trabalhando noite e dia para garantir o estado democrático de direito e a liberdade dos cidadãos. A comemoração do aniversário da instituição vem para relembrar aos profissionais, assim como à população, a importância de seus serviços prestados.

“Parabéns a esses homens e mulheres que passaram e deixaram o seu legado que carregam consigo as difíceis lutas da guerra do contestado, as batalhas difíceis pela vitória republicana contra o absolutismo português, que carrega consigo as marcas da batalha da Serra da Garganta”, afirmou o coronel.