Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

SC-290: Prefeito de Praia Grande desabafa contra o Estado

Para Henrique Maciel, SC-290 ainda não está pavimentada por incompetência do governo estadual
Denis Luciano
Por Denis Luciano Praia Grande, SC, 15/10/2020 - 19:48
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

"É uma briga antiga. Tem político aposentado e ainda não solucionamos". Assim, o prefeito de Praia Grande, Henrique Maciel, definiu, em entrevista à Rádio Som Maior no fim da tarde desta quinta-feira, 15, a precária situação da SC-290, em seu trecho de pouco mais de dez quilômetros de chão batido entre a cidade e a divisa com o Rio Grande do Sul. "É uma rodovia não tão cara, de baixo custo, o custo dessa obra, mas por uma questão até de ineficiência e incompetência do Estado temos essa obra paralisada", sublinhou. "Isso nos prejudica muito, no desenvolvimento turístico, poderíamos estar gerando milhares de empregos aqui, e em virtude de dez quilômetros de estrada estamos vivendo nessas condições, estamos nos adaptando a essa situação. É uma luta diária", apontou.

O assunto veio à tona com a abertura do edital que licita os parques nacionais da divisa entre os dois estados pelo Ministério do Meio Ambiente. "Estamos atraindo a atenção e o carinho do Governo Federal. Imagina o que será com esses parques concessionados, sairemos de 200 mil visitantes ao ano para mais de 1 milhão de visitantes por ano. A Serra do Faxinal é um dos principais acessos aos parques, pela BR-101, pelo litoral catarinense. Uma serra que tem uma visibilidade que proporciona um visual do litoral como nenhuma outra serra", observou o prefeito. "Sem medo de errar, a Serra do Faxinal tem a melhor vista do litoral catarinense, passando pela Rota do Sol, pela BR-285, pela Serra do Rio do Rastro, do Corvo Branco, nenhuma serra tem a visibilidade que a Serra do Faxinal tem, além de ser uma serra simples. O que falta é competência do Governo do Estado", elogiou.

Confira também:

Das pererecas à perda dos recursos, a novela da Serra do Faxinal

O prefeito fez duras críticas ao Governo do Estado por conta da falta de pavimentação da rodovia, um problema que se arrasta há décadas. "Sou prefeito há quatro anos, luto há quatro anos por isso, os prefeitos anteriores passaram pela mesma luta. Havia deputados há trinta anos lutando por essa obra e a desculpa de questões ambientais, o que faltou foi competência e compromentimento pelo Governo do Estado. Faltou competência do Estado", afirmou. "Eu ontem almoçando com o ministro aqui em Praia Grande, temos um trecho em cima que é uma estrada-parque, que fica dentro do território do parque, são 10 a 15 quilômetros de Cambará do Sul e vem até a divisa de Santa Catarina. Essa parte que pertence ao Rio Grande do Sul será toda pavimentada, terá um trabalho de pavimento de primeiro mundo em virtude da concessão dos parques. Agora nós precisamos desses quilômetros da SC-290 para que tudo seja concluído", contou. "Uma concessão dessa atraindo visitantes do mundo inteiro, temos aqui com frequência turistas americanos, asiáticos, europeus, sem falar do nosso país, estamos falando do que um atrativo que está concorrendo a ser o segundo território Geoparque do Brasil e o sexto da América Latina, é uma referência internacional dos maiores cânions da América Latina e do Mundo, não estamos falando de qualquer coisa", emendou.

Maciel fez mais referências elogiosas à paisagem. "É uma paisagem cinematográfica que deixa qualquer um encantado, só quem não viu isso foi o Governo do Estado de Santa Catarina. Todo mundo sai daqui deslumbrado, nós estamos entre os cinco melhores do Mundo para se voar de balão. Somos uma referência, a Capadócia brasileira. Falta compromento não com o prefeito, mas com o povo do extremo sul de Santa Catarina. Colocar melhoria, qualidade de vida, infraestrutura para esse povo colocar o pão na mesa com dignidade", reiterou. Ele lembrou que a estrada de chão que ainda é a SC-290 recebe manutenção do atual governo. "O problema é que os governos anteriores deixaram vencer as licenças ambientais por incompetência", finalizou.

Ouça a entrevista no podcast: