Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
FIQUE POR DENTRO DE TODAS AS INFORMAÇÕES DAS ELEIÇÕES 2024!
Plenário

TEV de Jorginho é mais transparente do que o Pix, diz Soratto (ÁUDIO)

Secretário da Casa Civil falou sobre o projeto que institui a Transferência Especial Voluntária (TEV)

Por Stefanie Machado Criciúma, SC, 10/08/2023 - 09:29 Atualizado em 10/08/2023 - 10:21
Foto: Rodolfo Espíndola/Agência AL
Foto: Rodolfo Espíndola/Agência AL

Quer receber notícias como esta em seu Whatsapp? Clique aqui e entre para nosso grupo

Para o secretário-chefe da Casa Civil, Estener Soratto, a principal diferença entre a Transferência Especial Voluntária (TEV) e o "Pix do Moisés" é a transparência. Ambos têm como objetivo agilizar os repasses do Estado aos municípios. O projeto de lei que institui o TEV foi aprovado nessa quarta-feira (9), pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). O assunto foi destaque no Plenário.

Ouça na íntegra:

"O TEV, obrigatoriamente, por conta dessa regulamentação, precisa estar no Portal da Transparência, o Sigef, que é o Sistema de Gestão Fiscal de Santa Catarina. Pode ser acessado pelos órgãos de controle e também por qualquer cidadão que desejar saber quanto que o seu município já recebeu do Estado, quando falta receber e em qual obra", explicou Soratto. 

Além disso, o secretário cita outra diferença: a prestação de contas. "No Pix, a prestação de contas ficava no município e seria solicitada quando algum órgão de controle ou o próprio Estado precisasse. Agora, o município obrigatoriamente tem que enviar ao Estado. Essa prestação de contas será aprovada ou não. Caso seja reprovado, o município fica negativado e impedido de receber outras transferências", acrescentou. 

Alívio para os municípios

O movimento dos deputados estaduais foi importante para a criação do TEV. Uma audiência pública sobre o assunto foi realizada em maio. Agora, a aprovação do projeto deve trazer mais tranquilidade aos prefeitos, uma vez que o objetivo é justamente agilizar os repasses de recursos para as obras que estão paralisadas no estado. 

Na visão do deputado estadual e presidente da Comissão de Assuntos Municipais da Alesc, Tiago Zilli (MDB), a Assembleia foi protagonista para o projeto sair do papel. “A cobrança era grande, mas justa, dos prefeitos, da população e da imprensa. Precisávamos resolver essa situação. Ontem, foi colocado um ponto final e aprovado por unanimidade”, salientou. 

Copyright © 2022.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito