Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Terreno da Criciúma Construções não é arrematado

Lance inicial da área de mais de 22 mil metros quadrados era de R$ 18,6 milhões
Por Bruna Borges Criciúma, 16/04/2019 - 07:01
Arquivo (Daniel Búrigo / A Tribuna)
Arquivo (Daniel Búrigo / A Tribuna)

O leilão do terreno da Criciúma Construções, localizado em frente ao 9º Batalhão de Polícia Militar de Criciúma, encerrou sem lances. O lote, com mais de 22 mil metros quadrados, está localizado entre a Via Rápida, a Rua Miguel Patrício de Souza e a Avenida Centenário, no Bairro Próspera.

O imóvel foi avaliado em R$ 26.565.396,00 milhões, mas existe um deságio legal de 30% a ser aplicado e, por esse motivo, o terreno foi colocado em leilão com o lance inicial de R$ 18,6 milhões. Desse valor, 30% seriam pagos como sinal e o restante liquidado em 24 parcelas.

“Não teve comprador. Eu imagino que também pelas condições de pagamento e por ser um terreno de um valor muito alto. São poucas as pessoas que possuem essa quantia para efetuar a compra”, afirma o leiloeiro oficial, Daniel Elias Garcia. 

Ainda assim, o responsável pelo certame está confiante de que o negócio será fechado em outra oportunidade. “A gente vai vender, é só uma questão de tempo. O terreno está muito bem localizado, é um imóvel diferenciado, nós sabemos que tem vários interessados”, declara Garcia. 

Próximas definições

Ainda em recuperação judicial, a Cizeski Incorporadora, proprietária de 50% do terreno, é quem decide qual será o encaminhamento dado ao processo. Essa é uma decisão que deve ser tomada ainda hoje. “Nós temos uma reunião amanhã (hoje) e vamos conversar sobre o que será feito”, relata o administrador judicial da Criciúma Construções, Zanoni Elias.

Dívidas trabalhistas

A pretensão dos administradores é de que parte do recurso adquirido com a venda do terreno seja utilizada para o pagamento de dívidas trabalhistas da Criciúma Construções. A projeção é de que ainda haja uma sobra e que esse dinheiro ainda liquide outras dívidas da empresa, como as de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).