Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Um passo de cada vez

Marlon reconhece necessidade de vitória, mas pede calma com discurso de ganhar os três próximos jogos
Por Lucas Renan Domingos Criciúma, SC, 26/02/2019 - 07:40
Foto: Daniel Búrigo/A Tribuna
Foto: Daniel Búrigo/A Tribuna

O técnico Doriva, logo após o empate contra o Figueirense, definiu quais são os próximos desafios do Criciúma no Campeonato Catarinense. O treinador frisou que, se o time quiser ficar entre os quatro melhores da primeira fase e avançar para as semifinais do estadual, precisa garantir nove pontos nos próximos três jogos - contra Hercílio Luz, Marcílio Dias e Chapecoense. Para isso, precisa vencer todas as, que serão disputados no Estádio Heriberto Hülse.

O elenco do Criciúma sabe da necessidade de voltar a vencer o quanto antes no estadual, já que está sete pontos atrás do Marcílio Dias, o quarto colocado. Mas a empolgação do treinador acabou sendo freada pelo lateral-esquerdo Marlon. O jogador reconhece que o Tigre precisa retomar o caminho das vitórias, porém com cautela.

“Não adianta nós pensar nos três jogos em casa. Temos que focar no jogo do Hercílio. É o mais importante nesta quarta-feira. Não adianta está pensando nos outros se ainda nem enfrentamos o Hercílio. É um jogo muito difícil, mas vamos focar para chegar na quarta-feira, fazer uma grande partida e conseguir um resultado positivo”, afirmou.

Falta gols e embalar

Dos nove jogos disputados até o momento no Catarinense, o Criciúma perdeu cinco partidas, empatou uma e venceu três. " A dificuldade a gente já sabia que iriamos encontrar no campeonato, pelas equipes que tem”, ressaltou. Na avaliação de Marlon, o que tem atrapalhado o Tigre de ter uma sequência, o desejo de Doriva, é a falta de gol e o calendário cheio.

“Falta a gente encontrar o caminho dos gols. Sabemos que estamos devendo. Precisamos colocar essa bola para dentro”, apontou. “Vocês estão vendo a quantidade de jogos que estamos tendo. Se parar para pensar, não tivemos nenhuma semana cheia (teve uma) desde quando começou o campeonato. Temos que tentar se sobressair e procurar representar da melhor maneira possível a camisa do Criciúma”, completou.