Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

"Decreto quase 100% acolhido na região", avalia comandante

Com decreto mais severo a partir desta sexta, PM vai intensificar fiscalização nas ruas
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 19/03/2020 - 18:45Atualizado em 19/03/2020 - 18:51
Arquivo / 4oito
Arquivo / 4oito

O governador Carlos Moisés anunciou, no início da noite desta quinta-feira, 19, a ampliação dos efeitos do decreto que limita a circulação e o convívio social em Santa Catarina, visando o combate à propagação do coronavírus. O estado conta, hoje, com 21 casos confirmados. Entre os novos itens anunciados, a limitação do acesso e circulação de veículos por estados vizinhos - Rio Grande do Sul e Paraná - e país - a Argentina -. O novo decreto proíbe, ainda, a circulação por parques, praças e praias.

"Iremos fazer as rondas, fazer o chamamento das pessoas que estão nesses ambientes e determinando o recolhimento deles para suas residências", avaliou, no Ponto Final da Rádio Som Maior, o coronel Cosme Manique Barreto, comandante da 6a Região de Polícia Miliar. "Em caso de descumprimento teremos que utilizar a legislação, o artigo 268, para reter a pessoa, fazer um Termo Circunstanciado e em caso de desobediência até a condução para uma delegacia", acrescentou.

Avaliação do dia

Ao fazer cumprir o decreto de suspensão de serviços, a Polícia Militar foi às ruas ao longo de todo o dia. Houve um caso de prisão pela manhã, de um líder sindical na unidade da JBS em Forquilhinha. "Tirando na parte da manhã, a liderança do movimento na JBS, referente ao coronavírus, não tivemos qualquer outro incidente. Tivemos mais trabalho na parte da manhã, aquele caso da JBS e outros menores", reforçou. "À tarde percebemos uma grande calmaria", emendou.

Na opinião do coronel, a região assimilou bem os efeitos do decreto, em defesa da saúde pública. "Em nível de Amrec e Amesc, o acolhimento do decreto do governador foi praticamente 100%", apontou. "Foram problemas pontuais, até de entendimento da extensão do decreto e das atividades, da indústria e comércio", complementou.

O dia foi, também, de muitas denúncias via telefone 190. "São constantes. Hoteis, indústrias, estamos sempre verificando. Hoje teve uma verificação em um hotel da cidade, o movimento era dos clientes que já estavam lá. Tem que manter aquela atividade enquanto houver aquela clientela, e a partir daí não estava entrando nenhum", relatou. "Com muita conversa a gente tem tentado resolver", comentou o comandante.

Questionado sobre funcionamentos de indústrias, que são as denúncias mais frequentes, Cosme observou que "indústria com ponto de vendas na frente, o ponto de vendas fecha, a indústria entra na conformidade de continuar operando".

Tags: coronavírus