Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Seis títulos e apenas duas derrotas

Jadina Batista encerra ciclo na presidência do Metropolitano deixando o clube com uma temporada invejável
Por Lucas Renan Domingos Criciúma, SC, 15/12/2018 - 09:00
Conquista da Campeonato Sul Brasileiro era o único que faltava na sala de troféus do time/Foto: Divulgação
Conquista da Campeonato Sul Brasileiro era o único que faltava na sala de troféus do time/Foto: Divulgação

O Metropolitano fechou o ano de 2018, com uma temporada surpreendente. Dos quatro títulos disputados pela equipe de futebol amador da cidade de Nova Veneza neste ano, o time conquistou a taça em todas as oportunidades. Agora, na sala de troféus do Estádio Darci Marini, estão os canecos da Copa Sul dos Campeões, do Campeonato Catarinense de Futebol Amador, do Campeonato Sul Brasileiro de Futebol Amador – o único título que faltava ao Metrô - e do Campeonato Regional da Larm, todos levantados na atual temporada.

As conquistas possuem as digitais de uma mulher. A empresária e ainda presidente do clube Jadina Batista, a Jade, assumiu o clube no início de 2017 e deixará o posto máximo da diretoria do time ao fim do mês de dezembro. “Acho que já cumpri a minha missão. Quando cheguei no Metropolitano, tinha uma meta de fazer um bom trabalho e pelo retorno que tenho recebido, creio que tenha alcançado o objetivo”, disse.

A trajetória do Metrô nos últimos dois anos, tempo em que Jade esteve à frente do clube confirmam a excelência da gestão da empresária. Ao todo foram seis títulos. Além dos quatro deste ano, em 2017, o time de Nova Veneza ainda conquistou mais dois campeonatos, o da Copa Sul dos Campeões e o do Campeonato Catarinense de Futebol Amador.

Para coroar ainda mais o bom momento do time que veste as cores vermelho em branco. Na temporada 2017 e no ano de 2018, o Metropolitano possui a incrível marca de ter perdido apenas dois jogos em todos disputados. “Nosso time se tornou muito forte, isso faz parte de todo um planejamento. Tinhamos caminhos traçados e ousados. Um deles era conquistar todos os campeonatos em 2018. Acabou dando certo”, destacou Jade.

Continua no apoio

Apesar de ser assediada para continuar como a presidente do clube, a ideia de permanecer no cargo já não faz mais parte dos planos da ainda presidente do Metrô. “Vieram falar comigo para continuar”, confessou. “Eu tenho uma visão diferente. Acho que o Metropolitano precisa de uma pessoa com novas propostas, isso faze o clube continuar ativo e com bons planejamentos”, comentou.

Proprietária de uma empresa de confecções, uma das patrocinadoras do time, ela afirma que, a partir de agora sua participação no Metropolitano será apenas como uma apoiadora. “Vou continuar acompanhando o time. Estarei como patrocinadora e iriei auxiliar sempre no que for possível. Mas acho que agora é hora de uma nova pessoa assumir o meu lugar”, frisou.

Apesar de estar de saída, Jade acredita que tenha deixado um bom legado. “Estou muito satisfeita com esses dois anos. Se não atingimos 100% do esperado, foi pelo menos 99%”, afirmou.