Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

CCR é a concessionária da BR-101 Sul. Proposta foi de R$ 1,97

Leilão do trecho de 220 quilômetros foi realizado na manhã desta sexta em São Paulo
Denis Luciano
Por Denis Luciano São Paulo, SP, 21/02/2020 - 10:59Atualizado em 21/02/2020 - 18:59
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Foi conhecida na manhã desta sexta-feira, 21, a concessionária que vai assumir pelos próximos 30 anos o trecho sul da BR-101. Trata-se da CCR, que apresentou a melhor proposta no leilão realizado na Bolsa de Valores de São Paulo. A CCR vai implantar, ao longo deste ano, quatro praças de pedágio nos 220 quilômetros concedidos. As praças serão localizadas em Laguna, Tubarão, Araranguá e São João do Sul.

Pela proposta vencedora apresentada pela CCR o pedágio custará R$ 1,97 em cada uma das quatro praças. Entre as principais concorrentes no leilão, a EcoRodovias havia proposto cobrar R$ 2,51, sendo que o preço inicial para os pedágios, definido em edital, seria de R$ 5,19. A CCR assumiu, também, um investimento de R$ 7,4 bilhões.

Estima-se que a operação das praças de pedágio no trecho sul comece no fim deste ano, com as obras nos locais determinados, para erguer as praças e adequar a rodovia, já começando nas próximas semanas.

O investimento

O Ministério da Infraestrura previu, em edital, investimento de R$ 3,3 bilhões e custo operacional da rodovia de R$ 3,9 bilhões. A CCR terá o compromisso de construir 70 quilômetros de vias marginais, 98 quilômetros de faixas adicionais, 25 pontos de ônibus, 23 rotatórias e 18 passarelas, além de assistência de todo o trecho com socorro, câmeras e sensores de tráfego. A rodovia ganhará 171 câmeras nas pistas, sendo 64 nas passarelas, conectadas ao sistema da Polícia Rodoviária Federal (PRF). A CCR instalará, também, dez painéis para mensagens, com informações em tempo real para os usuários da rodovia. 

Os municípios cortados pelo trecho concessionado de 220,4 quilômetros são Paulo Lopes, Garopaba, Imbituba, Laguna, Pescaria Brava, Capivari de Baixo, Tubarão, Treze de Maio, Jaguaruna, Sangão, Içara, Criciúma, Maracajá, Araranguá, Sombrio, Santa Rosa do Sul e São João do Sul. O Governo Federal estima a geração de 4 mil empregos no trecho e o retorno de mais de R$ 645 milhões em impostos para as cidades citadas. A gestora deverá, ainda, disponibilizar seis bases de operação, sete viaturas para monitorar o tráfego, quatro ambulâncias, dois guinchos e três caminhões-guinchos.

Quem é a CCR

O Grupo CCR (sigla que deriva de Copmpanhia de Concessões Rodoviárias) tem 21 anos de mercado e administra 3.265 quilômetros de rodovias no país. Tem entre seus principais sócios os grupos Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa e Soares Penido. Admita rodovias importantes do Brasil como a Nova Dutra (entre São Paulo e Rio de Janeiro), Auto Ban e RodoAnel (em São Paulo), Via Rio (Rio de Janeiro) e a Freeway (Osório a Porto Alegre, Rio Grande do Sul). A empresa ganhou, em leilão, o direito também de administrar o aeroporto de Confins, em Belo Horizonte.