Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Mais de uma arma apreendida por dia na região

Na Amrec e Amesc a Polícia Militar já apreendeu 213 armas ilegais em operações desde o início do ano
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 11/07/2019 - 17:24Atualizado em 11/07/2019 - 17:28
Divulgação
Divulgação

Esta quinta-feira, 11 de julho, é o 192º dia de 2019. Nesse período, a 6ª Região de Polícia Militar já apreendeu 213 armas ilegais nas mais diversas operações de abordagens nas ruas de Criciúma e dos demais municípios da Amrec e Amesc. A média é superior a uma arma apreendida por dia.

"A região está com 213 armas ilegais apreendidas, que não poderiam estar circulando nem nas mãos das pessoas com as quais flagramos. Continua com a média do ano passado, quando tivemos cinco ou seis a menos", confirma o comandante da 6ª Região, coronel Cosme Manique Barreto.

O dado reflete um dos resultados das mais de 6,4 mil abordagens a veículos e 1,8 mil a pessoas realizadas neste ano na região. "Até na semana passada apreendemos com duas crianças, de 15 anos, uma arma de 9 milímetros de alto valor de comércio. No submundo, pela informação que tivemos, foi pago R$ 7 mil", conta o coronel.

"A abordagem constante de pessoas e veículos vai impedir a circulação do marginal dentro das cidades", refere Manique Barreto. "Só o nosso grupo que trabalha com isso constantemente já passa de 50 termos circunstanciados por posses de drogas, de pequena quantidade, a pessoa pode alegar que é apenas usuária", cita, destacando outro balanço das ações da PM. "Muitas vezes os crimes são cometidos por menores de idade que, se estiverem com veículo, já cabe a apreensão por não terem a habilitação, ou maiores também, na sua maioria, não habilitados", observa.

O comandante lembra, ainda, um caso da semana passada, quando um veículo roubado foi usado para outras ações criminosas. "Foi uma pessoa que roubou o veículo, até houve confronto com a PM, troca de tiros, ele conseguiu fugir. Com esse veículo roubado ele cometeu mais quatro ou cinco roubos dentro da cidade de Criciúma. Essa constante fiscalização faz com que se reduza essa circulação do marginal, essa liberdade dele", detalha. 

Menos acidentes

"E qualifica também o motorista que vai para a rua", lembra Manique Barreto, enfatizando que o acréscimo das ações policiais no trânsito colabora para a redução de acidentes com vítimas em 20,2% na região. "É um número alto, significativo também para a cidade, a saúde pública. Se for só uma vítima com ferimentos já é leito de hospital, UTI sendo ocupada. Quanto mais reduzirmos esses números com a nossa fiscalização forte vamos também atuar na saúde das cidades", conclui.