Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Cinco fatores que determinam a segurança em um condomínio

Coronel Cabral elenca uma série de sistemas importantes para a segurança dos condôminos
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC , 14/07/2020 - 13:16Atualizado em 14/07/2020 - 13:17

Alguns elementos de segurança são essenciais não somente para residências particulares como, também, para condomínios, onde mais pessoas estão expostas aos riscos de assaltos. Em seu comentário no programa Adelor Lessa desta terça-feira, 14, coronel Márcio Cabral elencou cinco fatores que determinam a segurança em um condomínio.

A primeira premissa, de acordo com o coronel, é um sistema de barreiras perimetrais que deixe o condomínio bem cercado, com muros que dificultem passagens e, também, outros dispositivos agregados a ele - como cerca elétrica ou sensor de barreiras. “O bloqueio com aquela cerca enrolada de arame já não é mais confiável hoje em dia”, disse Cabral.

Já o segundo fator diz respeito a um bom sistema de controle de acesso. Para as pessoas que entram a pé, devem utilizar tags, biometria ou até mesmo sistemas de QR Code que permitem o acesso através do celular. Já na garagem, o cuidado deve ser outro. “Dispositivos de sensores magnéticos, como os utilizados em pedágios sem parar, ou controles de garagem. Todo acesso veicular deve contar também com um botão de pânico no controle remoto ou celular, que deverá ser usado em situações emergenciais, como assalto a mão armada”, colocou.

A terceira importante medida para a segurança de um condomínio é a presença de um bom sistema de vídeo para monitoramento de espaços de uso coletivo, o que permite o acompanhamento de situações críticas. As imagens, inclusive, podem até mesmo ser repassadas em tempo real a qualquer órgão de segurança pública se desejado.

A quarta ação diz respeito a um bom sistema de alarmes. “Devem ser instalados nas áreas coletivas como garagens, saunas, cinemas, salões de festas e halls. Assim que seja detectada qualquer intrusão no condomínio, o sistema se soma ao bloqueio das barreiras perimetrais”, disse Cabral.

Já o quinto e último fator é a presença de um sistema de resposta tática. “Um sistema de atendimento veicular dado ao condomínio através de empresas privadas, tanto para rondas programadas quanto para atendimento de eventos críticos”, declarou o coronel.