Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Viés de Sobrevivência e os riscos de se basear neles

Por exemplo, na Segunda Guerra Mundial, forças aliadas estudaram aviões que voltaram mesmo sendo baleados para decidir onde reforçar suas estruturas com a colocação de armaduras. Ao negligenciar onde teriam sido os buracos de bala em aviões que não voltaram, eles perderam oportunidades de entender que áreas são, de fato, as mais vulneráveis nos aviões.
Claiton Pacheco Galdino
Por Claiton Pacheco Galdino 20/08/2019 - 09:00

 

O viés de sobrevivência é o ato de se concentrar em pessoas, empresas ou estratégias de sucesso e ignorar aqueles que falharam. 

Por exemplo, na Segunda Guerra Mundial, forças aliadas estudaram aviões que voltaram mesmo sendo baleados para decidir onde reforçar suas estruturas com a colocação de armaduras. 

Ao negligenciar onde teriam sido os buracos de bala em aviões perdidos, eles perderam oportunidades de entender que áreas são de fato as mais vulneráveis nos aviões.

Confira este TED Talk para saber mais sobre o viés de sobrevivência:

Então, como podemos evitar o viés de sobrevivência nos negócios?

Aqui estão cinco exemplos comuns de viés de sobrevivência  e sugestões sobre como se proteger contra cada um deles.

Exemplos de viés de sobrevivência:


1. “Os aviões voltando para casa da batalha têm buracos de bala em todos os lugares, exceto o motor e o cockpit, então devemos colocar armaduras em todos os lugares, menos no motor e na cabine do piloto. "


Embora, esse exemplo não tenha uma correlação direta com os negócios, começo por aqui porque este é considerado o berço da ideia de viés de sobrevivência.

Na Segunda Guerra Mundial, as forças aliadas queriam adicionar armaduras de proteção a seus aviões de guerra. Como os recursos eram escassos, eles não podiam adicionar armadura em todo o avião. Assim, os especialistas precisavam decidir quais áreas eram mais vulneráveis ​​a ataques e que se beneficiariam mais com proteção adicional.

Para decidir onde alocar a armadura, eles estudaram aviões que haviam sido atingidos, mas conseguiram chegar em casa com sucesso. Eles descobriram que esses aviões não tinham feito buracos de balas no motor ou no cockpit, de modo que a óbvia linha de pensamento os levou a colocar armaduras em todos os lugares, exceto no cockpit e no motor.

Felizmente, o matemático Abraham Wald apontou a falha em seu plano: eles estavam apenas analisando os aviões que tinham chegado em casa com segurança. A localização dos buracos de balas não foi fatal para os aviões e, portanto, a aeronave não foi derrubada. Ele recomendou que os militares colocassem armaduras nas áreas onde a aeronave sobrevivente não possuia buracos de bala, que eram no motor e cockpit.

Ao analisar os aviões que falharam, Wald deu início à ideia do viés da sobrevivência - e provavelmente salvou muitas vidas.

2. “ Steve Jobs, Bill Gates e Mark Zuckerberg abandonaram a faculdade e se tornaram milionários, então eu também vou conseguir. ”


Uma pesquisa rápida no Google sobre "Fundadores de sucesso que abandonaram a faculdade" vai mostrar alguns dos maiores nomes do mundo. Jobs, Gates e Zuckerberg são exemplos de empreendedores que tiveram uma ideia, deram um salto e, milagrosamente, tiveram sucesso.

Mas ao igualarmos o sucesso deles ao trabalho duro, ignoramos um fato muito importante: para cada abandono bem-sucedido da faculdade, há centenas, senão milhares, que não tiveram a mesma sorte.

Os fundadores que colocamos em pedestais trabalharam muito, mas também houve muitos eventos circunstanciais que abriram caminho para o sucesso. Na verdade, a pesquisa mostra que a maioria dos executivos mais bem-sucedidos dos Estados Unidos se formou na faculdade - 94%, para ser exato.

Assumir que um diploma universitário não é necessário para ser bem sucedido é um exemplo de viés de sobrevivência. Embora possa não ser certo para todos, é importante analisar todos os fatos disponíveis antes de tomar uma decisão.

3. “ Se eu ler as biografias dos empresários mais bem sucedidos do mundo, vou entender como ser bem sucedido. "
“ Os hábitos matutinos das pessoas bem-sucedidas ” , “ As seis características que todos os bilionários têm em comum ” , “ A única coisa que Jeff Bezos diz que o tornou bem-sucedido.

Quantos desses artigos você clicou? Eu também cliquei nestes e em muitos outros.

Adoramos a ideia de que, ao aprendermos sobre nossos ídolos, poderemos imitar seu sucesso. O problema é que esses artigos - e até mesmo biografias profundas - não apresentam todos os dados necessários para que possamos espelhar seu sucesso. Ignoramos as variáveis ​​que não são visíveis para o leitor médio e tomamos decisões com dados incompletos.

Embora seja difícil encontrar livros sobre as centenas de pessoas que provavelmente tentaram e não conseguiram criar a Amazon antes de Bezos, é importante lembrar que tentar recriar o sucesso do sucesso não se traduzirá necessariamente em resultados semelhantes. Às vezes a pressa não é suficiente e as circunstâncias assumem o controle.

4. “ Se eu modelar minha empresa depois de Netflix, terei sucesso. "

Você provavelmente já viu frases ciomo essa usadas em referência a novas startups comentadas. 

As probabilidades não estão a seu favor e modelar sua empresa depois de uma que foi um sucesso não garante que você alcance o mesmo nível de sucesso.

Esta versão do viés de sobrevivência leva muitos fundadores a tentar encaixar seus negócios em um modelo que não é certo para o mercado atual, seu público ou seu estágio de crescimento.

Ao iniciar um novo negócio, inspire-se nas empresas que você admira, mas avalie o mercado para entender como você deve evoluir para o bem-estar de sua ideia.

5. "Eu tenho um baixo numero de reclamações" ou "O NPS ou satisfação dos meus clientes é alta"

Basear tomada de decisões em numeros de reclamações é extremanente perigoso hoje em dia. As pessoas não reclamam tanto quanto imaginamos, elas geralmente trocam de fornecedor. 

Portanto, achar que sua empresa é um sucesso porque as pessoas não reclamam pode ser um erro grave.

Da mesma forma tomar decisões baseadas somente em pesquisas de pós vendas por ser perigoso, mas pois os maiores aprendizados estão nos clientes que que não compraram.

E esses clientes nunca, ou quase nunca, são pesquisados.

 

Agora que você entende o que é um viés de sobrevivência busque identificar se está ou não caindo numa dessas armadilhas.

Até a próxima.

 

 

4oito

Deixe seu comentário