Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Valor arrecadado no pré-sal não tirará municípios do sufoco

Avaliação da Amrec é de que verba aquém do projetado decepcionou; resultado ficou em 47% da previsão inicial
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Criciúma - SC, 06/11/2019 - 18:23Atualizado em 06/11/2019 - 18:24
Petrobras comprou dois lotes; outros dois não tiveram interessados / Foto: Divulgação
Petrobras comprou dois lotes; outros dois não tiveram interessados / Foto: Divulgação

Aquela previsão inicial de que a Região Carbonífera receberia R$ 23 ,6 milhões e a Região do Extremo Sul Catarinense R$ 16,4 milhões na primeira rodada do leilão da venda do pré-sal não se confirmou. Dois dos quatro lotes colocados à venda não tiveram propostas, fazendo com que o valor arrecadado pela União seja 47% abaixo da estimativa inicial. Assim, para a Amrec, deve ser destinado pouco mais de R$ 10 milhões. 

A expectativa da União era arrecadar R$ 106 bilhões nessa rodada de vendas; o valor, no entanto, ficou nos R$ 69,96 bilhões. Para o governo estadual de Santa Catarina, a verba repassada será de aproximadamente R$ 198 milhões.

O repasse aos estados será de 15% da arrecadação total, mesmo valor aos municípios. Para as administrações municipais da região, a expectativa para Criciúma, por exemplo, era de R$ 6,9 milhões, não vai chegar nem nos R$ 4 milhões.

Na avaliação do coordenador econômico da Amrec, Ailson Piva, esses novos prováveis valores contrariam aquele prognóstico inicial de que a verba do pré-sal aliviaria os cofres municipais. “Não vai tirar o sufoco que os prefeitos estão tendo para fechar os anos. Todo mundo tava contando com os mais de R$ 22 milhões que seriam uma parcela extra dos repasses do ICMS. Isso frustrou todo mundo", afirmou Piva. "A procura foi bem abaixo, os lotes não tiveram nem empresas interessadas o que diminuiu bastante. Os lotes melhores não tiveram o ágio, o que diminuiu a expectativa", finalizou.