Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Três estabelecimentos fechados por descumprirem o decreto em Criciúma

Ocorrências foram registradas no final de semana. 30 bares e restaurantes foram fiscalizados
Por Guilherme Nuernberg Criciúma - SC, 29/06/2020 - 08:34Atualizado em 29/06/2020 - 08:35

No primeiro final de semana de vigência do Decreto Municipal 815/2020m que determina novas medidas para combate a disseminação da Covid-19, três estabelecimentos foram fechados por 15 dias em Criciúma.

Segundo José Paulo Goulart, gerente administrativo da Vigilância em Saúde de Criciúma, 30 bares e restaurantes foram fiscalizados entre sexta-feira e domingo. "Infelizmente, os estabelecimentos que foram fechados já tinham sido notificados anteriormente. Distanciamento entre mesas e cadeiras, que era para ser de 1,5 metro, estava com 90cm", ressaltou. O gerente admnistrativo lembrou ainda que todos estavam avisados que iria ser realizada a fiscalização, principalmente em quem já havia sido notificado. 

O número de denúncias foi pequeno no final de semana. Um número de WhatsApp será disponibilizado durante essa semana para a realização de denúncias. Um comitê entre Polícia Civil, Polícia Militar e Vigilância Sanitária será responsável pela fiscalização.

Confira também:

Entenda as novas regras para combate à pandemia em Criciúma

Sobre o rigor do decreto, o responsável pela Vigilância em Saúde comentou que o documento é claro e foi esclarecido na reunião realizada com os setores econômicos na última semana. "Quem reclamou foi só quem foi punido. Os demais agradeceram a apresentação, a educação dos fiscais", concluiu. 

Idosos

O comandante da 6º Região da Polícia Militar, coronel Evandro Fraga, esclareceu que os idosos não serão recolhidos ou detidos. Haverá uma recomendação para que eles retornem para as suas residências. "Não iremos adotar nenhuma medida arbitrária, sobretudo em referência a pessoa. Nosso inimigo voraz é o vírus e precisamos treinar as pessoas para serem parceiras da Polícia Militar", comentou.

Segundo ele, os idosos na maioria das vezes moram perto do local onde são abordados e estão na rua por uma necessidade. Mas ele lembra que no início da pandemia, a conscientização das pessoas de mais idade foi uma batalha árdua. Em março, o coronel ainda estava atuando em Balneário Camboriú. "É difícil controlar, mas é preciso que os idosos entendam a necessidade", concluiu.

Tags: coronavírus