Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Grupo se mobiliza pela cassação do mandato de Jessé

Coleta visa mil assinaturas para encaminhar denúncia ao MPSC e pedido à Alesc
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 27/05/2020 - 11:23Atualizado em 27/05/2020 - 11:28
Deputado Jessé Lopes / Foto: Divulgação
Deputado Jessé Lopes / Foto: Divulgação

"Pela cassação do mandato do deputado Jessé Lopes por incentivar assédio contra as mulheres, difamação e quebra do decoro parlamentar". Assim é apresentado, na plataforma "Petição Online", o abaixo assinado que colhe assinaturas para pedir à Assembleia Legislativa (Alesc) a cassação de Jessé, deputado do PSL de Criciúma em primeira legislatura. Ele foi eleito em 2018.

Reprodução / Twitter

O ponto de partida para o pedido é a recente postagem que Jessé fez no Twitter, apagada poucas horas depois, referindo um suposto caso de gravidez de uma funcionária da Secretaria da Casa Civil, e que o pai da criança seria o governador Carlos Moisés.

Confira também - Jessé, Douglas, a gravidez e nova polêmica com o governador

De pronto, o governador Carlos Moisés emitiu nota de repúdio, e a Assembleia Legislativa (Alesc) também. Jessé removeu o conteúdo, explicou que sua intenção era fazer uma analogia com a CPI dos Respiradores e recuou, excluindo a postagem.

Confira também - Jessé explica postagem sobre governador e gravidez

A ideia de cassação

A partir dessa situação da postagem polêmica, um grupo está se mobilizando via redes sociais, em Criciúma, para colher assinaturas visando fundamentar o pedido de cassação do mandato de Jessé. "Acabamos de bater mais de 200 assinaturas em menos de duas horas de mobilização. A gente está pedindo a cassação do deputado Jessé pelas suas manifestações mais recentes, a gente vem enfrentando a violência contra a mulher em Santa Catarina e ele tem ido na contramão há muito tempo", justificou a cirurgiã-dentista Giovana Mondardo, uma das idealizadoras da campanha online.

"Fizemos uma petição pública para mandar para o Ministério Público e para a Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Alesc para cassação desse deputado que não nos representa, que assumiu para gerir o Estado e vem manchando o nome da Alesc e vem construindo um discurso, uma narrativa de opressão, de violência contra as mulheres, e a gente precisa combater", explicou Giovana. "Não é por ser parlamentar que pode falar, expor. Se ele vai deixar à mercê da sociedade o julgamento, nós julgaremos, e vamos levar adiante essa petição quando chegarmos a mil assinaturas", emendou.

Confira também - Moisés afirma que levará postagem de Jessé Lopes à Justiça

Giovana lembra que Jessé já teve outros problemas do gênero, tanto que ele enfrenta outras denúncias no Conselho de Ética da Alesc. "A gente precisa lembrar que não é a primeira vez que o deputado faz esses movimentos de endossar a violência, a exposição, o assédio. A gente pode relembrar aquele momento durante o Carnaval quando ele foi contra a campanha Não é Não, afirmando que assédio era um direito da mulher durante o Carnaval. É inaceitável que a gente acredito que um parlamentar possa dizer isso e ficar impune", relatou. "Foi aberto um inquérito da bancada feminina na Alesc mas não foi em frente", lamentou. "É inaceitável que a gente tolere esse tipo de violência e opressão contra as mulheres. Essa insinuação repercutiu muito mal e expôs uma moça, que requer sua defesa enquanto mulher. É momento de severa resistência, por isso pedimos a cassação dele", completou.

Confira a petição online clicando aqui.

Repúdio na Câmara

O assunto chegou à Câmara de Criciúma. Na sessão desta terça-feira, 26, o vereador Edson Paiol do Nascimento, que é do PSL, fez a defesa do governador Moisés e bateu fortemente no deputado. "Não estava preparado para ser deputado e está denegrindo com as suas atitudes a atividade da casa parlamentar", referiu. Uma Moção de Repúdio ao deputado será colocada em apreciação na próxima segunda-feira, 1.

Confira também - "Não estava preparado para ser deputado", diz vereador sobre Jessé