Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Gean Loureiro se defende: "baixeza e jogo sujo da política" (VÍDEO)

Prefeito de Florianópolis e candidato à reeleição foi acusado de estuprar ex-funcionária da Secretaria de Turismo
Denis Luciano
Por Denis Luciano Florianópolis, SC, 29/10/2020 - 08:29Atualizado em 29/10/2020 - 08:42
Reprodução
Reprodução

Caiu como uma bomba em Florianópolis, nesta quarta-feira, 29, a denúncia, que veio à tona a partir da publicação do Boletim de Ocorrência e do vazamento de imagens de cenas de suposto estupro que o prefeito Gean Loureiro teria praticado contra uma ex-funcionária da Secretaria de Turismo, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico da Capital. No BO consta que Gean teria estuprado a servidora pelo menos duas vezes, entre o fim de 2017 e início de 2018 e em outubro de 2019, além de uma primeira tentativa em 2017. O boletim foi registrado no último dia 9.

Na denúncia à Polícia Civil, a funcionária do município referiu, ainda, que só se encorajou a tornar públicos os ataques do prefeito depois de tratamentos e colocou psiquiatra e psicólogo que a acompanharam ao dispor para confirmar a sua versão. O marido da comunicante também tomou conhecimento e, conforme ela, a incentivou a prestar denúncia.

O prefeito se manifestou na manhã desta quinta-feira, 29. Em um pronunciamento de cerca de dois minutos, Gean admitiu o caso extraconjugal mas garantiu que a relação com a denunciante foi consensual. "Peço perdão a todos vocês mas eu preciso fazer um desabafo. Hoje eu e minha família fomos surpreendidos de uma forma rasteira e violenta, numa avalanche de mentiras. Fui acusado por algo que abomino com todas as minhas forças, nunca em toda a minha vida cometi ato de violência contra quem quer que seja", destacou.

Gean admitiu caso extraconjugal

"Tive sim no passado um relacionamento fora do meu casamento, é algo que não me orgulho, e que assumo todas as consequências", admitiu. "É um assunto doloroso que eu e minha esposa já havíamos tratado dentro das quatro paredes de nossa casa, lugar de onde esse assunto jamais deveria ter saído", comentou. "Pedi perdão à minha família pela dor que causei, sei o que fiz e me arrependo. Mas também sei o que não fiz, por isso eu não vou me calar diante dessa tentativa desesperada, dessa armação eleitoral da qual estou sendo vítima", observou.

O prefeito relacionou a denúncia de agora a motivações políticas, já que faltam pouco mais de duas semanas para as eleições e ele disputa um segundo mandato. "Agora, há poucos dias da eleição, estão tentando transformar em crime um ato consensual entre dois adultos, que aconteceu lá em 2019. Isso mostra que não há limites para a baixeza e jogo sujo da política. Fui alvo de uma armação covarde, com uso de uma câmera escondida de propósito, expondo imagens da minha intimidade de forma desumana nas redes sociais quem já sofreu uma acusação injusta, quem teve sua imagem destroçada publicamente, sabe o que estamos sentindo", comentou. "Eu peço perdão à minha família e aos meus amigos pelo sofrimento que todos estão passando e a Deus eu peço que me dê serenidade para superar esse momento, com a tranquilidade da minha consciência", frisou. "No mais, cabe à Justiça apurar com o rigor máximo para que a verdade prevaleça", finalizou.