Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Reunião na FCF por uma vaga na Copa São Paulo

Depois de ficar de fora da competição, Tigre tentará um convite da FPF por intermédio da Federação Catarinense
Por Lucas Renan Domingos Criciúma, SC, 25/10/2018 - 09:30
Coordenação das categorias de base deve ter reunião com a FPF nos próximos dias/Foto: Divulgação/FCF
Coordenação das categorias de base deve ter reunião com a FPF nos próximos dias/Foto: Divulgação/FCF

Na noite da última terça-feira, a Federação Catarinense de Futebol (FCF) informou para a Federação Paulista de Futebol (FPF) as quatro equipes catarinenses que irão disputar a Copa São Paulo de Futebol Júnior em 2019. Chapecoense, Tubarão, Figueirense e Avaí serão as representantes de Santa Catarina na competição. O Criciúma ficou de fora, mas o clube já está buscando um novo jeito para conseguir disputar a Copa São Paulo.

A escolha pelos quatro clubes catarinenses se deu pela classificação dos times no Catarinense Júnior. Como o Criciúma ficou em quinto, não garantiu a vaga. “Mas isso não é uma definição”, exclamou o coordenador das categorias do Tigre, Sérgio Lopes, o Serginho.

Acontece que o clube vai tentar buscar, por intermédio da FCF, uma vaga por meio de um convite da FPF. Ontem, ele, o presidente Jaime Dal Farra, o diretor executivo de negócios Mikael Dal Farra e a advogada do clube, Samira Zambrano foram até a sede da Federação Catarinense para uma reunião com o presidente da FCF, Rubens Angelotti.

“Tivemos uma respostas positiva. Nos próximos dias iremos todos até a Federação Paulista para uma nova reunião. O Criciúma é um clube formador e merece estar na competição”, acrescentou Serginho.

Conforme o coordenador das categorias de base do Tigre, Sérgio Lopes, o Serginho, o nome do tricolor ficar fora da lista, se deve a redução do número de vagas ofertadas pela FPF. “Eles estão com um problema com as parcerias, que são as prefeituras de São Paulo que bancam hotéis dos times e outros custos. Então, a questão financeira pesou e eles tiveram que diminuir”, explicou.

Histórico do clube como argumento

Para conseguir abrir mais uma vaga para Copa São Paulo de Futebol Júnior, o coordenador e a diretoria do clube apostam no histórico do Tigre na competição nos últimos anos. “Em 2015 foram cinco vagas disponíveis e uma para nós. Em 2016, fomos campeões do Sub-20 e em 2017 da Copa Santa Catarina, o que garantiu a nosso lugar para os anos seguidos. Agora em 2018 com a redução das vagas ficamos de fora, mas vamos lutar para estar lá”, afirmou.

Para Serginho, a competição serve como uma vitrine para os jogadores da base do clube. “Assim como a Taça BH, a Copa São Paulo é capaz de apresentar jogadores para o mercado. Na Taça BH, por exemplo, foi onde o Reinaldo, que fez teste no PSV e o Julimar, que treina com o grupo principal se destacaram”, frisou. “Vamos nos esforçar para mais uma vez participar. Até a metade do ano que vem queremos ter a resposta. Estamos confiantes, até porque tem clubes que são convidados e não participam de tantas competições no ano como a gente”, apontou.