Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

As cidades pessoas do Brasil

Archimedes conta histórias com as cidades brasileiras que levam nomes de pessoas
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC, 28/02/2020 - 10:53Atualizado em 28/02/2020 - 10:53

Em uma noite de sono perdida, Archimedes Naspolini Filho decidiu fazer uma viagem imaginária por municípios que possuem o seu nome em homenagem à pessoas - que por aqui já passaram. 

"Viajando pelo Brasil dos homens, Afonso Cláudio do Espírito Santo, Afonso Cunha do Maranhão, e Afonso Bezerra do Rio Grande do Norte, fizeram uma viagem.  Ao longo do trajeto, entre as cidades de Benjamin Constant, no Amazonas, e Fontoura Xavier, no Rio Grande do Sul, foram fazendo amizades e conversando com pessoas. 

Encontraram Paulo Jacinto, de Alagoas, Paula Cândido, de Minas Gerais, e o Pedro Régis, da Paraíba, que viajavam de carona com o doutor Pedrinho, de Santa Catarina. Riram muito quando desceram e entraram no armazém de Silva Jardim, do Rio de Janeiro, que comia salame com o João Alfredo, de Pernambuco.

Paulo Lópes, de Santa Catarina, estava fumando na janela, e foi criticado por Gracho Cardoso, do Sergipe, e João Ramalho, de São Paulo. A Amélia Rodrigues, da Bahia, entrou esbaforida e perguntou pelo sanitário, que lhe foi mostrado pelo Piquet Carneiro, do Ceará, que numa mesinha ali do lado, jogava conversa fora com Wenceslau Braz, do Paraná, Ferreira Gomes do Amapá, e com a Iracema, de Roraima.

Depois de lancharem, iam saindo sem pagar, quando foram chamados pelo General Carneiro, de Mato Grosso, e ameaçados pelo Anastácio, do Mato Grosso do Sul, Bernardo Sayão, do Tocantins, que acabara de chegar, lamentou presenciar aquele ato, mas Sebastião Leal, do Piauí, afirmou que isso era normal naquele pedaço do Brasil. 

Era época de eleição municipal, e nas paredes estavam estampados os santinhos dos candidatos à vereador, Mâncio Lima, do Acre, Augusto Corrêa, do Pará, Costa Marques, de Roraima, e Leopoldo de Bulhões, de Goiás.

Ao lado, numa sala de aula, a professora Iraceminha, de Geografia, fazia a chamada de seus alunos. Coincidentemente, todos de Santa Catarina, à saber: Abdon Batista, Abelardo Luz, Alfredo Wagner, Anchieta, Antônio Carlos, Benedito Novo, Calmon, Celso Ramos, Correia Pinto, Dionísio Cerqueira, Frei Rogério, Irani, Jacinto Machado, José Boiteux, Laurentino, Lauro Müller, Lebon Régis, Leoberto Leal, Luiz Alves, Matos Costa, Otacílio Costa, Passos Maia, Castelo Branco, Getúlio, Lereu, Salete, uma porção de santos da igreja, Schroeder, Vidal Ramos e Vitor Meireles. 

A viagem terminou ali, concluindo-se que se aprendeu uma boa lição de Geografia do Brasil. E não é bonito esse nosso país?", concluiu Archimedes