Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

6 lições que as empresas podem aprender com as startups

Existem algumas lições importantes que empresas mais tradicionais podem aprender com startups e suas formas de trabalhar.
Claiton Pacheco Galdino
Por Claiton Pacheco Galdino 28/05/2019 - 09:00

 

Melhorar a eficiência é uma das principais razões pelas quais as empresas devem buscar por parcerias com startups. Como a capacidade de resolver problemas de maneira escalável é uma das chaves da inovação, a colaboração é uma ótima maneira de encontrar novas perspectivas para os problemas existentes e potenciais.

No entanto, a criação de inovação não é o único atributo que as startups podem ensinar a grandes players.

Existem algumas lições importantes que empresas mais tradicionais podem aprender com startups e suas formas de trabalhar.

1. Cultura da empresa

Alguns dos obstáculos mais comuns no caminho do crescimento e da inovação estão relacionados à cultura da empresa.  A inovação em grandes empresas exige mudanças constantes e pode ser difícil de implementar se a cultura existente não for favorável à criatividade e a novas ideias.

As startups geralmente abordam a cultura da empresa de um ângulo diferente.  Eles criam uma cultura que vai se moldando enquanto a empresa cresce, contrata pessoas que compartilham os mesmos valores e não se limitam a uma estrutura rígida.

 

2. Aprendizagem Contínua

O segredo da cultura criativa e inovadora está nos métodos de trabalho baseados na colaboração, que enfatizam a proatividade e o aprendizado contínuo.  Nas startups, uma cultura de aprendizado contínuo é forte, porque as startups foram criadas em cima disso e precisam disso para sobreviver e crescer.

 

3. Mentalidade de crescimento

Embora esse ponto esteja intimamente relacionado à cultura e ao aprendizado contínuo, ter uma mentalidade de crescimento é um modelo mental muito comum nas equipes das startups.

Ter uma mentalidade de crescimento é um impulsionador da criatividade e um valor importante em uma startup.  As startups estão focadas em expandir os negócios rapidamente e confiam fortemente nas capacidades da equipe.  A mentalidade de crescimento desempenha um grande papel quando se trata de descobrir maneiras sustentáveis ​​de trabalhar e crescer.

Especialmente no começo, as startups precisam investir muito esforço no crescimento orgânico.  Um funcionário pode ter várias funções de uma só vez.  Portanto, as pessoas que trabalham em startups se beneficiam do desenvolvimento de conjuntos de habilidades multidimensionais, o que requer autoconfiança e trabalho árduo.

 

4. Experimentação rápida

Equipes que operam com muita incerteza e recursos geralmente escassos se concentram em experimentações rápidas. 

Como as apostas são altas, o risco de não experimentar é maior do que o risco de fracassar.

A experimentação nem sempre é sobre grandes ideias disruptivas, mas sim sobre como fazer melhorias e testar premissas rapidamente.

Além da capacidade de aprender, reagir a mudanças é o propósito da experimentação pois os cenários mudam muito rapidamente.

“Nosso sucesso na Amazon é uma função de quantas experiências fazemos por ano, por mês, por semana, por dia ...” - Jeff Bezos

 

5. Compartilhamento de informações e colaboração

Startups estão em constante busca de novas soluções que podem ajudá-las a se tornar melhores e mais rápidas. 

Os funcionários da Startup estão constantemente colaborando e compartilhando seus conhecimentos com os membros da equipe, aproveitando a tecnologia mais recente.

Como a tecnologia evolui e cresce exponencialmente, o nível de habilidade, conhecimento e produtividade dos funcionários também deve aumentar.

Frequentemente, os funcionários são os que apresentam as melhores ideias porque vêem as coisas de diferentes perspectivas.  Compartilhar novas ideias e colaborar sem barreiras departamentais é altamente recomendado, pois as pessoas gostam de ser ouvidas e sabem que estão fazendo a diferença.

 

6. Papel das redes e comunidades

Apesar das novas ferramentas e técnicas, você ainda precisa dos melhores talentos para fazer as coisas acontecerem.  No entanto, encontrar o tipo certo de talento é difícil e algo com o qual tanto corporações quanto startups lutam.

Portanto, a colaboração com redes e comunidades mais amplas para acessar talentos que não existem internamente é necessária e, para as startups, a construção de relacionamentos fortes é, muitas vezes, a única maneira de obter êxito.

Envolver-se com diferentes tipos de comunidades pode trazer outras oportunidades de negócios e resultados excelentes.  Em vez de ser apenas ativo nas comunidades mais próximas, ampliar o escopo pode abrir novas portas valiosas e desbloquear alguns dos problemas que uma empresa não consegue resolver sozinha.

 

Conclusão

Como as grandes empresas e startups trabalham com propósitos e metas diferentes, elas só podem ser comparadas até certo ponto.  Apesar das diferenças, muitas grandes empresas decidem colaborar com startups para criar soluções de negócios mais inovadoras.

No entanto, as lições mais importantes que as empresas podem aprender com as startups estão relacionadas à cultura da empresa e às formas de trabalho.  Por causa dos recursos limitados, as startups estão investindo em crescimento orgânico, cultivando uma mentalidade de crescimento e concentrando-se em fazer experimentos rápidos para ver o que funciona e o que não funciona.

Como a criação de novos recursos não é necessariamente o foco principal das empresas, as formas de suporte de trabalho nem sempre são tão analisadas quanto nas startups.

As corporações geralmente se concentram na lucratividade e na aversão ao risco, que podem ser aprendidas com as startups, especialmente no desenvolvimento de novos produtos e serviços.

No entanto, todas as empresas provavelmente se beneficiarão de equipes autossuficientes e voltadas para o crescimento, além de um fluxo irrestrito de informações, e é por isso que a colaboração entre startups e corporações é definitivamente algo que vale a pena buscar.

 

4oito

Deixe seu comentário