Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Foco no fomento de Santa Catarina

Por Redação Criciúma, SC, 01/08/2019 - 21:50
Divulgação
Divulgação

Eduardo Machado, presidente do Badesc

Importantes mudanças econômicas estão ocorrendo no país e todas as instituições, em especial aquelas criadas para o fomento, podem contribuir nesse processo. Foi pensando nisso que a Agência de Fomento de Santa Catarina - BADESC buscou focar suas forças no cumprimento da sua missão, que envolve o desenvolvimento econômico e social de SC.

Trabalhamos intensamente nesse primeiro semestre para fazer entregas relevantes. Remodelamos a forma de interagir com o mercado indo ao encontro do empreendedor, conhecendo seu negócio e orientando o que melhor se enquadra à sua necessidade de investimento. Na mesma linha, reformulamos a concessão de crédito aos municípios, no programa Badesc Cidades. Temos agora um novo modelo, que conta com critérios técnicos que classifica os projetos de infraestrutura municipal de maior relevância e impacto no desenvolvimento local.

Nossos resultados operacionais também são comemorados. Nos primeiros seis meses de 2019, estamos próximos de superar todo o ano anterior em operações privadas. Recebemos mais de R$ 246 milhões em solicitações de crédito aos municípios para o ano de 2019. Alcançamos lucro líquido superior a R$ 19 milhões, 140% maior que 2018. Outro ponto de destaque é a economia gerada com ajustes na estrutura organizacional, que vai desde a redução de cargos, revisão de contratos, até a desocupação de imóveis alugados para as antigas gerências regionais. Isso tudo possibilitará economia anual superior a R$ 4 milhões, reduzindo em cerca de 10% as despesas. 

Colhemos bons resultados até agora e continuamos com foco no fomento da economia catarinense, promovendo o desenvolvimento das regiões, seja com geração de emprego e renda, seja com a manutenção dos empregos já existentes. Queremos mais! Vamos em busca de novas fontes de recursos para ampliação do crédito; elevar a carteira de crédito ao setor público; concessão de crédito rural por meio de parcerias com instituições e empresas estaduais para aumentar os recursos ao agricultor familiar, entre outros desafios.