Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Uma grata surpresa pra Mazola Júnior

Em sua estreia, meia Gabriel surpreende torcida e o técnico e pode ser um “reforço” para o restante da competição
Por Lucas Renan Domingos Criciúma, SC, 11/10/2018 - 08:23
Oriundo do futsal, jogador chamou a atenção pelos dribles curtos e cortes rápidos/Foto: Guilherme Hahn/Especial
Oriundo do futsal, jogador chamou a atenção pelos dribles curtos e cortes rápidos/Foto: Guilherme Hahn/Especial

Se foi difícil para o Criciúma investir em novas contratações ao longo da Série B, um problema tem atrapalhado ainda mais o trabalho de Mazola Júnior, os desfalques. “Nós estamos perdendo muitos jogadores vários jogos seguidos e acaba influenciando no nosso desempenho”, lembrou o técnico. Somente na última rodada, contra o Brasil de Pelotas, foram sete. Quatro titulares e três reservas.

Com tantas baixas, o técnico teve que fazer apostas para conseguir montar o time no último jogo. Somente contra o Xavante, dois jogadores fizeram suas estreias, os meias Marcinho Júnior e Gabriel. O último como titular, que, antes da partida, Mazola deveria revezar com Marcinho. Porém, Gabriel acabou tendo uma atuação que chamou a atenção. E ficou os 90 minutos em campo. Para a entrada de Marcinho Júnior, saiu Luiz Fernando.

Se o clube não trouxe grandes reforços ao longo da Série B, a chegada desacreditada de Gabriel se tornou uma esperança para o restante da competição depois do confronto contra o Brasil de Pelotas. “Foi uma grata surpresa. Ele chegou aqui em condições difíceis, se recuperando de uma lesão. Foi uma aposta do clube e do próprio jogador. Por todas essas situações, a partida que ele fez foi espetacular. Conquistou, pelo menos, um espaço no grupo”, analisou o técnico. “Na minha avaliação individual acho que fui bem. Só triste pela derrota”, apontou o jogador.

Do futsal para o campo

Na primeira jogada perigosa do Criciúma contra o Brasil de Pelotas, com dois toques na bola, Gabriel deixou o marcador na poeira e arriscou o chute, que parou na rede pelo lado de fora.  Ao longo da partida foram mais dribles curtos e cortes rápidos, o que despertou a atenção da torcida no jogador. É que o meia tem em sua formação o futsal. Ele jogava nas quadras até o fim do ano passado. No início deste ano foi para os gramados, jogando o campeonato paranaense pelo Rio Branco. Foi para o CSA, se lesionou e veio para o Criciúma.

“Só tenho a agradecer ao futsal. Me acrescentou muito e aos poucos vou me adaptando ao campo”, disse Gabriel.