Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Bodas de Pérola do Gemellaggio de Urussanga com Longarone

Presidente da comissão que organiza festejos, Luiz Antonio Fabro escreve sobre a assinatura do pacto em 1992
Por Redação Urussanga, SC, 15/04/2022 - 14:45 Atualizado em 15/04/2022 - 15:24
Divulgação
Divulgação

Quer receber notícias como esta em seu Whatsapp? Clique aqui e entre para nosso grupo

Luiz Antonio Fabro, presidente da Comissão Organizadora para Comemoração do 30º Aniversario do Gemellaggio. Como Vereador e 1º Secretário da Mesa Diretora da Câmara Municipal foi o Tesoureiro da Comissão Organizadora em Urussanga e compôs a Delegação Oficial para assinatura em Longarone. 

Em 1992, Urussanga teve a oportunidade de ser agraciada com um elo que a uniria a Longarone, duas cidades tão distantes e ao mesmo tempo tão próximas, o Gemellaggio. O que podemos constatar desde o firmamento desse acordo até hoje é uma desinformação do cidadão urussanguense sobre o assunto, quais os benefícios que o Gemellaggio traz para Urussanga, e, de igual forma, para Longarone.

O significado do Gemellaggio, segundo as fontes, é o “acordo selado entre cidades de nações diferentes que facilita o acesso a informações, a troca de experiências, a elaboração de projetos e a cooperação econômica e cultural”. 

A intenção dos urussanguenses naquele momento, com esse acordo, era encontrar as raízes dos antepassados. Uma busca pelas origens. Laços estabelecidos e emoções à parte, já se passaram 30 anos e é hora de se pensar como esse acordo pode ser melhorado. 

Nestes trinta anos, várias foram às viagens feitas pelas comitivas oficiais de Urussanga e Longarone. Por aqui alguns acham que o pacto valeu a pena, outros acham que é desperdício de dinheiro público, que só proporciona pranzi e cena (almoços e jantas) aos diretamente envolvidos. Depende da ótica com que cada um avalia, mas quando falamos de dinheiro público, um melhor aprofundamento em relação à questão é necessário.

Tivemos avanços em algumas atividades, como o estímulo para os  urussanguenses buscarem a dupla cidadania (apesar de custar caro e demorar muito) e conseguirem adentrar na exigente Europa sem maiores problemas, encontrando lá sua fonte de renda nas gelaterias; intercâmbio para estudantes aprofundarem seus conhecimentos em diversas áreas; aprimoramento e fortalecimento dos laços culturais dentre outras, todavia, a distribuição destas conquistas gera dúvidas quanto aos critérios adotados, pois o cidadão-comum de Urussanga não conhece os trâmites para se utilizar dessas oportunidades que o Gemellaggio proporciona. 

Fica então uma inquietação: Como poderemos “explorar” mais esse acordo para ampliar os conhecimentos na área do turismo observando-se que o povo italiano conhece muito bem esta atividade? Como direcionar as atenções para os benefícios que a indústria, o comércio e outros setores podem obter com o acordo que já completa 30 anos? Enfim, o que Longarone pode oferecer? E nós, o que podemos oferecer em contrapartida?

Ainda podemos avançar muito, e o Poder Executivo Municipal, através do seu Prefeito, a Câmara Municipal, através de seus Vereadores, as Associações Culturais, a Associação Industrial – ACIU e a Câmara de Dirigentes Lojistas - CDL devem estabelecer o que essa coalizão poderá nos trazer nos próximos anos. A melhor forma para encaminharmos este debate é provocando os entes citados acima para tomar a frente dessa discussão, para que os próximos anos tragam aos envolvidos, urussanguenses e longaronenses, muito mais retornos e realizações.

Precisamos unir esforços para corrigir os rumos que queremos dar para este pacto de amizade. Ainda dá tempo! 

Copyright © 2021.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito